sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Suframa aprova projetos de apoio ao pólo de Duas Rodas e Copa de 2014


Medidas de estímulo para o setor de Duas Rodas e o anúncio de propostas para a Copa do Mundo de futebol em 2014 foram o destaque da  reunião do Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS), realizada ontem, quinta.  O Conselho aprovou todos os 48 projetos em pauta com investimentos totais (incluindo capital de giro) de US$ 2.6 bilhões e a geração de 591 novas vagas de empregos. Na abertura da reunião, presidida pelo ministro interino do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira, foi anunciada a redução em 50% da cobrança da Taxa de Administração da SUFRAMA (TSA) para os fabricantes finais de motocicletas no Polo Industrial de Manaus (PIM). De acordo com o superintendente da autarquia, Thomaz Nogueira, a medida terá validade já no dia 1º de setembro. Até dezembro deve representar uma renúncia de R$ 13 milhões em uma arrecadação anual média de R$ 530 milhões. Na oportunidade, Nogueira destacou a medida do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) que fará uma redução de 25% na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o gasto de energia, dos fabricantes de componentes para o setor de Duas Rodas. O ministro Alessandro Teixeira, adiantou que depois do feriado da Independência já está agendada em Brasília uma reunião entre as entidades do polo de motocicletas e instituições financeiras para que se desenhem as soluções que facilitem o financiamento do produto ao consumidor final. Referindo-se à Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pelo governo de São Paulo, contra os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Amazonas, Alessandro Teixeira falou diretamente aos empresários do PIM para reforçar o apoio do Governo Federal ao modelo Zona Franca de Manaus, nas palavras dele: “um modelo que veio pra ficar, importante para a indústria e para a história do País”. Ele lembrou dos investimentos da pauta da 258ª reunião e agradeceu “a confiança dos empresários que investem na ZFM” arrancando aplausos dos presentes.

Copa 2014

Ao final da reunião, a SUFRAMA e o Governo do Estado, por meio da Unidade Gestora dos Projetos Copa (UGP-Copa), assinaram um memorando de entendimento para a articulação e elaboração conjunta de programas e projetos de cooperação técnica. A parceria visa a  geração e desenvolvimento de negócios durante a Copa do Mundo FIFA 2014 e de seus potenciais legados para a Região Amazônica. O memorando contempla o desenvolvimento de projetos, programas e propostas especificamente em quatro Câmaras Temáticas Estaduais: “Copa Inovadora”, “Copa Sustentável”, “Copa Competitiva” e “Copa Turística”. Após a assinatura, o coordenador da UGP-Copa, Miguel Capobiango, apresentou o primeiro projeto nas ações da “Copa Turística”, um tablet especial para os passageiros que utilizarem taxis em Manaus. O tablet – que tem um sistema de rastreamento fazendo com que o veículo seja monitorado constantemente –  será usado pelos passageiros para navegar na internet, obter informações em tempo real sobre a cidade e até pagar a corrida com o cartão de crédito entre outros aplicativos. O projeto tem a participação da Samsung Eletrônica, como investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) previstos pela Lei de Informática. Até a Copa do Mundo os tablets estarão disponíveis em 2,5 mil taxis de Manaus. Atualmente, 200 aparelhos estão em uso para teste na cidade. Thomaz Nogueira aproveitou a assinatura do memorando para convocar os empresários e instituições do PIM a aceitar o desafio de desenvolver soluções para a cidade com vistas ao maior aproveitamento possível da Copa do Mundo 2014. “É um evento que trará uma visibilidade para a cidade podendo ter efeitos duradouros após a sua realização”, disse.

Projetos

Dos projetos aprovados, os destaques são os da Philco Eletrônicos Ltda. para a produção de fornos micro-ondas; H-Buster para ampliação da produção de TV em cores com tela de LCD;  Digibras para  autorrádios com DVD Player e controle remoto para Eletroeletrônicos; e para reforçar o nicho de bebidas energéticas (que já tem o projeto aprovado em reunião anterior da Red Bull), o projeto da Amazon Refrigerantes. A Samsung teve projeto de US$ 1 bilhão aprovados para incrementar a produção de aparelhos celulares no PIM. A Tec Toy S.A vai produzir tablets e “babá eletrônica” e  a Ox da Amazônia, bicicletas elétricas.

O que acontece por aí...

Jérôme e Marin, o abraço da união

Antes tarde do que nunca. Chegou em boa hora, para desapontamento dos eternos pregoeiros do caos, o fraterno e carinhoso abraço do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, no presidente da CBF, José Maria Marin. Sinal de bons ventos e paz duradoura visando o sucesso da copa de 2104 no Brasil. Não se pode perder mais tempo. A ordem é uma só: união e trabalho. Seguramente alguns dos constrangedores arranca-rabos do poderoso fiscal da Fifa e autoridades brasileiras não teriam acontecido se o objetivo, firme e jeitoso José Maria Marin já fosse aquela altura presidente da CBF. Mágoas e preocupações já teriam sido superadas. Tudo é motivo de alegria. As obras dos estádios estão avançadas e os governos tocam as obras de infraestrutura.

Ponte Costa e Silva

É inacreditável. Como alguns patetas, parasitas, oportunistas e demagogos adoram perder tempo e amolar nossas paciências, com discussões patéticas e burras, como essa agora de trocar o nome da Ponte Costa e Silva. Duvido se esse timeco de pilantras ameaçaria arrancar o nome de Costa e Silva da ponte se o Brasil  ainda fosse governado por militares. Procurem trabalhar pela coletividade. Fazer realmente algo de útil. Respeitem os mortos, sobretudo um ex-Presidente da República.Tenham dignidade.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Pós-operatório

Amazonino tem boa recuperação, avaliam médicos

A recuperação pós-operatória do prefeito Amazonino Mendes é tida como excelente na avaliação da equipe médica que o acompanha no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde está internado desde o último dia 20. A informação foi prestada na manhã desta quinta-feira pelo secretário municipal de Saúde (Semsa), Francisco Deodato. Amazonino deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na tarde de terça-feira e já está em um apartamento do hospital, alimentando-se normalmente, sem dor e fazendo fisioterapia respiratória. “O progresso dos resultados positivos é sentido a cada momento”, disse Deodato. As visitas, no entanto, continuam restritas por recomendação médica. As equipes que cuidam do prefeito de Manaus, coordenadas pelos Profs. Drs. Raul Cutait, Roberto Kalil Filho, Paulo Cesar Ayroza Galvão, Ricardo Botticini Peres e Fábio Jatene, vão continuar acompanhando a progressão do quadro clínico do prefeito até o início da próxima semana. Só após essa avaliação é que será informada a data em que ele será submetido à angioplastia que já está prevista.

