sexta-feira, 28 de setembro de 2012

O que acontece por aí...


Ana Amélia defende aposentados e pensionistas da Aerus

A senadora Ana Amélia(PP-RS) cobrou do governo federal o cumprimento das decisões judiciais favoráveis aos  aposentados que contribuíram para o fundo de pensão Aerus, das antigas Varig e Transbrasil. A senadora criticou a Advocacia-Geral da União por recorrer das sentenças. Realmente não tem cabimento. Segundo Ana Amélia, são perto de 10 mil aposentados e pensionistas que têm direito de receber pelas contribuições que fizeram. A parlamentar gaúcha lembrou e enfatizou que a Justiça Federal aumentou a multa diária de 60 mil reais para 200 mil reais para cada dia que a União não cumprir a decisão judicial. Ana Amélia também frisou que de acordo com a decisão do Juiz Jamil de Jesus Oliveira, da 14ª Vara Federal do Distrito Federal, parte dos 400 milhões de reais devolvidos  à União pelo empresário e ex-senador Luiz Estevão, devem ser usados para quitar as indenizações dos aposentados e pensionistas do Aerus.

"Canhotinha de ouro" merece respeito de todos

Lamento, discordo e repudio, energicamente, texto de hoje, dia 28, da leitora M. Helena Borges Martins, insultando Gerson Nunes, o cerebral e inesquecível "canhotinha de ouro" do TRI. Já passou da hora de acabar com a colossal sandice de citar e lembrar a dita “lei de Gerson” quando se deseja criticar o governo ou pessoas. Gerson não pode  nem merece ser eternamente penalizado por um mero anúncio de cigarro que fez há mais de 40 anos! Aliás, Gerson não fuma mais há muitos anos. Gerson, hoje com 71 anos, é excelente pai de família, cidadão decente e trabalhador. Além de atilado comentarista esportivo. Gerson não tem nada a ver, portanto, com as canalhices públicas e privadas que assolam o Brasil. Sugiro que se troque, urgente, a  desbotada, ridícula, injusta e ultrapassada lei de Gerson para Leis usando nomes de figuras realmente atoladas em irregularidades e corrupção. Gerson é autêntico ídolo nacional, como craque que foi deu imensas alegrias ao torcedor. É homem correto e merece respeito de todos.

Música no Museu volta a Portugal


Participando da programação 2012 do  Ano do Brasil em Portugal, Música no Museu apresenta concertos em espaços de Alcobaça, Lisboa, Coimbra, Braga e Fundão a partir do dia 29 de setembro. Música no Museu, a maior Série de música clássica do Brasil, foi inaugurada em 1997 no MNBA, e é a versão brasileira do que acontece nos museus de maior expressão no mundo: Metropolitan, MoMA, Guggenhein (Nova Iorque), Louvre, Picasso, Montmartre (Paris), Gulbenkian (Lisboa), Prado (Madrid) que, a par de suas atividades principais nas artes plásticas, dedicam amplos espaços à música como elo entre as artes e os seus próprios cenários, trazendo-lhes um ganho considerável na sua densidade cultural. No Brasil, Música no Museu é uma série de concertos gratuitos que busca privilegiar a música de boa qualidade, sem distinção de procedência, escola ou época - da música medieval aos clássicos europeus, dos românticos aos impressionistas, dos modernos aos contemporâneos brasileiros, de Bach, Beethoven, Mozart e Debussy a Villa-Lobos, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha, Astor Piazzolla e Gershwin, todos já passaram pelos seus palcos, na interpretação dos melhores solistas, de grupos brasileiros e alguns internacionais. 

Depois de se consolidar no Rio de Janeiro, o projeto estendeu se para todo o Brasil nas versões Sul/Sudeste e Norte/Nordeste e, ao realizar mais de 500 concertos por ano, recebeu o título de Maior Série de Música Brasil concedido pelo Rank Brasil, a versão brasileira do Guinness Book. Nestes 15 anos de atividades já registra um público de 350.000 espectadores e que cresce mês a mês. O site www.musicanomuseu.com.br tem mais de 250.000 registros de acesso. Projeto premiado (Ordem do Mérito Cultural, Golfinho de Ouro, Cultura Viva da Unesco, Latin American Quality Awards, entre outros) inicia, em 2005, a sua incursão internacional em Paris, nas comemorações do Ano Brasil-França, sob o titulo Musique au Musée - Museée de Montmartre. Em 2008 realizou concertos em cidades de Portugal (Lisboa, Santarem, Alcobaça, Aveiro e Porto), Praga (Republica Tcheca), Nova Iorque e Washington (USA) e Paris. Em 2009 prosseguiu com concertos também em Portugal (Lisboa), mas agregando Espanha (Madrid, Salamanca) e Marrocos (Rabat). Em 2010 dá continuidade a sua programação internacional com concertos em Portugal (Lisboa), Espanha (Madrid e Bilbao), India, (Nova Delhi), França (Paris) e encerrando dia 24 de novembro no Carnegie Hall, em Nova Iorque (USA) com o programa Clássicos brasileiros: de Villa-Lobos a Tom Jobim.. Em 2011 voltou a Portugal (Lisboa), Espanha (Madrid), França (Paris) e chegou a Austrália (Sydney) e, assim, atingindo a todos os continentes, levando música e músicos brasileiros para o exterior. 

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

O que acontece por aí...


Prefeitura de Manaus comemora o Dia da Responsabi​lidade Social

No próximo sábado (29), as Instituições Particulares de Ensino Superior (IES) celebram o Dia da Responsabilidade Social no Ensino Superior Particular. Este ano, o evento está sendo coordenado pela Fundação Municipal de Inclusão Socioeducacional (FMdS), gestora do Programa Bolsa Universidade e vai acontecer na 2ª etapa do Parque dos Bilhares, com entrada pela avenida Constantino Nery. As atividades iniciam às 15h e foram distribuídas, de acordo com os projetos já desenvolvidos pelas faculdades. “Reuniremos todas as instituições privadas de ensino superior de Manaus, partícipes do Bolsa Universidade, com o objetivo de oferecer à população serviços em diversas áreas do conhecimento, além de apresentações culturais, produzidas pelos próprios universitários”, explica o professor Rony, presidente da FMdS.Os estudantes vão atuar nos estandes das faculdades e em atividades distribuídas na extensão da segunda etapa do Parque. Rony Siqueira destaca que o evento é aberto ao público de todas as idades e vai oferecer vários serviços e orientações importantes para os cidadãos. “Esperamos receber famílias de todas as áreas da cidade, numa tradução perfeita de responsabilidade social”.O evento será realizado com o apoio institucional da ABMES, Sinepe/AM, Semulsp, Semmas, Manaustrans, Manauscult, Tendas Clim, Alpes Representações e Serviços, Nilton Lins, FMF, FBN, Materdei, Literatus, Ulbra, Ciesa, Uninorte, IAES, Esbam, La Salle, Dom Bosco, Fucapi e Fametro.

Segurança na Copa

A relatora, senadora Ana Amélia( PP-RS), é favorável ao projeto que trata de crimes e infrações com o objetivo de garantir a segurança da Copa das Confederações de 2013 e da Copa do Mundo de 2014. Inicialmente a matéria será votada na Comissão de Educação, Cultura e Esporte. A seguir será debatida em mais 3 comissões técnicas.

Polícia de Brasília

O novo sistema de monitoramento da polícia de Brasília terá 1.600 câmeras de alta definição, fixas e móveis, colocadas em pontos chave do Distrito federal. Mas nada de muita animação: o sistema só começará a ser implantado em junho de 2013, e com apenas 835 câmeras.

40 anos do "Nosso Encontro"

Realmente uma façanha profissional que merece ser citada: a jornalista Baby Rizatto, da “TV A Critica” de Manaus, comemora 40 anos do programa "Nosso Encontro". O senador Alfredo Nascimento (PR-AM) registrou o acontecimento nos anais da Câmara Alta.

Abaixa a bola, Joaquim


O ministro Joaquim Barbosa, relator do mensalão, tem recebido merecidos afagos da sociedade. Por onde passa é tratado como Dom Quixote. Não demora vai ao programa da Fátima Bernardes e terá papel destacado na próxima novela das oito. Alguns setores já chamam o ministro Joaquim de Rui Barbosa. Contudo, nada justifica, a meu ver, que o ministro Barbosa trate com invulgar grosseria um colega ministro, no caso o revisor Ricardo Lewandowski, por discordar de partes do seu relatório. Exemplo lamentável e antidemocrático do ministro Barbosa, exibido ao vivo para todo o país. Barbosa não deve jamais se considerar melhor ou superior aos demais ministros. Todos os 11 ministros são iguais. Têm as mesmas tarefas, deveres e atribuições.  As recentes crises de estrelismo de Joaquim Barbosa só podem ser atribuídas ao cansaço. Nada justifica que trate os outros com destempero. Tanto que o espetáculo de verborragia de Barbosa foi prontamente repelido pelo ministro Marco Aurélio de Melo. Espera-se que quando assumir a presidência do STF em novembro, Barbosa mostre-se mais tolerante e educado com seus pares.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Eleitores de Arthur são conscientes


Os eleitores de Arthur Virgilio já nasceram prontos para enfrentar todo tipo de obstáculos na vida. Sobretudo aqueles que parecem não ter solução. Quem vota em Arthur não se intimida com sandices do timeco de desesperados que lamentavelmente quer tomar conta da política do Amazonas. O jogo político é democrático. Nele não cabe o arsenal de mentiras, covardias e sofismas. Quem vota em Arthur realmente conhece os legítimos problemas que afligem Manaus. Os eleitores de Arthur não participam dos grupelhos da farsa, da hipocrisia e da torpeza. Os eleitores do Arthur não se escondem atrás de subterfúgios e maledicências. Quem vota em Arthur não faz o jogo sujo e imoral do cinismo, da arrogância e da prepotência. Os eleitores do Arthur são conscientes e têm convicção. Jamais se amedrontam com pesquisas ordinárias e mentirosas. Sobretudo aquelas que costumam aparecer á véspera do pleito. Estas só servem para enganar, monitorar ou seduzir os chamados indecisos. O eleitor inteligente, que raciocina com a própria cabeça, não se deixa monitorar nem seduzir pelos argumentos vazios dos que não perdem a mania de se fantasiar de donos da verdade. A principal arma dos eleitores do Arthur é o voto. Dele não abrimos mão. Doa a quem doer. Vamos às urnas.

Historiador recalcado


No artigo "Adeus, Lula"(“O Globo” - 25/9) o senhor Marco Antonio Villa  resvala para o ódio e para a torpeza, insultando os ex-presidentes Sarney e Collor. O pior é que Villa se diz historiador e professor. Imagino os levianos e irresponsáveis ensinamentos que passa para seus alunos. Todo ser humano tem defeitos e virtudes. Sarney e Collor não são diferentes. Mas insistir em apenas penalizar e ridicularizar os dois ex-presidentes perante à verdadeira História Republicana, negando muitos dos benefícios que deixaram à Nação, é um colossal escárnio que o bom senso não pode tolerar.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

SUFRAMA e CBA discutem parceria com maior instituto de pesquisas biotecnológicas da Coreia do Sul


O superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, e o superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA, José Nagib, recepcionaram na manhã desta sexta-feira, no Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), uma delegação composta por quatro cientistas do Instituto de Pesquisa em Biociência e Biotecnologia da Coréia do Sul (KRIBB, na sigla em inglês). Os dirigentes da SUFRAMA, acompanhados de técnicos da autarquia e do CBA, realizaram reunião com a delegação de pesquisadores coreanos a fim de estreitar relações e discutir possibilidades de colaboração entre as partes para o potencial desenvolvimento de novos produtos e processos biotecnológicos. A reunião contou com apresentações institucionais realizadas por profissionais dos dois órgãos e terminou com a indicação favorável à assinatura de um acordo de cooperação técnica entre o CBA e o KRIBB. As partes se comprometeram a seguir discutindo e a realizar um estudo para identificar as áreas de interesse comum para o desenvolvimento de projetos. Após a reunião, os pesquisadores do KRIBB ainda realizaram uma rápida visita a laboratórios do CBA. Segundo o superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, a julgar pela missão e pelas atividades desenvolvidas atualmente pelo KRIBB, o CBA tem muito a ganhar com a colaboração do instituto coreano. "O KRIBB é o maior e mais qualificado instituto coreano para desenvolvimento de pesquisas no campo da biotecnologia. Eles desenvolvem projetos em áreas bastante semelhantes às trabalhadas pelo CBA, como alimentos funcionais e cosméticos, entre outras, e nós com certeza teremos muitos benefícios a partir da concretização desse acordo de cooperação técnica. Esse foi um primeiro passo de aproximação e da nossa parte vamos fazer o possível para que a parceria se efetive e cresça ainda mais", afirmou Nogueira. A visita dos pesquisadores do KRIBB ao CBA ocorreu principalmente em decorrência de contatos feitos pelo superintendente Thomaz Nogueira durante missão de promoção comercial da SUFRAMA, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e outros órgãos do Governo Federal à Ásia, em maio deste ano. A convite da autarquia, os cientistas estrangeiros vieram a Manaus e cumprirão até este sábado agenda oficial que inclui também visitas ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e à Reserva Florestal Adolpho Duke.

O que acontece por aí...

Sepúlveda pediu o boné

Começaram a colocar aspas na ética. Foi o suficiente para o ministro aposentado do STF, Sepúlveda Pertence, tirar o time de campo. A coisa tá feia.

Lula também fica desesperado em Manaus

Ponderei neste espaço que não fica bem para um democrata como Lula, sair feito um alucinado pelo país, fazendo campanha por autênticas malaças. E o pior, perdendo o bom senso e insultando os adversários de seus desesperados apaniguados candidatos. Lamentavelmente foi o que ocorreu em Manaus, com Lula comandando um melancólico show de baixarias, deboches e mentiras contra o tucano Arthur Virgilio, que lidera as pesquisas. Repito, as afirmações de Lula sobre Virgilio são levianas, irresponsáveis e torpes. Não será agredindo Arthur Virgilio ou outros candidatos adversários do governo federal que Lula conseguirá oxigenar seus aliados e, muito menos vencer as eleições. Agindo assim, feito maluco e destemperado em palanques, Lula somente mancha sua biografia política.