FOTO: MANOEL VAZ / SEMCOM

Meu comentário:

Gostei de saber que Amazonino Mendes passa bem, depois de operado em São Paulo. Excelente notícia não só para seus amigos, familiares e eleitores, mas, também, para o seleto clube do qual ele pertence, de políticos que exercem a vida pública com destemor, competência, isenção e qualificação profissional.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

SUFRAMA defende julgamento da Adin no STF


Durante reunião  na Assembléia Legislativa do Amazonas (ALEAM) para discutir a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pelo governo de São Paulo contra incentivos fiscais concedidos pelo Amazonas, o superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira avaliou que a saída menos danosa para o modelo de desenvolvimento é o julgamento rápido da questão. "Se a intenção da Adin fosse esclarecer uma situação jurídica duvidosa, bastava julgar outras ações já lançadas no passado, ações em que a Zona Franca obteve liminares favoráveis que, até hoje, não tiveram o mérito julgado. O governo paulista já alcançou seu objetivo com a simples propositura da ação, ou seja, semear a confusão e levantar dúvidas sobre a segurança jurídica do modelo, que é constitucionalmente protegido. Uma eventual vitória de São Paulo não aumentaria um centavo sequer na arrecadação daquele Estado", disse o superintendente. Classificando a ação como "irresponsável", por não medir as consequências para a economia de toda a Amazônia Ocidental, Nogueira defendeu que um julgamento rápido do mérito pode colocar um ponto final nos questionamentos de outras unidades da federação sobre o poder que o Amazonas  tem de conceder incentivos de ICMS sem a necessidade de aprovação do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). "A Constituição de 1988 recepcionou toda a legislação da Zona Franca. A Lei Complementar 24 de 1975 é parte e deixa bem claro a autorização do Amazonas para conceder incentivos. A mesma Lei que São Paulo questiona agora é a que estabelece o funcionamento do Confaz, ou seja, querer desconsiderá-la é desconsiderar o próprio conselho", argumentou. A reunião, que começou às 11h no plenário da Assembleia e se estendeu até às 14h, levantou uma série de questões em torno da medida do governo de São Paulo e as consequências para o Amazonas. Segundo o representante da Secretaria de Fazenda do Estado no evento, Afonso Lobo, o eventual corte na política de incentivos estaduais tornaria a instalação de indústrias em Manaus economicamente inviável. "E comprometeria 80% da economia local, que é vinculada ao Polo Industrial. São prejuízos catastróficos, que impactariam, de cara, a arrecadação estadual em, pelo menos, R$ 7 bilhões. Além disso, projetos como a UEA, que dependem de recursos da Zona Franca, ficariam comprometidos", disse Lobo. O único representante da bancada federal na reunião, Francisco Praciano, defendeu que não adianta fazer discursos no Congresso sobre o tema e que o momento é de buscar um posicionamento do Planalto. "Somos oito deputados e três senadores contra mais de 500 parlamentares de outros estados. O que devemos fazer é buscar apoio do Governo Federal para uma questão que é nacional. A Zona Franca é fundamental para a economia do Amazonas e não pode acabar, pois acaba com o Estado inteiro. Aliás, representando três quartos do PIB da Amazônia, afeta toda a economia nacional", disse Praciano. Não há data prevista para o julgamento da Adin (que recebeu o número 4832) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas o representante da Procuradoria Geral do Estado (PGE) na reunião, Carlos Ramos Filho, adiantou que o Amazonas já tem a linha de defesa definida para o caso. "Temos fundamentos sólidos para mostrar que a Lei Complementar 25/75 foi recepcionada pela Constituição. A chance de vitória é grande", adiantou.

O que acontece por aí...


Livro do Gorgulho

Próxima sexta-feira, na Torre de TV Digital de Brasília, o jornalista e escritor Silvestre Gorgulho lança o livro "A Flor do Cerrado". Diz o convite de Silvestre: "Vem cá/suba aqui no alto/e sinta o doutor JK/transplantar teu coração/para a brasiliensidão do planalto!". O prefácio da obra é de Maria Estela Kubitschek Lopes.

Porque Mano não convoca Ronaldinho Gaucho?

Ronaldinho Gaucho em plena forma. Física e técnica. Jogando um bolão. Dando show de futebol. Estranho porque não é convocado para a Seleção Brasileira. Os convocados não são os melhores do momento? No Brasil ninguém está jogando mais do que Ronaldinho Gaucho. Porque será que não é convocado? Elementar, caro torcedor, porque o "técnico" Mano Menezes não sabe nada. Parece que nunca jogou bola na vida. Brinca com a seleção Penta Campeã do Mundo. Estamos perdidos.

A opinião criativa do meu amigo Everaldo sobre o assunto:

“Limongi, o Brasil é muito grande, não seria o caso ao invés de uma Seleção Brasileira, darmos a idéia para a CBF de criar um intercâmbio entre seleções no nosso país. Por exemplo Seleção do Nordeste, Sul,Norte,Centro-Oeste,Sudeste. Aí sim descobriríamos mais valores, não só para técnico da Seleção Brasileira, como também novos jogadores. Poderíamos criar também a seleção dos que jogam fora do Brasil. Jogando entre si, teríamos os melhores e, aí sim, teríamos a oportunidade de escolher os melhores. Os campeonatos são importantes, mas quando se trata da Seleção Brasileira, tudo é válido. Só não é válido perder a Copa de 2014, por insistência e cabeça dura dos nossos dirigentes. A mesma coisa teria que ser feita com as Olimpíadas. Não é possível acreditarmos em milagre dos nossos atletas, temos que ter diversas competições para conhecer a capacidade, valores, de nossos atletas, etc. Abraço.

Everaldo.”

Arthur é o melhor

Dilma e Lula, mais o Exército da Salvação, a Cruz Vermelha Internacional, além de Pelé, Neymar e o homem raio, Bolt, mesmo se todos forem ao Amazonas fazer campanha contra o candidato tucano Arthur Virgilio, não significa que o ex-senador perderá as eleições para prefeito de Manaus. Quem decide, quem vota, é o povo. O povo não entra em manipulações. Exige respeito ao seu voto. Arthur Virgilio lidera as pesquisas porque é nome respeitado no Amazonas. Ninguém defende mais a zona franca de Manaus do que Arthur Virgilio. No máximo empata com ele. Jamais, Dilma, Lula ou quem quer que seja que esteja na Presidência da República, agirá contra os interesses do Amazonas, simplesmente porque o prefeito ou o governador são oposicionistas. O resto é conversa fiada de parasitas e covardões.

Amazonino Mendes deixa UTI

O prefeito Amazonino Mendes recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês no início da tarde desta quarta-feira, 29 de agosto. Ele foi transferido para um apartamento e está obedecendo as recomendações médicas de manter repouso e não receber visitas. Amazonino submeteu-se na última segunda-feira, 27, a uma cirurgia de revascularização do miocárdio após exames haverem constatado obstrução em  artérias de seu coração. As equipes médicas que cuidam do prefeito de Manaus são coordenadas pelos Profs. Drs. Raul Cutait, Roberto Kalil Filho, Paulo Cesar Ayroza Galvão, Ricardo Botticini Peres e Fábio Jatene.