Muita Mala para Lula carregar

Coitado do Lula, vestido de bombeiro é chamado para apagar o fogo dos adversários em diversas capitais. Vai acabar ficando doente novamente. No mínimo intoxicado com a fumaça e as labaredas dos candidatos que literalmente estão incendiando as campanhas de aliados do governo. Lula precisa saber que não pode ganhar todas as eleições. O ex-presidente tem a missão quase impossível de ajudar a oxigenar candidaturas que não saem do lugar, como em Salvador, Recife, Teresina e Manaus. Martha Suplicy garante que Lula é deus. Mas até Ele, o Todo Poderoso do Universo, precisa de férias. Não fica bem para um ex-presidente democrata como Lula, afirmar, enfaticamente, que derrotar o tucano Arthur Virgilio em Manaus é questão de honra para ele. Arrogância, prepotência e intimidação não deveriam fazer parte das características de vida de Lula. O Brasil não vai parar de crescer com eventuais vitórias em outubro de adversários do governo. Ganhar em política é sempre bom. Mas saber perder também engrandece.

Em Manaus matam para intimidar

Covardões e canalhas assassinaram em Manaus o valoroso Aldemir Feitosa, um dos coordenadores da campanha do candidato Arthur Virgílio. É o jogo torpe e repugnante dos desesperados. Deram mais um tiro no próprio pé.

Larga o cargo e vai abrir o verbo no boteco!

O torcedor tem razão. Até mesmo quando vaia e xinga. Sobretudo quando a seleção é ruim, o técnico é incompetente e o diretor de seleções da CBF, um tal de Andrés Sanches, é um boçal destemperado. Soube da última pérola dele? Torcendo para o Palmeiras ser rebaixado. Então larga o cargo, bota o chinelo e a bermuda e vai abrir o verbo no boteco! A vaia mexe com os brios de todo jogador que se preze. Estes jovens e mascarados milionários precisam ter garra, personalidade e orgulho para vestir e honrar a amarelinha penta campeão do mundo. Precisam se espelhar em craques eternos, como Gerson, Rivelino, Pelé, Tostão, Zico, Nilton Santos, Garrincha, e deixar de fricotes. 

Pesquisas Estranhas

Na semana passada, Lula fez comício em Manaus e insultou e xingou o tucano Arthur Virgilio, que lidera as pesquisas na cidade. A senadora Vanessa, aliada do ex-presidente, foi na onda e bateu em Fernando Henrique Cardoso, e o líder do governo no Senado, Eduardo Braga, por sua vez, lançou farpas na imprensa. Na sexta-feira, caiu do céu o resultado engraçadíssimo da receita lulista: Arthur já foi ultrapassado por Vanessa. Os petistas são geniais. Mesmo com o mensalão demolindo e desmoralizando o quintal, a alma e o coração deles. Ainda bem que agora o eleitor despreza e não se intimida mais com o terrorismo do "cara" e seguidores.

Minha carta para Marin

“Amigo Marin, parabéns ao Rodrigo Paiva (não sei o e-mail dele e mesmo se soubesse não responderia, é sujeito muito importante) pela boa, firme e esclarecedora carta para a pornográfica "veja", retrucando bobagens do Aldo. Gosto muito dele, mas perdeu boa oportunidade de ficar calado. Mas político é assim mesmo. Com raríssimas exceções, Collor é uma delas!!! Têm medo da revistinha insolente e franciscana de araque. Abraços do Limongi”

Indicado novo ministro para o Superior Tribunal Militar

Já chegou ao Senado a mensagem presidencial indicando o general de Exército Lúcio Mário de Barros Góes para ministro do Superior Tribunal Militar. O general será sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça. Para sua indicação ser aprovada precisa passar também no plenário. O general Lúcio foi indicado por Dilma para a vaga do general Francisco José da Silva Fernandes, que atingiu a compulsória. O STM é composto por 15 ministros vitalícios, nomeados pelo Presidente da República, depois da aprovação do Senado. Entre eles, 5 são civis e dez, militares, sendo 3 oficiais-generais do Exército e 3 oficiais-generais da Aeronáutica. Todos da ativa e do posto mais elevado da carreira.

Fim da farra de bandido

Projeto da senadora gaúcha Ana Amélia, do PP, estabelece que a saída temporária de presos ocorra apenas uma vez por ano, além de ser concedida somente aos detentos primários. A proposta aguarda relator na CCJ. 

Crise lá fora

A Red Bull suspendeu por dois anos a decisão, já aprovada pela Suframa, de abrir fábrica no pólo de Manaus. Motivo: a crise econômica que atinge a Europa. A empresa pediu prazo até dezembro de 2013 para retomar os planos.

Linhas de crédito

O pólo de duas rodas da Zona Franca de Manaus recebeu sinalização positiva para o fim da crise. Os bancos se comprometeram a apresentar, em 10 dias, novas linhas de crédito para compra de motocicletas.

Combate ao câncer.
A Associação dos Servidores Inativos e Pensionistas do Senado promove, próximo dia 3, na Confeitaria Suiça Praliné, chá em beneficio da rede Feminina de combate ao câncer.

Direito à Cidadania

O senador Fernando Collor(PTB-AL) apresentou PEC propondo que servidores públicos de empresas estatais e de economia mista possam reconquistar o direito de exercer cargos eletivos sem perder o vinculo de trabalho. O relator da iniciativa na CCJ, senador Pedro Taques(PDT-MT), concorda.