Pronunciamento de Collor desmascara mais uma vez Roberto Gurgel



Primeiro a discursar em Plenário nesta segunda-feira (27), o senador Fernando Collor (PTB-AL) voltou a dirigir críticas ao desempenho de Roberto Gurgel no cargo de procurador-geral da República. O senador acusou o chefe do Ministério Público da União de cometer diversos crimes e irregularidades: prevaricação, improbidade administrativa, crime de responsabilidade e chantagem. Segundo Collor, Roberto Gurgel prevaricou por ter demorado mais de dois anos para adotar qualquer medida em relação à operação Vegas, da Polícia Federal, anterior à operação Monte Carlo e também voltada às ações de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Para o senador, a falta de ação de Gurgel favoreceu a organização criminosa comandada por Cachoeira, que continuou em ação, e influenciou o resultado das eleições gerais de 2010 no estado de Goiás, nas quais Marconi Perillo (PSDB) foi reeleito governador.
- Conforme reconheceu, em depoimento na CPI no dia 12 de junho deste ano, o próprio governador Marconi Perillo, ao ser questionado exatamente sobre essa possibilidade. Ele disse: “Sim, se essa operação tivesse sido desvelada antes das eleições, o resultado em Goiás das eleições em 2010 teriam sido diferentes” – relatou Collor.
O parlamentar afirmou ser imperiosa a convocação de Gurgel para prestar depoimento à CPI do Cachoeira, para explicar “todos os fatos, atos e os não atos que estão vindo à luz e que dizem respeito à sua conduta como chefe maior do Ministério Público”. Collor informou ainda ter protocolado seis representações contra o procurador geral e contra a subprocuradora Cláudia Sampaio Marques, esposa de Gurgel. Segundo ela, disse Collor, a decisão de sobrestar o inquérito da operação Vegas teria sido tomada por ela e pelo procurador-geral em conjunto com o delegado da Polícia Federal Raul Alexandre Marques de Souza, responsável pela operação.
- É lamentável ter que afirmar isto da tribuna do Senado, mas a subprocuradora-geral da República, doutora Claudia Sampaio Marques, igualmente ao seu marido, mentiu quando fez essa afirmação – declarou o senador ao lembrar que o próprio delgado desmentiu essa afirmação em depoimento à CPI.
Collor afirmou que, depois de receber o inquérito da Vegas, a obrigação de Gurgel era a arquivar o processo ou pedir novas diligências ou apresentar denúncia à Justiça. Entretanto, disse o senador, o procurador não tomou nenhuma dessas atitudes em tempo hábil. Collor ainda acusou Gurgel de ter chegado a chantagear o então senador Demóstenes Torres (GO), que acabou cassado por envolvimento com as atividades de Cachoeira.


Revista Veja

Collor também afirmou que, em depoimento recente à CPI do Cachoeira, dois procuradores deixaram claro haver indícios do envolvimento de jornalistas da revista Veja com a organização criminosa de Cachoeira.
- Como atestaram os dois procuradores, essa organização criminosa, que atua ‘armada’ e é ‘altamente sofisticada, complexa e ousada’, vem atuando à margem da lei há mais de uma década e, vejam, coincidentemente, o mesmo período de convivência e troca de favores entre o jornalista da Veja, Policarpo Júnior, e o senhor Carlinhos Cachoeira, com o claro conhecimento do editor e presidente do Conselho Editorial da Editora Abril, Roberto Civita – afirmou.
O senador chegou a ler trechos de interceptação telefônica que comprovaria a troca de favores entre o jornalista Policarpo Júnior e Cachoeira. Collor defendeu a criação de duas novas CPIs para investigar essas suspeitas.
- Por tudo isso, tenho certeza: quando o senhor Roberto Gurgel Santos, sua esposa, Cláudia Sampaio Marques, o senhor Roberto Civita, o senhor Policarpo Júnior, além dos demais servidores da revista Veja, como o borrador Lauro Jardim e os rabiscadores Hugo Marques, Rodrigo Rangel e Gustavo Ribeiro, quando todos eles vierem depor na CPI e tiverem seus sigilos telefônicos e de mensagens quebrados, teremos, então, provas mais do que suficientes para, quem sabe até, criarmos novas CPIs: a CPI do Gurgel e a CPI da Veja – concluiu Collor.

Agência Senado

Leia o pronunciamento na íntegra, clicando aqui.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Votação do projeto dos Free Shops é adiada para o dia 11 de setembro‏


Apelo do Governo Federal, através da ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvati, e do líder no Senado,  Eduardo Braga (PMDB-AM), adiou para o próximo dia 11 a votação do projeto de lei (PLC 11/2012), de autoria do presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), para que as cidades brasileiras que fazem fronteira com outros países possam manter lojas francas, os chamados free shops. Nesses estabelecimentos poderão ser adquiridos produtos nacionais ou estrangeiros, em reais ou em outras moedas. O projeto, relatado pela senadora Ana Amélia (PP/RS), foi analisada nesta terça-feira (28), na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde tramita em caráter terminativo. O presidente da comissão, senador Delcídio Amaral (PT-MS), assegurou à senadora Ana Amélia e ao coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Implantação de Free Shops em Cidades de Fronteiras, deputado Frederico Antunes (PP), que irá negociar ainda nesta semana um acordo com o Governo para que possa haver quórum em torno da votação urgente da matéria. Há resistência da Receita Federal, mas contou com apoio de vários senadores presentes à reunião, entre eles o presidente da CAE, Delcídio Amaral (PT-MS). Além dele, Tomás Correia (PMDB/RO), Sérgio Souza (PMDB-PR), Inácio Arruda (PCdoB-CE), Francisco Dornelles (PP-RJ), Roberto Requião (PMDB-PR) e Waldemir Moka (PMDB-MS), também falaram em defesa do projeto, que contempla 28 cidades do Rio Grande do Sul, Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso do Sul, Paraná, Roraima, Rondônia e Santa Catarina. Ana Amélia explicou que o objetivo é beneficiar municípios gêmeos de cidades estrangeiras em linha de fronteira. Argumentou que muitas cidades fronteiriças sofrem concorrência desleal por não contarem com as lojas francas, já existentes nas cidades dos países vizinhos.
- No Rio Grande do Sul, há vários municípios vizinhos de cidades uruguaias e argentinas que estão sofrendo uma competição comercial injusta e predatória. As cidades do outro lado da fronteira, que possuem regimes tributários diferenciados e mais favoráveis, atraem brasileiros de toda a região, que deixam de comprar no Brasil para lá adquirir uma grande variedade de bens", observou a senadora.

O que acontece por aí...


Ordinário Jabor

O patifão Arnaldo Jabor adora botar banca de sabidão e de paladino. O canalhão e apoplético Jabor costuma pisar nos outros impunemente. Eterno recalcado, a ratazana Jabor só poupa seu ídolo, FHC, outro gênio de meia pataca, no seu novo artiguete. Diz que pegou um susto logo na primeira vez que soube de política. Seguramente quem também se assustou foi a parteira, quando ajudou a parir, na sarjeta do mangue, o verme e monte de estrume Arnaldo Jabor. Jabor é tão estúpido e covarde que não respeita nem a memória de políticos que já morreram. O velhaco mandou para a estrebaria quem não segue a cartilha bolorenta e cretina de FHC. Jabor é PhD em estrebaria. Foi lá que cresceu, comeu muito capim e namorou na lama com éguas, vacas e jumentos. Garantem as boas línguas que o sádico Jabor continua amando e apreciando um bom, inocente e voraz jumento. 


“segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Brasília dominada por bandidos

Tem a polícia mais bem paga do país, mas não consegue deter a onda de assaltos e seqüestros que toma conta do DF.  A propósito dessa falta de segurança, e do assalto que foi vítima a jornalista Eliane Cantanhede (levaram o carro e a bolsa com documentos) o jornalista Vicenti Limongi publicou na Folha:

´Há muito tempo que Brasilia convive com duas colossais balelas: capital da esperança e bom para se viver por causa da qualidade de vida. Pois sim. O pavor pelo qual passou a jornalista Eliane Cantanhêde  voltando para casa depois do trabalho atinge e amedronta todos nós. Brasília é uma cidade insegura, despoliciada, com péssimo transporte público  escolas caindo aos pedaços e dramático e ineficaz serviço de saúde. Ou seja, Brasília tornou-se uma cidade comum, complicada, suja e feia, como a maioria das outras. A audácia, a violência, a covardia e a arrogância dos bandidos é avassaladora. Ninguém tem mais sossego. Não se tem mais alegria de passear com a família. Nem mesmo em casa o brasiliense tem paz e segurança. O mais amedrontador é que não sabemos onde esta brutal escalada de violência vai parar´.”

Notícias do Pólo de Manaus

O presidente do Centro das Indústrias do Amazonas, Wilson Périco,  considera que os ataques de São Paulo contra o Pólo Industrial de Manaus é uma situação pontual, que não pode ser atribuída a um único partido, no caso o PSDB, mas que deve ser enfrentada com todas as forças e rigor. A propósito, a coreana Samsung vai instalar fábrica de cimento na zona franca. Com o mesmo objetivo já se movimenta a mineira Polimix Concretos. Pretende produzir 44 toneladas por ano e criando 70 empregos diretos e 130 indiretos.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

O que acontece por aí...

Lembranças de Rodolfo Fernandes

Faz 1 ano que Deus levou para perto de si o jovem e talentoso Rodolfo Fernandes, deixando um imenso vazio no bom jornalismo e no coração dos amigos, dos seus filhos, Felipe e Letícia e dos seus pais, Rosinha e Hélio Fernandes.  Abração e até breve, Rodolfo.

Minha carta para Renato Mauricio Prado

Meu caro, discordo da tua nota "questão de gosto". As palavras foram feitas para serem usadas. Certa feita, você fez bom uso delas, retrucando magistralmente em longo texto, afirmações de Luxemburgo. Ou seja, quem diz o que não deve, tem que aguentar o tranco. Romário não seria sincero e firme, fugiria das características da sua forte personalidade, se não respondesse as sandices do Mano Menezes no tom que usou. Com Galvão Bueno você também não aguentou mais tanta arrogância e prepotência. Deu um chega prá nele. Na pressa, escrevi discordando do barraco de vocês. Afinal, foi ao vivo e a cores. Hoje, cabeça fria, dou razão a você. abraços do Limongi, teu ex-colega do globo.

Para Arthur, a prioridade é o Pólo de Manaus

O ex-senador Arthur Virgilio não vaciliou, tomou firme e coerente decisão: entre tolices e gestos mesquinhos do partido dele, o PSDB, através do governador paulista, entrando com ação no STF contra a zona franca de Manaus, e os legítimos interesses do polo industrial de Manaus, Virgilio não teve dúvidas, chutou o balde e ficou, como sempre fez, com os direitos e conquistas da zona franca. O ex-lider tucano no senado lidera as pesquisas na disputa para a prefeitura de Manaus. Mesmo se não estivesse na frente, Arthur jamais deixaria de defender ardorosamente o polo de Manaus, como sempre fez. No governo ou fora dele. Os próprios adversários de Virgilio sabem disso. Quando trata-se de defender a zona franca contra a prepotência dos paulistas, o Amazonas fica unido e guerreiro.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Pavor de Eliane Cantanhêde também é nosso


Há muito tempo que Brasília convive com duas colossais balelas: capital da esperança e bom para se viver por causa da qualidade de vida. Pois sim. O pavor pelo qual passou a jornalista Eliane Cantanhêde  voltando para casa depois do trabalho atinge e amedronta todos nós. Brasília é uma cidade insegura, despoliciada, com péssimo transporte público coletivo, escolas caindo aos pedaços e dramático e ineficaz serviço de saúde. Ou seja, Brasília tornou-se uma cidade comum, complicada, suja e feia, como a maioria das outras. A audácia, a violência, a covardia e a arrogância dos bandidos são avassaladoras. Ninguém tem mais sossego. Não se tem mais alegria de passear com a família. Nem mesmo em casa o brasiliense tem paz e segurança. O mais amedrontador é que não sabemos onde esta brutal escalada de violência vai parar.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Pela 4ª vez, Gim é um dos ‘100 mais influentes’ do Congresso


Pelo quarto ano consecutivo o senador Gim Argello (PTB-DF) foi eleito por seus pares, jornalistas, assessores e cientistas políticos como um dos parlamentares mais influentes do Congresso Nacional, segundo o anuário “Os Cabeças do Congresso Nacional” do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), a ser lançado em setembro. A lista escolhe anualmente os 100 parlamentares que mais influenciam as decisões na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Atuação

Empossado em julho de 2007, Gim fez questão de colocar em prática o seu lema: nada resiste à força do trabalho. A partir daí o senador petebista foi convidado para assumir a vice-liderança do governo Lula no Senado, cargo que ainda ocupa no governo da presidente Dilma. Além de vice-líder do governo e líder do PTB no Senado, Gim também lidera o terceiro maior bloco da Casa. Contando com 13 senadores de três partidos (PTB-PR-PSC), o bloco foi criado este ano e batizado de “Bloco União e Força”. Com relação ao trabalho realizado por Gim Argello, destacam-se a participação na concepção do programa “Minha Casa, Minha Vida”, além de relatar as Medidas Provisórias que tratavam do projeto no Congresso. Gim apresentou dezenas de projetos e participou da aprovação de muitos outros, beneficiando desde bebês, crianças e adolescentes em idade escolar, até garantir a aprovação de aposentadorias especiais para portadores de deficiência, garçons e cozinheiros. O senador Gim também foi responsável pela regulamentação da atividade de conselheiro tutelar, com eleições diretas e garantias trabalhistas para a categoria. Sua habilidade política garantiu a inclusão de grandes obras para o Distrito Federal e Entorno no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Serão mais de 10 bilhões de reais em verbas só na administração da presidente Dilma Rousseff para investimento em infraestrutura, duplicação e ampliação de rodovias, obras de urbanização em comunidades carentes e até mesmo a construção de uma adutora na usina hidrelétrica de Corumbá IV, garantindo água de qualidade para cidades do DF e Entorno. Recursos para reforma de escolas, postos de saúde e investimentos na capital estão disponíveis para o DF graças à atuação incisiva do senador Gim no Congresso Nacional. Entre os projetos de desoneração, ressalta-se a isenção de IPI para taxistas e veículos nacionais elétricos ou híbridos. E mais recentemente, o senador do DF apresentou um projeto que prevê a criação da Agência Nacional de Mineração, que seria responsável por definir as regras para exploração, exportação e utilização desse tipo de matéria-prima. “São números expressivos, mas o que me deixa contente não é a quantidade, mas a qualidade dos projetos que aprovamos; a certeza de que cada um deles irá mudar a vida de muitos brasileiros”, comemorou o senador Gim Argello.

O que acontece por aí...



Carta para o presidente da CBF

Amigo Marin, Mano além de imbecil e idiota, como bem definiu Romário, é, também, um cretino descarado. Como tem a audácia de não convocar Ganso para os próximos amistosos da Seleção brasileira? Ganso tem jogado normalmente, recupera a forma, jogou muito bem contra o Corinthians (quem sabe, por isso,  o provinciano Mano ficou zangadinho e não convocou o talentoso jogador santista?). Mano poderá dizer que chamou Arouca e não deseja enfraquecer o Santos nos próximos jogos. Tolice e estupidez de quem realmente não sabe nada de futebol. Mano não respeita as tradições da Seleção penta campeã do mundo. Caro Marin, Mano precisa botar na cabeça ôca que tem que treinar a seleção é diferente de ser treineiro do Corinthians. Também não acredito, nem devo, em noticias que Lula continua fazendo lobby por Mano. Se Lula realmente gosta do bom futebol, jamais cairia nesta besteira de segurar e acender defundo ruim, como Mano Menezes.  Também é burrice  alegar que Ganso anda preocupado com sua saída do Santos. O jovem Ganso não é moleque nem infantil. É profissional correto e dedicado. Jogou ontem, pela Recopa e muito bem. Quem não joga bem, nunca jogou nem pedra em mangueira é o tal de Mano. O Santos deveria protestar pela repugnante perseguição de Mano ao craque Ganso. Não acredito, querido Marin, que você também concorde com as peraltices do arrogante Mano. Mesmo porque você jogou futebol, sabe quem é do ramo e quem é enganador. Cuidado, Marin, fique esperto. O torcedor não perdoará mais burradas do incompetente Mano e, no final, quem irá massacrar? Exatamente, você, amigo, que comanda a CBF e colocou Mano no cargo. Olho vivo. Abração do amigo que torce pelo teu sucesso.

Vicente Limongi Netto 
Brasília, 23 de agosto de 2012

Dilma e a Forbes

Estou com Dilma, com a revista Forbes e com aquele honroso terceiro lugar novamente obtido pela Chefe da Nação. Quem não gostar que ateie fogo às vestes, compre outra publicação ou, ainda, se preferir, embale na rede aquele Paulo Preto.

Gratuidade de energia elétrica

O senador Gim Argello (PTB-DF) deseja votar em setembro projeto de sua autoria que determina gratuidade de energia elétrica até o limite de 50kwh para as famílias que aderirem ao sistema de conta elétrica pré-paga. Atualmente, as concessionárias de energia elétrica consideram de baixa renda, com direito a desconto na fatura, gastos de até 40wh por mês, dependendo da faixa de consumo. O projeto de Gim eleva a faixa.

Maçã brasileira

A Comissão de Agricultura da Câmara Federal aprovou projeto do deputado Celso Maldaner (PMDB-SC) que proíbe a compra de maçã importada pela administração pública direta ou indireta. A proposta altera dispositivos da Lei de Licitações. Maldaner justifica a iniciativa salientando a importância da cultura da maçã para o Brasil, que envolve, segundo salientou, 39 mil hectares de área produzida. Produção esta que, em 2009, foi responsável por um valor bruto de 943 milhões de reais. Em 2010, a produção de maçãs gerou para o Brasil, em divisas, 28 milhões de dólares. A atividade gera, de acordo com o deputado, perto de 58.500 empregos diretos e 136.500 empregos indiretos.

Em defesa do Pólo Industrial de Manaus Arthur briga até com tucano poderoso


Em defesa do Pólo Industrial de Manaus, o ex-senador Arthur Virgilio briga e corta relações até com expoentes do partido dele, o PSDB. Por causa de uma ação do governo de São Paulo contra a zona franca, que será analisada pelo STF, Virgilio chamou Geraldo Alckmin de "provinciano". Arthur lidera com folga as pesquisas para a prefeitura de Manaus. Pelos números do recente Ibope, tem 29% das intenções de votos e a senadora Vanessa Grazziotin, 19%. 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O que difere Messi de Neymar


Só pode ser gozação do Pelé, afirmar que Neymar ainda pode ser melhor do que Messi porque o argentino tem uma perna só. Se Messi já faz estragos com a tal de uma perna só, imaginem se tivesse as duas pernas. É inacreditável, mas o Rei, o melhor de todos, também fala bobagens. Geralmente, o canhoto, nem precisa ser craque como o Messi, costuma ser melhor jogador do que os destros. Com este tolo comentário Pelé nos faz o favor de ofender craques geniais como Gerson, que consagrou o próprio Pelé na Copa de 70, com seus lançamentos longos e precisos, deixando Pelé literalmente na cara do gol, além de Rivelino e Maradona. Carrego minhas dúvidas se Messi é melhor do que Maradona, jogador fenomenal, derrotado pelas drogas. Mas isso é outro papo. Neymar é mais jovem do que Messi, tem tudo para ainda vir a jogar e encantar os gramados como Messi. A meu ver a maior virtude, o que difere Messi de Neymar, é aquela arrancada firme e decidida do argentino rum...o ao gol adversário. Neymar perde para Messi neste aspecto. Talvez pelo corpo franzino e leve que tem. Messi é mais troncudo, tem as pernas mais fortes. Encara e tromba com os adversários com mais força. Por isso Messi sofre faltas violentas e desleais, mas consegue ficar de pé. Ao contrário de Neymar, que apanha muito, cai, reclama e demora a levantar. Neymar só vai evoluir tecnicamente, quando finalmente for jogar no exterior. Somente assim poderá ficar no mesmo nível de Messi. Que, por sua vez, deixou a Argentina logo cedo. O que também ajudou bastante na evolução técnica de Messi foi o fato dele jogar no sensacional Barcelona. Jogar com Niesta e Xavi é mais fácil. A bola acorda e dorme feliz. O futebol mundial aplaude Messi, mas também, um belo dia, que não tardará, saberá reconhecer o valor do nosso Neymar.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

O que acontece por aí...


Agnaldo ficou brabo

O vereador Agnaldo Timóteo reagiu no tom que o assunto exigia, aos baderneiros e irresponsáveis fantasiados de grevistas, quando discursava na Câmara Muncipal de São Paulo. Quem não respeita os outros não merece ser respeitado.Timóteo tem todo o direito de expressar suas opiniões. Gostemos delas ou não. Mesmo porque o temperamento forte do grande cantor e botafoguense é conhecido. Quem quiser encarar...