Comunista verdadeira não deveria negar ligação com Sarney


Por Said Barbosa Dib

O grande problema da Federação, num país continental, é quando as lutas locais obrigam os políticos a abrirem mão dos princípios e dos interesses nacionais. Causa estranheza, por exemplo, a declaração do bom senador Ignácio Arruda de que “Não temos nenhuma ligação com Sarney!", publicada no jornal O Povo, em 17 de setembro de 2012. O senador é militante histórico do PCdoB, partido perseguido durante o período militar, colocado na clandestinidade. Graças a Sarney, foi recolocado na legalidade.  E durante sessão solene conjunta do Congresso Nacional, lembrando os 90 anos de fundação do PCdoB, em março de 2012, Ignácio Arruda foi um dos que mais – e melhor - destacaram o papel decisivo do político maranhense no processo.  Em pronunciamento muito bem feito, fez questão de lembrar que foi o presidente Sarney quem garantiu isso ao PCdoB, ao receber Giocondo Dias, João Amazonas e outros líderes da esquerda no Palácio do Planalto, algo que nem Tancredo cogitava fazer, por medo de reação de setores da chamada ‘Linha Dura’. Disse que foi um ato simbólico importante para a transição democrática. Mas Inácio Arruda, como comunista histórico, já havia se mostrado grato a Sarney em outro pronunciamento. Elogiou a postura corajosa e decisiva de Sarney, em 10/12/2008, quando descreveu de forma emocionada o fato histórico que permitiu a legalização do PCdoB: “Foi nesse período que o Partido Comunista do Brasil alcançou a sua legalidade, num ato também extraordinário do Presidente Sarney. João Amazonas, presidente do nosso Partido, sempre se referia a esse aspecto. Que num gesto só – porque era preciso uma emenda constitucional para legalizar os partidos que estavam proscritos no nosso País –, o Presidente Sarney, dizendo ´puxa vida, mas esse Congresso é muito conservador; ele derrotou as diretas, se eu mandar uma emenda constitucional para lá ele vai derrotá-la, e vai ficar o embaraço; então, vamos encontrar um meio`. Convidou então João Amazonas para ir a Palácio e colocou lá os Dragões da Independência. João Amazonas queria entrar no Palácio ali por baixo, e o Sarney disse: ´Não, vai subir a rampa. Tem de parar lá na avenida, subir a rampa, atravessar os Dragões, e os Dragões da Independência postados para subir o João Amazonas`. E ia junto com Haroldo Lima, que era Líder do Partido, que era Vice-Líder do PMDB. E o Haroldo Lima, levando ali o João Amazonas, e o João Amazonas olhava assim para trás, para os Dragões da Independência, e dizia: ´Mas, Haroldo, nós estamos subindo no canto errado. Não pode ser este lugar aqui. Aqui é o Presidente`. E o Haroldo disse: ´Não, mas o Presidente deu a ordem de que tem que subir por aqui´. E abriu a porta do Gabinete da Presidência da República, mandou entrar todos os jornalistas e anunciou que todos os partidos políticos proscritos estavam legalizados. E ponto. Não teve emenda, não teve lei, não teve nada. Legalizou os partidos dessa forma. E, assim, entramos na eleição de 1986 já com o partido legalizado". Ignácio tá certo. Como comunista, como brasileiro, que ama a democracia, mostra que sua vida tem, sim, ligação com Sarney. Sarney que restabeleceu, ainda, eleições diretas nos antigos municípios de segurança nacional. Logo em seguida convocou a Assembléia Constituinte. Nos cinco anos de seu governo as instituições foram solidificadas. As eleições se sucederam em absoluta tranqüilidade. A imprensa nunca foi tão livre. "A sociedade encontrou o caminho da democracia que não se esgota na eleição de seus representantes, mas se prolonga na consciência de cidadania. Pela primeira vez o brasileiro considerou-se cidadão, senhor de seus direitos, capaz de por eles se manifestar e exigir", nas palavras do próprio presidente Sarney. E por tudo isso, atualmente, sob a bandeira de “um Brasil socialista, um país verdadeiramente democrático e soberano”, o PCdoB conta com dois senadores – o próprio Inácio Arruda (CE) e Vanessa Grazziotin (AM) –, 14 deputados federais, 18 deputados estaduais, 42 prefeitos e 608 vereadores. O partido apoiou todas as candidaturas à Presidência da República de Luiz Inácio Lula da Silva desde 1989. Como Sarney, faz parte da base do governo Dilma Rousseff. É representado no governo pelo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo. Tudo isso, senador Ignácio, tem muito que ver com Sarney, sim.

 


Said Barbosa Dib é historiador e analista político em Brasília

Concessões na comunicação na “Nova República: comentários necessários

Por Said Barbosa Dib

O preço de se ter sucesso é grande e doloroso. José Sarney foi governador, deputado e senador pelo Maranhão, presidente da República em momento difícil, senador do Amapá por três mandatos consecutivos, presidente do Senado Federal por três vezes. Tudo isso, sempre eleito. São mais de 50 anos de vida pública. É, ainda, acadêmico da Academia Brasileira de Letras (desde 1981) e da Academia das Ciências de Lisboa. Isto é sucesso real. E toda vez que algum tolo de plantão quer se fazer crível, bate em quem? Claro: em Sarney. Na matéria “Briga de siglas por igrejas é palmo a palmo”, do “O Estado de S.Paulo”, assinada por Roldão Arruda, o espertalhão da vez, o sociólogo Ricardo Mariano, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, mostra que seus títulos não servem para muita coisa: "Eles ajudaram José Sarney a estender seu mandato para cinco anos em troca de concessões na área de comunicação. Em seguida deram apoio maciço a Fernando Collor de Mello no segundo turno das eleições de 1989, contra a candidatura lulopetista (...)." Mentira. Este foi – e continua sendo... -  um dos maiores erros da mídia, no Brasil. Passaram ao público a idéia de que Sarney teria prorrogado seu poder em um ano quando, na verdade, abdicou de um ano. Seu mandato, firmado no termo de posse assinado pela mesa do Congresso, em função da lei então vigente, expirava em 1991, no mês de março. Era, portanto, um mandato de seis anos, como fora previsto o do presidente Figueiredo. Mas, para pacificar o ambiente, já tumultuado pelo açodamento de alguns candidatos a sua sucessão, Sarney, sempre um conciliador, declarou que “aceitava a fórmula de cinco anos". Ou seja, não ganhou mais um ano. Pelo contrário, com patriotismo e abnegação, abriu mão de um ano em benefício da estabilidade política. Foi aí que os espertalhões de sempre se aproveitaram para desencadear a campanha pelos quatro anos. Em entrevista concedida em janeiro de 2001, a Benedito Buzar, Sarney desabafou: “eu cometi um erro, confesso! Devia ter ficado calado. Caso a Constituinte fixasse meu mandato em quatro anos, bastaria ir ao Supremo, que confirmaria os seis, pelo direito adquirido pelo diploma que me outorgaram. Mas nossa preocupação não era essa, era com o Brasil, que passava um momento delicado de transição democrática”. E quanto às concessões? O que os mal-intencionados não querem entender é que, saindo de uma ditadura de mais de vinte anos, onde o controle ferrenho sobre os veículos de comunicação – e as forças democráticas - era uma realidade, os membros da oposição peemedebista estavam totalmente alijados da mídia pelos militares. Durante a ditadura as concessões foram praticamente congeladas. Por isso, naquele momento delicado de transição democrática, havia a necessidade de se acertar as desigualdades provocadas pela ditadura. Era necessário reconstruir a imprensa livre no País. A “panela de pressão” das forças democráticas explodiu. Era burrice não ceder. Nada mais normal do que dar vez e voz àqueles que durante mais de vinte anos lutaram contra o arbítrio. Não uma “troca de concessões na área de comunicação”, mas a atualização do sistema de comunicação para aqueles que enfrentaram a ditadura e que tinham sido calados e marginalizados por isso. Eram membros do PMDB, aliados históricos de Tancredo, não de Sarney. O mesmo PMDB que foi eleito à custa da popularidade do Plano Cruzado para a Constituinte e que, ao final do governo Sarney, deu as costas ao presidente. Mas esta é uma outra história. A verdade é que, quando se quer arranhar a figura de um político, alguns meões não medem esforços. Como já se disse, “no jornalismo o tecido atingido pela calúnia não se regenera”. As feridas abertas pela difamação não cicatrizam. A retratação nunca tem o mesmo espaço das acusações. E, mesmo que tivesse, a credibilidade do injustiçado nunca é restituída na mesma proporção, pois a mentira fica marcada no imaginário popular. Construíram e associaram, tendenciosamente, dois fatos isolados que se passaram durante a Nova República, mas que não tinham relação de causa e efeito entre si. A relação, ideologicamente construída, entre mandato de Sarney e concessões na comunicação, não passa de mau jornalismo que apenas ajuda os interesses das transnacionais estrangeiras que querem desagregar as instituições políticas brasileiras, pois querem fazer com que o povão tenha ódio de seus políticos eleitos e efetivamente admirados. Sentimento perigoso que, segundo o romano Publio Siro, "só o homem corajoso ou o bem sucedido pode suportar”.

Said Barbosa Dib é historiador e analista político em Brasília

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Atenção prezados leitores (as):


O Blog do Limongi ficará, nos próximos dias, sem a devida atualização. O responsável por esta função está sob tratamento médico, com problema de coluna. Tão logo melhore, voltaremos com as atualizações normais.

Obrigado pela compreensão,

Vicente Limongi Netto

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

O que acontece por aí...


CPI para o Ovo

Lamentável a pantomima em torno do ovo que atingiu em cheio o rosto da candidata á prefeitura de Manaus. São fortes indícios do desespero diante da derrota que se aproxima. Os alquimistas da senadora arrancam os cabelos para tornar a candidata a única política do mundo atingida por um ovo. Logo o ovo. Ovo é bom na farofa ou na salada. Jogaram dinheiro fora. Partidários da senadora e ela própria abriram o verbo no Plenário do Senado. Alguns mais açodados sugerem periciar o bendito ovo. Passar o aspirador nos cabelos da senadora para tentar juntar os pedaços da casca e da gema. As claras atingiram o rosto. Não podem ser recuperadas porque se misturaram com a forte maquiagem da candidata. Os sábios da senadora estão otimistas: vão congelar as cascas e o que restou da gema e pedir uma CPI no Congresso Nacional. Há quem garanta que nas cascas do famoso ovo serão identificadas as digitais do arremessador de ovos, que desde já é cotado para as olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. É a primeira vez, em todo o Brasil, que um ovo se torna o astro principal de uma campanha eleitoral. Depois de restaurado, o coitado vai ser exibido no programa do Ratinho e no Datena. Com a senadora presente e uma diligente equipe de veterinários para controlar a pressão do ovo. Para evitar que ele vire gemada. O ovo guerreiro será guardado numa redoma e exibido pelo Brasil. De repente poderá também ser lançado nas eleições de 2014. Ou virar mascote da Copa do Mundo.

Volta Logo, Ganso

Todos que gostam do bom futebol esperam que chegue a um final feliz a situação profissional do talentoso jogador Paulo Henrique Ganso. Ganso precisa voltar a jogar seu belo futebol, que encanta os torcedores. Ganso tem lugar garantido em qualquer clube do mundo e também na Seleção brasileira. Apenas precisa definir sua vida profissional. No Santos já se sabe que acabou o ciclo do Ganso. Na Vila Belmiro, Ganso viveu momentos magistrais da sua carreira. Com Neymar e companhia conquistou títulos importantes para o clube do "Rei" Pelé. É hora do Ganso partir para novos desafios. Com a cabeça erguida, sem mágoas ou ressentimentos. A vida do jogador de futebol é curta. Ganso, portanto, faz muito bem em lutar por aquilo que julgar melhor para sua carreira. Idiotas que criticam Ganso não sabem de nada. Nunca jogaram futebol na vida. Que Ganso cuide bem de si. E volte com toda alegria a brilhar nos gramados, com seu futebol vistoso e inteligente. A bola também sente muita falta do Ganso.

Dilma quer saber: tem “mensalinho” no Porto de Santos?

A Presidente Dilma Rouseff, demonstrando competência e capacidade, está tomando atitudes importantes para reduzir o custo Brasil. Foi corajosa na redução das taxas de juros, na desoneração da folha de pagamentos para alguns setores, nos incentivos fiscais para indústrias automobilísticas e linha branca, com muito conhecimento de causa por ter sido Ministra de Minas e Energia. Está forçando a redução das tarifas sobre fornecimento de energia. Outro ponto importante que está sendo atacado pela Presidente é a questão dos portos. O Porto de Santos, que apresenta inúmeros problemas hoje, tem uma diretoria altamente comprometida com políticos. Já é certo no gabinete da Presidência que a diretoria inteira deverá ser substituída, apesar do apadrinhamento de um deputado de São Paulo. Corre notícias no Palácio de que existe um “mensalinho” que faz a alegria de alguns apadrinhados.

Greve no serviço público

O Palácio do Planalto pretende encaminhar em outubro o projeto de lei que regulamenta a greve no serviço público. Com base em duas minutas de anteprojeto, a equipe da presidenta Dilma discute o tema para consolidar o texto. O vice-líder do governo no Senado, Gim Argello(PTB-DF), confirma o encaminhamento da matéria ao Congresso logo depois das eleições. Como se trata de tema "extremamente polêmico", salienta Argello, só em 2013 os parlamentares deverão iniciar os debates. Para o senador Gim, até meados do ano a iniciativa deverá ser aprovada

Passando dos limites

Segunda-feira, no “O Globo”, o canalhão Noblat novamente insulta Sarney, Collor e Renan. Faz longo comentário sobre o PIG - partido da imprensa golpista, etc. Fala monte de bobagens, a pretexto de bajular Joaquim Barbosa. No tópico "sem audiência, para que sustentar o PIG?"....  "Collor, Sarney, Renan, toda essa gente conta com a ajuda do PIG quando lhe apertam os calos". É ou não é um grandíssimo filho da puta? Em nenhum momento, mesmo porque são democratas convictos, Collor, Sarney e Renan precisaram do tal PIG para se defender ou tomar posições pessoais ou pela coletividade. Renan foi ministro da justiça de FHC, Collor e Sarney, ex-presidentes democratas. Collor poderia até fechar o Congresso, se fosse golpista e seguisse conselhos dos verdadeiros golpistas. Esse Noblat calhorda já passou dos limites! 

Saldo positivo

A produção de motocicletas no Pólo de Manaus fechou o mês de agosto com saldo positivo. Foram fabricadas 178.084 motos, 134,8% mais do que em julho.

Obras Públicas

A editora Fórum lança no próximo dia 25, o livro "Obras Públicas", de Valmir Campelo e Rafael Jardim Cavalcante. A partir das 18 horas, no hall de entrada do Tribunal de Contas da União.

Senado aprova free shops nas fronteiras


O projeto que autoriza a instalação de lojas francas nos municípios de fronteira, permitindo a venda de mercadoria nacional ou estrangeira, nos municípios caracterizados como cidades gêmeas de cidades estrangeiras na linha de fronteira, foi aprovado pelo Senado. A matéria foi relatada pela senadora Ana Amélia (PP-RS), que defendeu a aprovação na tribuna do Senado. O projeto retorna agora à Câmara dos Deputados, onde será votado em Plenário, e depois segue para sanção presidencial e regulamentação do Governo e da Receita Federal. Entre as alterações feitas está a retirada do artigo que prevê a adoção do Regime Aduaneiro Especial de Exportação pelo Varejo Nacional (EVN), o qual prevê a restituição de impostos ao turista estrangeiro antes de sua volta a seu país.
Ao destacar a importância da aprovação do projeto, Ana Amélia afirmou que muitas cidades fronteiriças sofrem concorrência desleal por não contarem com as lojas francas, já existentes nas cidades dos países vizinhos.
- No Rio Grande do Sul, se você atravessar uma rua, vai ver a diferença do lado uruguaio, onde as cidades estão crescendo e as nossas empobrecendo, fechando lojas, empregos. Não há uma política de desenvolvimento para as cidades da região de fronteira e esse projeto é fundamental - avaliou a senadora.
No Brasil, 28 municípios serão contemplados. Dez deles no Rio Grande do Sul: Chuí, Santana do Livramento, Uruguaiana, Quarai, Aceguá, São Borja, Itaqui, Jaguarão, Porto Xavier e Barra do Quarai. O projeto autoriza o Poder Executivo a instalar as lojas francas e caberá à Receita Federal e aos demais órgãos competentes estabelecer a regulamentação do funcionamento delas.

Agência Senado

Fim de 'guerra fiscal' deve causar sérios problemas ao modelo Zona Franca de Manaus


Entre as questões em pauta está a unificação da alíquota do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).O vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, informou que a entidade tem discutido o assunto em Brasília

Renata Magnenti/ Portal A Critica

A Comissão Especial de Pacto Federativo, instituída pelo presidente do Senado, José Sarney, e composta por 14 especialistas, apresenta até o fim deste mês o anteprojeto que prevê o fim da "guerra fiscal". Entretanto, o que aparentemente trará "paz" aos Estados deve causar sérios problemas ao modelo Zona Franca de Manaus (ZFM), segundo a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), o Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) e o próprio consultor econômico do Senado, José Patrocínio. Entre as questões em pauta estão a unificação da alíquota do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e autonomia dos Estados em fazer uso desse imposto sem a necessidade de aprovação unânime do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). A comissão, que é presidida pelo ex-ministro do Superior Tribunal Federal (STF) e da Defesa, Nelson Jobim, e que tem como relator o ex-secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, deve sugerir, entre outras coisas, a unificação do ICMS - fala-se numa alíquota única de 4%. Hoje, a maior parte dos Estados das Regiões Sul e Sudeste têm alíquotas de 7%. Enquanto que, no restante do País, se pratica alíquota de 12%. Outra proposta em discussão é quanto a não obrigatoriedade de aprovação unânime junto ao Confaz para os Estados deliberarem sobre incentivos fiscais por meio do ICMS. De acordo com a Constituição Brasileira de 1988, apenas o Amazonas, por conta da excepcionalidade fiscal na qual se assenta a Zona Franca de Manaus (ZFM), tem autonomia para criar incentivos via ICMS.

Indústria

O vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, informou que a entidade tem discutido o assunto com representantes locais e em Brasília. "O que custa para muitos entender é que a ZFM está amparada por lei constitucional para conceder benefícios diferenciados", afirmou Azevedo. "Nossa maior preocupação é quanto à possibilidade deste anteprojeto se tornar projeto e vir a ser aprovado. Como ficará nossa vantagem comparativa em relação aos demais Estados?", afirmou o diretor executivo do Cieam, Ronaldo Mota. A reportagem tentou contato com o relator da comissão, Everardo Maciel, e com o integrante e jurista Paulo de Barros Carvalho, mas não teve retorno até o fechamento da edição. A assessoria de imprensa do Senado informou que o ex-ministro Nelson Jobim não quer que ninguém fale com a imprensa até que se tenha um relatório final e que há uma reunião da comissão marcada para o dia 1º de outubro.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Após reunião, Gim Argello apóia reivindicações dos servidores


O senador Gim Argello (PTB-DF) acompanhou os representantes dos servidores do Congresso Nacional em reunião com Dóris Marize Peixoto, Diretora-Geral do Senado, para discutir o aumento de 15,8% oferecido pelo Executivo. Na ocasião, estavam presentes Nilton Paixão, presidente do Sindilegis, e Petrus Elesbão, presidente da Assefe. Gim foi o principal interlocutor entre os representantes do Sindilegis e da Assefe junto à Mesa Diretora do Senado, que aprovou o aumento. O reajuste, escalonado em três anos, foi estendido aos servidores da Câmara dos Deputados e do Tribunal de Contas da União. Gim Argello colocou-se, mais uma vez, à disposição dos servidores do Poder Legislativo e do TCU para trabalhar pela aprovação dos respectivos planos de carreira.

Olho vivo, eleitores


Atenção, eleitores; a decisão de Dilma em reduzir valores das contas de luz, para consumidores e indústrias, beneficiará a todos. Indistintamente. A conta de energia elétrica vai baixar para todo mundo. E não apenas para segmentos do manjado  terrorismo eleitoreiro. Certo? Que fique bem claro.  Como de hábito, alguns tentarão alterar os fatos, em favor, evidente, de seus candidatos. Portanto, olho vivo. Não caiam no canto de taquara rachado dos fariseus de plantão.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Deu na Coluna do ARI CUNHA - Visto, Lido e Ouvido

União

Inegável a participação popular brasileira na exigência de direitos, com o Código do Consumidor debaixo do braço. Agora os “fiscais do Sarney” têm fundamentação para reclamar direitos.

Mano é irrecuperável


Entre tantos brucutus convocados e deixando de fora o melhor jogador atualmente do campeonato brasileiro, Ronaldo Gaúcho, o "treinador" Mano Menezes castiga o torcedor que gosta do bom futebol e mostra, mais uma vez, que não sabe nada. Não passa de um arrogante e pretensioso distribuidor de camisas. Já que chamou tantas malaças para os dois amistosos contra os argentinos, seria mais prático se convocasse logo o time inteiro do Corinthians. Outro escárnio colossal de Mano Menezes, não convocou Fred, o artilheiro isolado do brasileirão. Fred foi punido porque há dias disse algumas verdades irretrucáveis sobre o fantástico Mano Menezes. Se José Maria Marin não tomar cuidado, não zelar pessoalmente pelos destinos da Seleção brasileira, corremos sério risco de fracasso dentro do Brasil, na Copa de 2014. O que seria um imenso fiasco e vexame histórico, prejudicando e arruinando também a  excelente gestão de Marin no comando da CBF. O torcedor tem sempre razão. Mesmo quando vaia e xinga. Reitero, Marin, manda Mano embora. A bola, o torcedor, o bom senso, a alegria e os deuses do futebol agradecerão.

José Sarney


São Luís, meu amor

Cidade da minha mocidade, da minha adolescência, da minha maturidade, da minha velhice, da minha eternidade, dos meus sonhos, das minhas paixões, das minhas flores abertas para a alegria e murchas para as tristezas, do meu destino. Graça de Deus estar contigo nestes 400 Anos para celebrar, para relembrar as várias cidades de São Luís que conheci e que desapareceram comigo nos diversos tempos da minha vida. A primeira chegada, aos cinco anos, na canoa de remo na Rampa Campos Melo, saltando da Filha de São Bento, de pano azul mágico que até hoje brilha na minha lembrança, do Mestre Braulino, deslumbrado com a luz elétrica, com o bonde, com os sobrados. Onde está? Morreu e somente sobrevive dentro de mim. A outra São Luís que quase não vi chegando de noite no trem puxado pela locomotiva 29, que no embalo dos trilhos nos adormecia, na velha estação que ainda resiste, como um fantasma solitário dos meus 10 anos, para iniciar este caminho que me trouxe até aqui. A São Luís da Praça Gonçalves Dias, Tribuzi, Lucy Teixeira, Floriano, Bello Parga, noite alta e nós recitando “Se se morre de amor”, “Enfim de te vejo! – enfim posso/ Curvado a teus pés, dizer-te/ Que não cessei de querer-te/ Pesar de quando sofri.” O romantismo dos jovens daquele tempo já misturados com Fernando Pessoa e José Régio. A São Luís do Liceu das moças de saia azul e blusa branca, Regina, Maria da Graça Jorge, Waltelina, Dayse, Djanira, Elimar e de tantas amigas; Cabral, Silvio, Oldemar, Carlos Alberto, Chafi e dos mestres Mata Roma, Nascimento Morais, padre Newton, professora Maria de Jesus, Nina e todos. Ah! Liceu do meu tempo, uma saudade que dói. Os meus primeiros versos, os meus primeiros discursos, minha vida do Imparcial, Sabóia, Emanuel, Bandeira, Azoubel… até o mar grande em que naveguei o meu destino, mas sempre teu apaixonado, uma devoção de todo dia. Ver-te agora, rica, bela, diferente, espraiada, dos arranha-céus e do primeiro milhão de habitantes. Eu que te amei velha, renovo o amor na vontade de voltar no tempo e ficar contigo na eternidade entre cantigas e sonhos de infância e possuir-te, despojada, nua e bela, nas carícias de um amor de paixões, como se fosse a primeira noite, entre cheiro de jasmins e estrelas brancas que se abrem nas madrugadas. Andar em tuas ruas desertas, sentar nas escadas dos teus casarões, procurar desvendar teus mistérios, teus sortilégios e fugir dos teus fantasmas. Molhar-me em tuas tempestades, sentir teus ventos que vêm do mar, tuas praias, tuas árvores, teu povo, gente que tem gosto de cravo e canela, mulatas, morenas, brancas, índias, pretas, cafusas e homens de faca e picardia, o gingado macio de quem sabe ser bom e bravo. Quero voltar a te ver, reconhecer teus caminhos. Começar pelo Largo do Carmo, descer o Beco do Quebra Costas, andar pela Praia Grande, ver as velas coloridas de nossos veleiros, ir ao Desterro, ao Mercado, à fonte do Ribeirão e à das Pedras, às ruas que são poemas: do Sol, da Alegria, da Saudade, do Alecrim, da Misericórdia, das Hortas, da Paz, da Palma, do Apicum, das Mercês, da Madre de Deus, da Estrela, do Giz, do João do Vale, das Crioulas, dos Remédios, ao Canto da Viração, visitar tuas igrejas, sentir a alma da cidade no reboliço dos andantes, a zoada, o tumulto dos automóveis, ir às praias, comer coisas que se serve no céu em dias de glória, o arroz de cuxá, as caldeiradas, cozinha dos mariscos, portuguesa, árabe, do sertão e as invenções dos beberes e comeres do Maranhão. Beber tiquira e guaraná Jesus, tomar os sucos e os sorvetes de bacuri, cupu, juçara, cajazinho, refrescar com água de coco, picolé de coco, comer sapoti, abricó, bananas de S. Tomé e, à noite, encontrar a cidade bela, calada, sensual. É aí que ela se revela, é possível ver fantasmas de moças nas janelas, carruagens que andam pela eternidade e, chegando na Beira-Mar, ver uma luz de longe: é capaz de ser o navio de dom Sebastião, rei de Portugal, que desapareceu nas areais de Alcácer-Quibir e veio encantar-se nos mares e lençóis do Maranhão. A cidade cheira a poesia e cravo, com suas ladeiras de histórias e lendas, que falam de heróis, santos e punhais. Da luta das palavras, de poetas jogando lenços e sonetos nas lajes frias de cantaria, além da paixão sem fronteiras das lutas políticas remoendo pelas praças, sagas em que mulheres escreviam ordens em cartas de sangue. Pois não é o carro de dona Ana Jansen que assombra as madrugadas desertas destas ladeiras? E a Baronesa de Grajaú, toda de preto, acompanhada de damas nobres, sobe as escadas, rangendo as tábuas, que repetem o gemido dos escravos enforcados? Aqui, o mistério, a história e a lenda dançam juntos. Cidade que dizia Vieira estar no Velho Testamento de Isaias, cidade de heróis expulsando os holandeses, de Bequimão enforcado pelo primeiro grito de liberdade do Brasil, o negro Cosme, também enforcado, lutando pela liberdade dos escravos. Cidade onde passaram todos os grandes nomes da história do Brasil, de Caxias e Tamandaré, até o mártir Malagrida e a voz de fogo do padre Vieira que pode ser ouvida em Santo Antônio e no Convento das Mercês. Cidade nunca dominada por ninguém, livre e bela, com nossa Senhora da Vitória, do lado de fora, na Sé, mostrando a todos que é ela o símbolo e a glória de um povo bom, generoso e cheio de ternura. O que posso te dar nesta data? A renovação do amor de sempre. Milhões de flores, milênios de beijos e no futuro infinito ser um grão de pó de teu solo numa paixão de vulcões.

José Sarney foi governador, deputado e senador pelo Maranhão, presidente da República, senador do Amapá por três mandatos consecutivos, presidente do Senado Federal por três vezes. Tudo isso, sempre eleito. São 55 anos de vida pública. É também acadêmico da Academia Brasileira de Letras (desde 1981) e da Academia das Ciências de Lisboa.
jose-sarney@uol.com.br 





Dilma quer mudar chefia nos portos públicos


Folha de S. Paulo/ Dimmi Amora e Natuza Nery

O governo quer tirar dos cargos-chave das Companhias Docas --que gerenciam os principais portos públicos-- os indicados políticos. A Folha apurou que a presidente Dilma Rousseff quer nomear dirigentes técnicos, em modelo semelhante ao da Petrobras e do setor elétrico. A mudança é considerada essencial para viabilizar plano de investimentos no setor, visto como um dos principais gargalos de infraestrutura. As Docas alugam áreas do porto para empresas privadas, que constroem terminais para movimentar cargas. A avaliação é que as administradoras dos portos cobram mal e investem pouco. A prerrogativa de autorizar a construção de novos terminais e portos será transferida para a Secretaria de Portos e para a EPL (Empresa de Planejamento e Logística). O governo também vai permitir que portos privados possam transportar maior proporção de carga de terceiros.


Clique na imagem para ampliá-la

Amazonino terá alta médica quinta-feira

BOLETIM MÉDICO
11/09/2012
19h35

O prefeito de Manaus, Sr. Amazonino Armando Mendes, internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, foi submetido hoje (11/09) à angioplastia (com colocação de stent em uma das artérias coronárias), conforme previamente planejado. O procedimento ocorreu dentro da normalidade e o paciente passa bem. As equipes médicas que o acompanham são coordenadas pelos Profs. Drs. Raul Cutait, Roberto Kalil Filho, Paulo Cesar Ayroza Galvão, Ricardo Botticini Peres e Fábio Jatene.

Dr. Antonio Carlos Onofre de Lira        Dr. Paulo Cesar Ayroza Galvão
Diretor Técnico Hospitalar                    Diretor Clínico

Fechado acordo para votar PL dos Free Shops nesta quarta-feira no Senado


O projeto de lei (PLC 11/2012) que autoriza a instalação de lojas francas nos municípios de fronteira, permitindo a venda de mercadoria nacional ou estrangeira, nos municípios caracterizados como cidades gêmeas de cidades estrangeiras na linha de fronteira, será votado nesta quarta-feira (12) no Senado. A definição ocorreu em reunião com a presença da relatora da matéria, senadora Ana Amélia (PP-RS), do presidente da Câmara e autor da iniciativa, deputado Marco Maia (PT-RS). A matéria será analisada inicialmente na Comissão de Assuntos Econômicos, a partir das 11h, sob a relatoria da senadora Ana Amélia, onde deverá ser aprovada com emenda suprimindo o artigo que prevê a adoção do Regime Aduaneiro Especial de Exportação pelo Varejo Nacional (EVN), o qual prevê a restituição de impostos ao turista estrangeiro antes de sua volta a seu país. Depois disso, conforme acordo feito na reunião desta terça-feira, a matéria será votada em Plenário, possivelmente ainda na quarta-feira, conforme entendimento dos líderes, para ser apreciada na próxima semana no Plenário da Câmara dos Deputados. A senadora Ana Amélia destacou o esforço do presidente da Câmara, Marco Maia e o entendimento buscado pelos senadores Delcídio Amaral (PT-MS), presidente da CAE, e Eduardo Braga, líder do governo, para chegar a essa definição. O projeto é considerado essencial pela parlamentar para ajudar no desenvolvimento das regiões de fronteira, hoje desassistidas.
- As cidades do outro lado da fronteira, que possuem regimes tributários diferenciados e mais favoráveis, atraem brasileiros de toda a região, que deixam de comprar no Brasil para lá adquirir uma grande variedade de bens. Muitas pessoas perderam o emprego e a situação dos comerciantes brasileiros é complicada. – avalia a senadora.
O coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Implantação dos Free Shops nas Cidades Gêmeas de Fronteira, deputado Frederico Antunes, e lideranças gaúchas têm acompanhado o processo para sensibilizar os parlamentares em relação à importância da matéria. No Brasil, 28 municípios terão a possibilidade de instalar free shops. Dez deles no Rio Grande do Sul: Chuí, Santana do Livramento, Uruguaiana, Quarai, Aceguá, São Borja, Itaqui, Jaguarão, Porto Xavier e Barra do Quarai.

TRE acata pedido de Vanessa para tirar propaganda do PR do ar


O candidato do PR à Prefeitura de Manaus, Henrique Oliveira, deu entrada hoje  em um recurso contra a decisão do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Amazonas que resolveu suspender uma inserção do PR, veiculada no rádio e na TV, que mostrava uma marionete loira tentando se equilibrar sobre uma corda. A determinação atendeu pedido da candidata Vanessa Grazziotin (PC do B), que é loira, e se sentiu atingida pela peça. A inserção de 32 segundos estava sendo veiculada desde sábado na propaganda do candidato a prefeito de Manaus Henrique Oliveira (PR) --apoiado pelo ex-ministro dos Transportes e presidente do PR, o senador Alfredo Nascimento (PR-AM). Na inserção da TV, o vídeo mostrava a marionete andando sobre uma corda bamba, tentando se equilibrar. O texto da peça dizia: "Para ser prefeito de Manaus é preciso ter firmeza. São muitos desafios para enfrentar e não pode estar pedindo ajuda o tempo todo. Um prefeito tem que bater no peito e dizer: é comigo, eu me garanto! Porque, para ser um bom prefeito, tem que andar com as próprias pernas". No horário eleitoral, Vanessa Grazziotin tem afirmado que é a única a ter o apoio, entre os partidos da base aliada, da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) e do governador Omar Aziz (PSD). As pesquisas eleitorais apontam que a comunista está em segundo lugar na corrida à prefeitura, atrás de Arthur Virgílio (PSDB). O candidato Henrique Oliveira aparece em quinto lugar, atrás de Serafim Corrêa (PSB) e Sabino Castelo Branco (PTB). Henrique Oliveira disse que não denegriu a imagem da Vanessa, mas afirmou que vai “pedir uma reconsideração ao tribunal”. Ele afirmou que está sendo “tolhido por criticar um adversário meu, que diz o tempo todo que vai governar bem porque tem o apoio do Lula, da Dilma. Ela não pode ficar esperando orientação deles para poder resolver os problemas da cidade", disse. Vanessa Grazziotin disse que a propaganda do PR "desrespeita não só ela, mas todas as mulheres". "É degradante ser marionete de quem quer que seja", afirmou.

Opinião do JB:

Quem se recorda da campanha passada, ou seja, da campanha de 2010, quando o presidente Lula e a candidata Dilma Roussef pediam votos para o senador Alfredo Nascimento, do PR? Pois bem, quem venceu as eleições? E quem se lembra, também, que o então candidato Omar Aziz (PSD), àquela altura Governador do Estado, dizia que precisava de Vanessa no Senado da República? Pois bem, ela ganhou a eleição e está lá muito bem no Senado! Por que, então, tirá-la de lá e trazê-la para Manaus? Será que já não serve mais para o Senado? Por que?????

O que acontece por aí...


Na "pelada" contra a China até eu faria gol

Escrevo depois da "pelada" atroz BrasilxChina. Imagino a ironia barata e a falsa humildade do técnico Mano Menezes na coletiva aos jornalistas. A honra da Pátria foi salva. O Brasil voltou a ser respeitado no mundo do futebol. A seleção continua evoluindo. Mano Menezes é do ramo, sujeito formidável. Iluda-se quem quiser. Não se sabe até quando o presidente da CBF, José Maria Marin, vai ter que engolir o pretensioso e enganador Mano Menezes. A China é uma seleção ingênua e melancólica. Foi como tirar doce da boca de criança. Até eu faria gol. Os chineses pareciam um timinho de alegres colegiais excursionando pelo mundo. Mais um jogo desinteressante e inútil. O tempo passa e o Brasil continua marcando passo. Hoje, com essa seleção, o Brasil dificilmente ganharia a copa de 2014. Nem mesmo com os aplausos dos torcedores do Nordeste inteiro.

Ganso

Ganso continua lúcido, não precisa aparecer, não tem pecados para pagar nem tem vocação para capitão de Titanic, para cair na besteira de ir jogar no atual timeco do Flamengo. Cruz Credo!

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Indicação para o STF


O incansável advogado paulista Alexandre Thiollier, que tem livre transito no TJSP, vinha alardeado em bares e restaurantes da capital paulista que o substituto do Ministro César Peluso, no STF, seria Marco Antônio Marques da Silva. Marco Antônio é membro da 6ª Câmara Criminal do TJSP e professor da PUC-SP, apesar de outro Desembargador de São Paulo muito ligado à Thiollier ter sido derrotado em outras nomeações. Alexandre Thiollier, para quem não se lembra, foi responsável pela falência da VARIGLOG defendendo interesses escusos dos minoritários Marco Antônio Audi e outros. Graças à controvertida decisão do Desembargador Paulo Alcides do Amaral Salles, de quem é muito amigo, alijaram da administração o fundo Matlin Patterson, legítimo controlador da empresa. Conforme noticiários da época, Thiollier sacou no caixa da Companhia R$ 4,4 milhões para fazer alegria de alguns poucos privilegiados. Toda essa confusão levou a VARIGLOG a falência, desempregando milhares de trabalhadores hoje socorridos pelos sindicatos dos aeroviários. Desde a quebra da VARIGLOG não temos mais uma companhia nacional especializada em transporte de cargas aéreas.