Dupla de Sabujões, Miro e Traques

O sabujão Miro Teixeira não está mais sozinho no melancólico papel de bajular e blindar veículos da imprensa eternamente fantasiados de donos da verdade. Perfilado agora com o deputado Mirinho, outro jurista de meia pataca, outro parlamentar que como Mirinho insiste em botar banca de Rui Barbosa de araque. Refiro-me ao espaçoso senador Pedro Traques. Mais um adorador dos holofotes e das pautas amigas. Ambos ostentam com orgulho carteirinha de bajuladores engravatados. O leitor não sabe, não percebe, mas o joguinho da dupla com os eternos donos da verdade impressa e televisa é simples e singelo: defendem a velhaca imprensa que tem medo de ser investigada, em troca de noticias favoráveis e elogiosas. Assim, Mirinho pode garantir mais uma reeleição para a Câmara Federal e, o roliço senador Traques, deseja continuar sonhando em ser governador. Só se for do Rotary ou do Lions Clube.

Isenção o imposto de renda sobre o 13º salário

Aguarda relator na Comissão de Assuntos Sociais, projeto do senador Lobão filho(PMDBMA) isentando do imposto de renda o 13º salário. Segundo o senador Lobão Filho a incidência do imposto de renda é feita na fonte com aplicação das mesmas alíquotas da tabela progressiva. Assim, para o senador, a legislação não permite que essa parcela da renda do trabalhador receba os mesmos abatimentos e deduções, o que torna a alíquota efetiva mais alta que a do conjunto dos rendimentos.

Retorno de Paulo Octávio

Tudo indica que o ex-vice-governador de Brasília, Paulo Otávio, retorne com tudo à atividade política, em 2014. O empresário, ex-deputado e ex-senador tem conversado com figurões de diversos partidos. Paulo Otávio, contudo, continua filiado ao DEM.

Falta Havelange no Pavilhão Olímpico


No Pavilhão Olímpico falta enaltecer um desportista que dedicou a vida toda ao esporte. Que trabalhou incansavelmente para que o Rio de Janeiro fosse escolhido para sediar as Olimpíadas de 2016. Trata-se do brasileiro João Havelange. Agora que se amainaram as paixões, as mágoas e ressentimentos, é preciso relatar os fatos e episódios como realmente eles aconteceram. Como membro decano do COI, Comitê Olímpico Internacional, Havelange escreveu centenas de cartas do próprio punho para todos os integrantes do COI com direito a voto, para que votassem a favor do Rio de Janeiro. Havelange pediu ainda que, caso eles não votassem no primeiro escrutínio, caso seus escolhidos fossem saindo do páreo, que votassem, a seguir, no Rio de Janeiro. Deu certo. O Rio de Janeiro venceu. Venceu Chicago, Madrid e Tóquio. Na carta aos membros do COI Havelange também convidava a todos para comemorarem com ele, nas Olimpíadas de 2016, seus 100 anos de idade. Os convites estão de pé.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

O que acontece por aí...


Onde andam os críticos de Ronaldo Gaúcho?

Por onde andam os ferozes e pretensiosos críticos do jogador Ronaldo Gaúcho, que diziam com o manjado e habitual ar de sábios de meia pataca, que o ex-jogador do flamengo estava acabado? Pobres diabos, nunca jogaram nem bola de gude na vida, quanto mais futebol. Mudem de ramo. Passem a comentar jogo de peteca.

Ganso, Seleção e Mano

Será que o fabuloso treineiro Mano Menezes viu o show de bola do Ganso, contra o Corinthians? Ganso aos poucos recupera a antiga forma.  Embora, a meu ver, mesmo sem jogar bem, é jogador com técnica suficiente para decidir o jogo, apenas numa jogada. O talentoso Oscar, não tem essa virtude nem essa competência. Só mesmo um treineiro arrogante, que nunca jogou nem bola de gude na vida, pode se dar ao luxo de deixar Ganso na reserva. A não ser que Ganso esteja com estiramento muscular ou recém operado. É preciso que analistas apressados e de meia pataca, aprendam a respeitar o estupendo meio-de-campo Paulo Henrique Ganso. Muricy, que é do ramo, escala Ganso sem pensar duas vezes. Sacou Ganso faltando 2 minutos para o jogo acabar, porque percebeu que o atleta estava já com a língua encostando no gramado. Ou seja, cansadão. Muricy sabe que aos poucos Ganso recupera a antiga forma. Para alegria da bola, dos companheiros e do torcedor. Deixar Ganso no banco é uma burrice atroz. Duvido que o Santos libere Ganso facilmente para outro clube. Creio que não demora o torcedor terá o prazer de ver jogar, juntos, na seleção, Ganso e Oscar. Basta trocar rápido Mano Menezes por um técnico que realmente conheça tática de futebol e tenha sensibilidade.Escalar Hulk e deixar Ganso fora é um sacrilégio, uma afronta aos deuses do futebol.

Carta para Circe Cunha

Cara Circe, parabéns! pelo texto com graça e inteligência. A hipocrisia e a burrice não podem nem devem vencer todas as batalhas! No meu tempo do globo, década 60/70, era proibido, no STF, a entrada de, pasme, flores!Duvido que alguns ministros da Suprema Corte não usem bons e caros jeans! O ótimo filme em cartaz, "Um divã para dois", mostra, várias vezes, um elegante terapeuta usando jeans com blazer e gravata. Milionários como Messi, Neymar e Eik Batista será que dispensam suas jeans?   Bolas, o Brasil precisa deixar de ser um país imbecil. 

Abraços do Vicente Limongi Netto

Agnaldo Timóteo

O vereador Agnaldo Timóteo reagiu no tom que o assunto exigia, aos baderneiros e irresponsáveis fantasiados de grevistas, quando discursava na Câmara Muncipal de São Paulo. Quem não respeita os outros não merece ser respeitado.Timóteo tem todo o direito de expressar suas opiniões. Gostemos delas ou não.

Falta Havelange no Pavilhão Olímpico

No Pavilhão Olímpico falta enaltecer um desportista que dedicou a vida toda ao esporte. Que trabalhou incansavelmente para que o Rio de Janeiro fosse escolhido para sediar as Olimpíadas de 2016. Trata-se do brasileiro João Havelange. Agora que se amainaram as paixões, as mágoas e ressentimentos, é preciso relatar os fatos e episódios como realmente eles aconteceram. Como membro decano do COI, Comitê Olímpico Internacional, Havelange escreveu centenas de cartas do próprio punho para todos os integrantes do COI com direito a voto, para que votassem a favor do Rio de Janeiro. Havelange pediu ainda que, caso eles não votassem no primeiro escrutínio, caso seus escolhidos fossem saindo do páreo, que votassem, a seguir, no Rio de Janeiro. Deu certo. O Rio de Janeiro venceu. Venceu Chicago, Madrid e Tóquio. Na carta aos membros do COI Havelange também convidava a todos para comemorarem com ele, nas Olimpíadas de 2016, seus 100 anos de idade. Os convites estão de pé.

Carta do Paulo Kramer

Limongi, amigo! Também estou torcendo pelo nosso Arthur Virgílio, a quem considero uma das melhores cabeças da política brasileira. Há um trecho da tua mensagem que eu achei particularmente interessante: quando V. reconhece que o Arthur (nem ele nem outro líder, quem quer que seja) pode assumir responsabilidade pelo que alguns aliados falem ou façam. Lembro que, nas minhas aulas de Ciência Política, gosto de ensinar aos alunos uma frase genial do grande pensador francês Raymond Aron: "Na política, podemos sempre escolher o inimigo, mas quase nunca podemos escolher os aliados." É a dura e pura verdade! Aproveito para desejar muito sucesso ao Arthur na campanha para a prefeitura de Manaus. E dizer que ele faz muita falta ao parlamento brasileiro. Forte abraço para ambos deste amigo e admirador de sempre,

Paulo Kramer

sábado, 18 de agosto de 2012

Toffoli e o proxeneta


Creio que o ministro Dias Toffoli  deu um fino trato merecido neste boçal proxeneta. Também não digo o nome dele para não poluir meu texto. Digo, com o dedo no nariz, que a vestal grávida tem coluneta no Globo. O fato do velhaco que foi demitido de um jornal brasiliense e expulso do Condomínio Associados, por práticas nada jornalísticas, ter coluna e blog em jornal famoso, não lhe dá o direito de canalhamente insultar as pessoas. Quem diz ou escreve o que não deve, ouve o que não quer. Tudo tem limites. Até mesmo a covardia e a leviandade. Tolice e hipocrisia alegar que não fica bem para uma autoridade retrucar  patadas e coices de pseudos donos da verdade da forma que bem entender. Parabéns ao ministro Toffoli.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Suframa discute plano nacional de infraestrutura



A Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) é uma das instituições parceiras do Conselho Regional de Administração (CRA) na realização do workshop  Plano Brasil de Infraestrutura Logística (PBlog), que será realizado no próximo dia 30 de agosto,  no auditório da Faculdade de Estudos Sociais da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Além da SUFRAMA e da UFAM,    o Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam) também apoia o evento. No workshop, estarão reunidos especialistas em logística de toda a região Norte do Brasil a fim de discutir soluções em infraestrutura de transporte, incluindo estradas, portos, aeroportos, ferrovias, dutovias e infovias, no âmbito do Plano Brasil de Infraestrutura Logística. O plano é coordenado pelo Conselho Federal de Administração e pelos Conselhos Regionais de Administração, que têm a missão de realizar cinco workshops em âmbito nacional visando a identificar alternativas logísticas em cada região brasileira. Para o superintendente em exercício da SUFRAMA, Gustavo Igrejas, o envolvimento da autarquia com o tema é de extrema importância para que a região possa avançar em uma área tão fundamental para o seu desenvolvimento socioeconômico. “As características logísticas da Amazônia foram uma das razões fundamentais para a criação do modelo Zona Franca de Manaus e continuam sendo até hoje um dos nossos maiores desafios. Eventos como esse são muito salutares e esperamos que as contribuições das diversas instituições sejam apuradas para que identifiquemos alternativas e soluções eficazes para aprimorar nossa infraestrutura logística”, afirmou Igrejas.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Avô babão


Que o jornalista Vicente Limongi é polêmico, que adora cutucar com vara curta os poderosos e alfinetar os inimigos de suas idéias políticas, todo mundo sabe. O que nem todos sabem é que quando o neto Federico anda por perto, cessa tudo o que a antiga musa canta. Limongi é todo ternura, vira avô babão e só tem olhos e palavras para o fofinho, xodó da família.

Blog Marlene Galeazzi – Jornal de Brasília

terça-feira, 14 de agosto de 2012

O que acontece por aí...


A tola idéia não é tua. Serve de consolo

Jovane, do “Melhores do Mundo”, a "idéia" de escolher Guardiola para técnico da seleção brasileira não é tua. Mas, sim, de Tostão. A seguir, endossada por Renato Mauricio Prado e, mais adiante, por um boçal colunista esportivo da FSP que não cito o nome para não poluir meu texto. De toda forma, a meu ver, a idéia é de jerico. Uma colossal sandice. de um colonialismo estarrecedor. Abs. do Limongi.

Variadas com ponto e vírgula

Tomara que as mudanças no novo Código Penal realmente sirvam para colocar na cadeia corruptos graúdos, pedófilos, assassinos, estupradores e sequestradores. Basta de tanta conversa fiada, leis frouxas e demagogia; o senador Cristovão Buarque(que não tem nada a ver com o Chico) alega que o fiasco brasileiro nas olimpíadas é culpa dos políticos. Mea culpa atrasada é isso.  O sabidão foi ministro da Educação e nada fez pelo desenvolvimento do esporte. Tanto que acabou demitido por Lula pelo telefone; O governo Dilma garante que vai mandar tropa de choque para Manaus, além do Exército da Salvação, para socorrer a candidata à prefeitura da senadora Vanessa Grazziotin, na disputa com o ex-senador Arthur Virgilio. Quem sabe, o campeão mundial e olímpico, o raio Usain Bolt também não seria útil? 

CPMI decidirá sobre temas polêmicos na reunião de hoje

Estão na pauta de deliberações, entre outros pontos, a criação de sub-relatorias; a convocação do diretor da revista Veja em Brasília; e a reconvocação do governador de Goiás.
Gastão
CPI/CPMI - cpmi do cachoeira - selo da CPMI
A CPMI vai debater a possibilidade de questionar os convocados que ficam em silêncio por terem habeas corpus.
Os integrantes da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira deverão tratar de temas polêmicos na reunião de hoje. A criação de sub-relatorias e a possibilidade de fazer questionamentos diante do silêncio de convocados munidos de habeas corpus são dois assuntos que já renderam longos debates e que voltarão à tona. Mais de 200 requerimentos constam da pauta de deliberações da CPMI, que trata das relações do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com agentes públicos e privados. A pressão pela divisão dos trabalhos em sub-relatorias vem aumentando a cada encontro do colegiado. O senador Pedro Taques (PDT-MT), por exemplo, já se levantou em defesa de uma votação sobre o tema. “Isso não pode ser uma palavra suprema do relator. Precisa ser decidido pelo colegiado e, de forma democrática, colhem-se os votos favoráveis e contrários”, argumentou.
Sobrecarga de trabalho 

Para o deputado Rubens Bueno (PPS-PR), a criação das sub-relatorias é necessária principalmente devido ao grande volume de informações manipuladas pelos parlamentares. “Há sobrecarga de trabalho, e estamos informando, em respeito ao relator, que ele indique os sub-relatores, para que haja racionalidade nas nossas atividades”, defendeu. Diante das manifestações, o presidente da CPMI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), assumiu o compromisso de avaliar o assunto na terça-feira: “Nós haveremos de discutir de forma colegiada, como tem sido a tônica desta CPI em todos os seus momentos, sem arredar o pé um milímetro que seja, na reunião do dia 14.”


Requerimentos


Estão pendentes de análise cerca de 350 requerimentos, mas ainda não se sabe quais serão colocados em votação pelo relator. Entre os requerimentos apresentados estão:

• do senador Fernando Collor (PTB-AL): convite ao juiz Alderico Rocha Santos para que possa esclarecer as denúncias de chantagem que teria recebido da atual mulher de Cachoeira, Andressa Mendonça. O senador também pede as convocações do jornalista da revista Veja Policarpo Júnior, do presidente do grupo editorial Abril, responsável pela publicação da revista, Roberto Civita, e do procurador-geral da República, Roberto Gurgel;

• do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP): reconvocação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). O pedido é baseado em denúncia da revista Época de que o governador teria recebido propina para liberar pagamentos do governo do estado à empreiteira Delta. O negócio teria ocorrido por meio da venda da antiga casa de Perillo, onde Cachoeira foi preso pela Polícia Federal;

• Do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP): convocação do ex-governador de Goiás Iris Rezende, acusado de receber R$ 2 milhões do contraventor para campanha ao governo estadual em 2010. O deputado também pede a convocação de Sodino Vieira de Carvalho, coordenador-geral da campanha da Iris;
• do deputado Luiz Pitiman (PMDB-DF): requer a divisão da investigação parlamentar em cinco sub-relatorias temáticas;
• do deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ): convocação do governador do Tocantins, Siqueira Campos (PSDB), para explicar recente matéria publicada pela Folha de S.Paulomostrando que quase metade dos recursos financeiros recebidos pelo comitê do PSDB daquele estado, na eleição de 2010, veio de empresários ligados a Cachoeira;
• do deputado Filipe Pereira (PSC-RJ): convocação do governador do Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB). Escutas da Polícia Federal demonstraram que Carlinhos Cachoeira tinha interesse em assumir o controle da loteria estadual. O deputado fluminense também é autor de outro requerimento chamando o governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli. A justificativa é a de que a Delta tem “milhões em negócios em obras estaduais, federais e licitações de prestação de serviços” naquela unidade da federação;
• do deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP): requer a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico do ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antônio Pagot;
• dos deputados Odair Cunha (PT-MG) e Vanderlei Macris (PSDB-SP): convocação de Marcus Teixeira Barbosa, acusado pelo contador Rubmaier Ferreira de Carvalho de usar o nome dele indevidamente para abertura de empresas fantasmas. Rubmaier prestou depoimento na quarta-feira (8) à CPI.
Da Redação/NA
Com informações da Agência Senado

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Lula faz lobby por mano


Dois desafios ingratos para Lula: na política, eleger Fernando Haddad prefeito de São Paulo e, no esporte, manter Mano Menezes técnico da seleção brasileira. Haddad, se perder, pode acabar ministro de Dilma ou do próprio Lula. Mas para Mano Menezes será difícil Lula arrumar emprego. Nem mesmo no Corinthians, onde o atual treinador faz excelente trabalho e levou o timão a conquista da Libertadores. Na seleção Mano não permanece. Não tem gabarito profissional. Se Lula realmente gosta de futebol e quer o sucesso da Seleção, não insistirá no lobby por Mano.

Nelson Motta é Max ou Nilo?


O galhofeiro Nelson Motta afirma na sua colunazinha do Globo que a política anda cheia de Carminhas e Ninas. Nelson não precisa se preocupar porque o lugar dele na novela continua sem concorrentes. Mesmo no jornalismo o Nelsinho é imbatível como Max ou como Nilo. Caso deseje esticar a novela "Avenida Brasil" até o carnaval, Nelson Motta também fica impecável como Soninha Catatau ou Suelen. Pode escolher, fofa.

Gurgel, Policarpo e "Veja" na CPI do Cachoeira II


Creio que as convocações do procurador-geral Roberto Gurgel e do jornalista da "Veja", Policarpo Júnior, para que compareçam à CPI do Cachoeira, como já propôs, diversas vezes, o senador Fernando Collor, não significam demonstração pessoal de força ou coragem nem provocação ao judiciário e á imprensa. Collor apenas cumpre, a meu ver, seu papel de  atento e isento membro da CPI, que trabalha para que os fatos sejam apurados com rigor. Para Collor a Nação precisa de uma verdade definitiva "sobre todo esse conluio de autoridades e jornalistas  emaranhados com criminosos, tornando-se também criminosos". A  indecisão da CPI  protelando as solicitações do senador Collor, deixa a forte impressão ao público que os parlamentares  têm medo da "Veja" e do procurador Gurgel. Até parece que a "Veja", Gurgel e Policarpo estão acima do bem e do mal. São donos do monopólio da verdade.

Collor volta a pedir convocação do procurador-geral e jornalista da Veja na CPI do Cachoeira



Em discurso no Plenário, nesta sexta-feira (10), o senador Fernando Collor (PTB-AL) pediu a aprovação de requerimentos de sua autoria que convocam o procurador-geral de República, Roberto Gurgel Santos, a subprocuradora-geral Cláudia Sampaio Marques, esposa de Gurgel, e o jornalista editor da revista Veja em Brasília, Policarpo Júnior, para deporem na CPI do Cachoeira. A comissão se reúne na próxima terça-feira (dia 14) para votar requerimentos. Collor também requer a convocação dos procuradores da República Daniel de Resende Salgado e Léa Batista de Oliveira; do presidente e editor do grupo Abril, Roberto Civita; e dos funcionários da revista Veja Lauro Jardim, Gustavo Ribeiro e Rodrigo Rangel. O senador informou que os requerimentos foram apresentados no início das atividades da comissão e, para ele, não podem mais ter a votação adiada. Na opinião de Fernando Collor, a CPI não deve atuar com limitação de foco e investigar apenas alguns ramos da rede de relacionamento de Carlos Cachoeira. O senador afirmou que as relações entre o contraventor com setores do Ministério Público e da imprensa são “mais perniciosas do que se imagina”. Para ele, as investigações precisam atender aos interesses da sociedade e não aos de grupos midiáticos.
- Precisamos de uma verdade definitiva sobre todo esse conluio de autoridades e jornalistas que se emaranharam, que se mesclaram, que se misturaram com criminosos, tornando-se também criminosos. E essa verdade, essa rede completa de intrigas e crimes, somente virá à tona se a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito for capaz de ampliar seus horizontes de investigação, começando por ter a coragem, sem medo, de trazer o testemunho pessoal e as informações de que dispõem os membros do Ministério Público, especialmente o de seu comandante, e os ditos servidores da revista Veja envolvidos em toda esta grande tramóia, que é a organização criminosa investigada, disse Fernando Collor. Em aparte, a senadora Ana Amélia (PP-RS) ressaltou que a prática de alguns membros da Justiça e da imprensa não deve afetar a imagem dessas instituições. Na avaliação dela, a imprensa e o Ministério Público contribuem para a consolidação da democracia no país.
- Casos isolados não podem contaminar e nem prejudicar a imagem de duas instituições que têm contribuído, sim, para o país evoluir, ampliar a democracia e consolidar os princípios democráticos: a instituição da imprensa, mídia de um modo geral, e o Ministério Público como instituição. São dois pilares fundamentais para a democracia, observou Ana Amélia.

Agência Senado

Confira o pronunciamento nos vídeos a seguir: