quarta-feira, 30 de junho de 2010

Acusações velhas contra Roriz

Realmente os inimigos não mandam flores. Sobretudo os decaídos, fracassados e derrotados. A diversão dos desafetos de Roriz, claro, liderando as pesquisas para novamente ser governador, tem mais votos do que todos os adversários juntos, é tirar do baú acusações velhas, vencidas e julgadas, contra Joaquim Roriz. Ou seja, coisa de quem anda desesperado e não tem o que fazer de produtivo pela coletividade.

Deploráveis levianos

Deplorável a matéria da Carta Capital com acusações levianas e antigas, sem substância, contra o brasileiro João Havelange, presidente de honra da Fifa. O pífio texto é baseado em "investigações" de um irresponsável repórter inglês mais interessado em bajular sir Stanley Rous, alegando cretinamente que o mesmo foi "deposto", quando, na verdade, o mundo todo sabe que Rous perdeu uma eleição clara e limpa para Havelange.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Missão impossível

O Globo afirma na manchete que "Brasil melhora, mas ainda não encanta". Creio que esta seleção do Dunga pode ganhar mil jogos e o hexa na Africa do Sul, que jamais encantará o torcedor. É mais fácil despoluir a Baia da Guanabara ou o Rio Tietê.

O jogo é para profissionais

FOLHA destaca que Dilma terá mais 35% de tempo na televisão do que Serra e Marina. A informação é fundamental para que os eternos asnos, derrotados e ressentidos, se convençam, de uma vez por todas, porque Lula sempre preferiu ficar do lado de Sarney, Renan, Temer, etc, nos recentes arrancas rabos no Congresso Nacional, envolvendo aliados do governo e gênios da oposição, sobretudo do DEM e PSDB. Lula enxerga longe, infinitamente mais do que seus desafetos. Não perde de vista a força numérica e política do PMDB junto ao eleitorado nacional.Tanto que Michel Temer foi escolhido para vice da candidata Dilma. O jogo é para profissionais.

sábado, 26 de junho de 2010

Matéria covarde e torpe sobre José Carlos Azevedo

Matéria covarde e torpe, elaborada pela agência UnB e publicada no Correio Braziliense do dia 25, no caderno Cidades, assinada pela jornalista Conceição Freitas, por quem tenho enorme apreço, insulta a memória do ex-reitor José Carlos Azevedo, que já não está entre nós e, portanto, não pode se defender das infâmias. A atual UnB, desvastada e desmoralizada pela incompetência congênita e explícita dos seus dirigentes, não tem autoridade nem moral para acusar Azevedo de rigorosamente nada. Mesmo morto José Carlos Azevedo é infinitamente maior do que seus decaídos detratores. Azevedo entregou uma UnB respeitada e digna para seus sucessores. Com suas contas em dia, sem dever nada a ninguém. Com Azevedo reitor, a UnB estudava, pesquisava, editava e debatia. Não era palco de badernas e irresponsabilidades.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Dunga fez muito bem pedindo desculpas ao torcedor.

Recuar, ceder, admitir que errou, engrandece a alma, fortalece o espírito. Algo me diz que o respeitado e admirado João Havelange teve participação decisiva na saudável decisão do técnico Dunga. A vocação do presidente de honra da Fifa é somar esforços e energias. Jamais estimular lutas e maledicências que não ajudam em rigosamente nada a trajetória do Brasil na copa da Africa do Sul.

Tragédia no Nordeste

Lula se reúne com Collor, visita Alagoas e anuncia medidas para ajudar desabrigados

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou na terça-feira (22/6) pela manhã reunião com o chamado "gabinete de crise" para definir as medidas emergenciais adotadas pelo Governo Federal na ajuda aos estados de Alagoas e Pernambuco, atingidos pelas enchentes nos últimos dias. Na noite de segunda-feira, o presidente recebeu, na sede do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), os governadores Teotônio Vilela (AL) e Eduardo Campos (PE), além dos senadores Fernando Collor e Renan Calheiros. Na oportunidade Lula anunciou que na quarta-feira (23/6) faria visita aos dois estados para ver de perto os estragos provocados pelas chuvas. O ministro Marcio Fortes, das Cidades, em entrevista exclusiva ao jornal "A Gazeta", adiantou que a prioridade determinada pelo presidente Lula era com relação à saúde e o atendimento aos desabrigados. "O presidente determinou que sejamos ágeis. Primeiro vamos pensar em preservar a saúde dos sobreviventes. Tem que ter alimento, água potável, medicamentos, e também definir onde os desabrigados ficarão instalados temporariamente. É preciso encontrar alternativas para os municípios onde não existam abrigos", disse Fortes. A reunião com o presidente Lula durou cerca de uma hora e meia e os representantes dos dois estados levaram fotos e vídeos para mostrar a situação de calamidade em que se encontram Pernambuco e Alagoas.

O governador Teotônio Vilela comparou a tragédia em Alagoas ao terremoto do Haiti. Em Alagoas 22 municípios foram atingidos mais fortemente pelas chuvas, resultando em cerca de 70 mil desalojados, mais de 40 mil casas destruídas, 22 mortos e cerca de mil pessoas desaparecidas. O senador Fernando Collor, ao sair da reunião, disse que o presidente Lula tranqüilizou a todos ao assegurar a liberação dos recursos necessários para a reconstrução do que foi destruído pelas águas. Ele destacou a preocupação do presidente Lula com a situação ao recomendar a todos os ministros agilidade nas ações para o atendimento aos dois estados.
- Infelizmente as vidas que se foram são irrecuperáveis, mas as estradas, as pontes, as casas, o presidente garantiu que irá reconstruir. Ainda não se estabeleceu valores, eu acredito, que inicialmente seriam liberados R$ 200 milhões, que é o que consta no Orçamento da União para o atendimento às catástrofes. Isso poderá ser ainda suplementados, mas neste momento, os valores não importam, o que importa e a decisão do presidente Lula de que independentemente do valor, atenderá a todos aqueles que sofreram com as chuvas – assinalou Collor.
Entre as medidas que poderão ser adotadas pelo Governo Federal anunciadas na reunião, o senador Collor destacou a liberação do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) dos desabrigados para a reconstrução de suas casas, a exemplo do que ocorreu nos estados do Rio de Janeiro e Santa Catarina no início deste ano, bem como a edição de uma Medida Provisória para abrir crédito suplementar. Também participaram da reunião os ministros Márcio Fortes, das Cidades e Paulo Bernardo, do Planejamento.


Veja também:


Governo libera R$ 500 milhões para Alagoas e Pernambuco

Governo divulga locais para doações aos estados de Alagoas e Pernambuco

Confira a seguir o vídeo com entrevista do presidente Lula sobre o assunto:

Você Sabia que, mesmo abortado, governo Collor fez muito pelo Brasil?

O quadro "Você Sabia ? " é o resultado de pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo, por trabalho realizado por uma empresa de pesquisas e por dados oficiais, fornecidos pelo Banco Central.

Você Sabia ? I

Até 1989 se fabricavam 1.5 milhão de televisores por ano no Brasil, consumindo 1 hora e 40 minutos para montar cada TV. Depois da abertura de mercado durante o governo Collor, a indústria brasileira fabrica 7 milhões de televisores, consumindo 25 minutos na montagem de cada TV.

Você sabia ? II

Em 1989 um televisor de 14 pol. custava o equivalente a $ 550,00 dólares. Depois da abertura de mercado, o mesmo televisor custa o equivalente a $ 300,00 dólares.

Você sabia ? III

Até 1989 a Azaléia fabricava 10 mil pares de sapatos por dia. Depois da abertura de mercado, a fábrica comprou novas máquinas e, com o mesmo número de empregados, fabrica 120 mil pares por dia.

Você sabia ? IV

Até 1989, com o equipamento obsoleto da indústria automobilística, cada operário montava 9 carros por ano. Com a abertura de mercado e a necessidade de competir, novas máquinas foram adquiridas. Hoje em dia cada operário monta 20 carros por ano.

Você sabia ? V

Até 1989 uma bicicleta de 18 marchas custava $ 480,00 dólares. Depois da abertura de mercado passou a custar $ 128,00 dólares

Você sabia ? VI

Até 1989 o povo brasileiro consumia menos de 18 bilhões de dólares por ano. Depois da abertura de mercado o consumo foi para 40 bilhões de dólares por ano, o que corresponde a 10 anos de importação de petróleo.
Você Sabia ? VII

Governo Collor investiu na área da SAÚDE $ 14. bilhões de dólares. Governo FHC investiu na área da SAÚDE $ 13. bilhões de dólares.

Você Sabia ? VIII

Em 1989 mil seringas custavam $ 360 dolares e no governo Collor o preço caiu para 52 dolares

Você Sabia ? IX

A UNICEF elegeu os três programas de saúde pública: "Agentes Comunitários de Saúde", "Parteiras Leigas" e "Erradicação do Sarampo," promovidos pelo governo Collor como os melhores do MUNDO em 1991.

Você Sabia ? X

Até 1989 o desempenho do Brasil em cobertura vacinal era considerado o pior da América do Sul, mas, durante o governo Collor, o Brasil recebeu o prêmio da ONU como o melhor da América do Sul.

Você Sabia ? XI

Em 1991 o governo Collor ganhou o prêmio "Criança e paz" da UNICEF, como reconhecimento internacional pelo programa nacional de imunização.

Você Sabia ? XII

Até 1989 foram vacinadas 64% das crianças de 0 a 4 anos no Brasil e durante o governo Collor foram vacinadas 97% das crianças da mesma faixa étaria .

Você Sabia ? XIII

A Organização Mundial da Saúde informou que 1990, 1991 e 1992 foram os anos em que o Brasil teve o número mais baixo de doenças em crianças.

Você sabia? XIV

Durante o governo Collor houve um aumento de 60% nos recursos para os hospitais, comparado com os outros governos.

Você sabia? XV

O "Projeto Minha Gente," idealizado pelo presidente Collor, recebeu em 1993 o prêmio Projeto Modelo para a Humanidade, da ONU.

Você sabia ? XVI

Governo Collor investiu com o saneamento básico $ 1 bilhão e 500 milhões de dólares. Governo FHC investiu com o saneamento básico $ 500 milhões de dólares.

Você sabia ? XVII

O Governo Collor investiu no sistema HABITACIONAL $ 1 bilhão e 500 milhões de dólares. O Governo FHC investiu no sistema HABITACIONAL $ 600 milhões de dólares.

Você sabia ? XVIII

No Governo Collor se plantou 38.481.9 milhões de hectares. No Governo FHC se plantou 34.388.471 milhões de hectares.

Você sabia ? XIX

No Governo Collor a produção nacional de grãos subiu de 58.3 milhões de toneladas para 68.2 milhões. Com as medidas implementadas pelo governo Collor, o resultado maior só chegou durante o governo Itamar Franco, elevando-se a 79 milhões de toneladas de grãos. No Governo FHC a produção nacional de grãos caíu para 69 milhões de tonela,das ou seja, a mesma de 1992.

Você sabia ? XX

No Governo Collor A DÍVIDA PÚBLICA era de $ 12 bilhões de dólares. No Governo FHC A DÍVIDA PÚBLICA é de $ 241 bilhões e 457 milhões de dólares.

Você Sabia ? XXI

No Governo Collor o padrão das viagens internacionais era de 12 pessoas máximo viajando em avião comercial. No Governo FHC, utiliza-se como padrão de 100 a 150 pessoas em avião oficial, com tudo pago pelo povo.

Você Sabia ? XXII

No Governo Collor o Brasil exportava para à Argentina $ 3 bilhões e importava $ 1.7 bilhão de dólares. O Brasil vendia 77% a mais à Argentina do que a Argentina ao Brasil. No Governo FHC o Brasil exporta para a Argentina $ 700 milhões e importa $ 1.3 bilhão de dólares. O Brasil vende 90% a menos para a Argentina do que a Argentina para o Brasil.

Você Sabia ? XXIII

Até 1989 a produtividade industrial era de 1.4% ao ano. No Governo Collor a produtividade subiu para 7.6% ao ano.

Você Sabia ? XXIV

Até 1989 o brasileiro que fazia viagens internacionais, tinha que sair com dinheiro vivo para pagar suas despesas, correndo todo o tipo de risco. Em 1990 o então presidente Collor fez acordos internacionais e, pela primeira vez na história do país, os cartões de crédito brasileiros começaram a ser aceitos em qualquer parte do planeta.

Você Sabia ? XXV

Até 1989 nenhuma empresa brasileira possuía o certificado internacional de qualidade ISO 9000. Uma vez que não existia a ameaça de competição internacional, as empresas mantinham o nível de qualidade muito baixo. Com a abertura de mercado implementada pelo governo Collor, 11341 empresas tem hoje o certificado de qualidade ISO 9000.

Você Sabia ? XXVI

Em 1989, no final do governo Sarney, a inflação era de 90% ao mês e os preços estavam congelados . Em 1992, no final do governo Collor, a inflação era de 27% ao mês e os preços estavam liberados.

Você Sabia ? XXVII

No governo Sarney o Brasil decretou a moratória. No governo Collor o Brasil renegociou e começou a pagar a dívida externa.

Você Sabia ? XXVIII

Até 1989 e a partir do governo FHC, o orçamento apresenta déficits mensais. Durante o governo Collor o orçamento apresentou mensalmente, sem falhar nenhum mês, um superávit.

Você Sabia ? XXIX

Até 1989 as empresas estatais detinham o monópolio do óleo, da navegação, das telecomunicações e da energia. Depois do governo Collor a cara do Brasil mudou, acabaram-se os monópolios, começou a era da competitividade e da qualidade, que gerou preços mais baixos.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Collor fala sobre "Desafios Estratégicos Setoriais"

O senador Fernando Collor (PTB/AL) faz um balanço do ciclo de debates "Desafios Estratégicos Setoriais", organizado pela Comissão de Infraestrutura do Senado Federal, que preside. Para ele, a formação de mão de obra qualificada é o principal obstáculo para a manutenção do ritmo de crescimento sustentável da economia brasileira. Para conferir, clique nos links da Parte 1 e da Parte 2 ou nos vídeos abaixo.


video


video

terça-feira, 22 de junho de 2010

Otário, sim.

Dunga age como otário, mostrando tanto destempero com jornalistas. Deveria saber que o bom cabrito não berra. Ainda não ganhou nada. Não é hora de passar recibo por causa de mágoas e ressentimentos acumulados. Lamentável que a convivência entre Dunga e imprensa deixe de ser respeitosa. Todos sairão perdendo. Tomara que a agressividade de Dunga não prejudique o astral elevado dos jogadores. Dunga quer paz, os jornalistas querem notícias. Há de prevalecer um denominador inteligente e sensato que satisfaça ambas as partes.

Faz parte do jogo, Dunga... Cresça!

Posso comentar o que vi e ouvi: o destempero de Dunga com Alex Escobar, do Sportv. Dunga tem que parar de agir e reagir como otário. O bom cabrito não berra. Ainda não ganhou nada. Calma! Não é hora de colocar para fora mágoas e ressentimentos. Jornalistas querem notícias. Dunga quer sossego para ele e jogadores. É preciso que prevaleça o bom senso e a inteligência entre os dois lados, para que o bom astral dos jogadores não seja prejudicado. Luis Fabiano realmente estava em má fase. A imprensa criticou. Dunga não gostou. Não tem essa de não gostar. Tem que assimilar o golpe e reagir positivamente, trabalhando para que Fabiano melhore. Melhorou contra a Costa do Marfim. Parabéns! Não precisava Dunga mostrar as patas para os repórteres. E se no próximo jogo Luis Fabiano novamente jogar mal? A imprensa terá que criticar. Faz parte do jogo. Dunga parece bobo. Cresça. Será melhor para uma possível e recomendável boa convivência entre todos que cobrem e trabalham na África do Sul.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Preocupação com caos aéreo marcou sabatina de indicados para Anac

A crescente procura por transporte aéreo no Brasil, a precariedade da infraestrutura do setor e a insuficiência de investimentos - combinação que pode resultar em um novo caos aéreo - foram preocupações manifestadas pelos senadores que participaram da sabatina de três indicados para cargos de direção na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Rubem Vieira, Ricardo Bezerra e Carlos Pellegrino foram arguidos na manhã desta quarta-feira (16) pelos senadores da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) e tiveram seus nomes aprovados pelos senadores em votação secreta. Primeiro a fazer perguntas aos indicados, o presidente da CI, senador Fernando Collor (PTB-AL), cobrou providências para evitar o estrangulamento do transporte aéreo no Brasil, especialmente durante a realização, no Brasil, da Conferência Rio+20, sobre meio ambiente, em 2012, da Copa do Mundo de Futebol em 2014 e das Olimpíadas em 2016.
- Preocupa a todos nós a falta de capacidade do nosso sistema aeroportuário, especialmente para atender a demanda futura de muito em breve, com a realização de grandes eventos previstos para o país - frisou Collor.
Nesse mesmo sentido, os senadores Eliseu Resende (DEM-MG), Leomar Quintanilha (PMDB-TO), Heráclito Fortes DEM-PI) e Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) relataram problemas vivenciados por usuários do transporte aéreo em todo o país e cobraram soluções.
Em resposta, Pellegrino citou investimentos que estão sendo feitos pelo governo federal para melhorar a infraestrutura aeroportuária. Já Rubem Vieira explicou que a Anac, como órgão regulador, pode contribuir sugerindo melhorias na legislação e assegurando maior rigor na fiscalização dos aeroportos.

Aviação regional

Limitações da aviação regional foram apontadas pelos senadores Mozarildo, Heráclito Fortes, Jayme Campos (DEM-MT), Arthur Virgílio (PSDB-AM), José Agripino (DEM-RN), Mão Santa (PSC-PI) e Inácio Arruda (PCdoB-CE). Conforme os senadores, deslocamentos entre cidades do interior devem necessariamente passar pelos grandes centros urbanos, por conveniência das grandes empresas que controlam as rotas, em detrimento do interesse dos usuários e das pequenas empresas.
- A Anac tem condições de atuar de forma a impedir que a concorrência desleal de grandes companhias aéreas sobre as pequenas empresas que fazem linhas regionais no país - cobrou Inácio Arruda.
Ricardo Bezerra reconheceu a existência de concorrência predatória na aviação regional e defendeu a adoção de ações pela Anac para coibir tal prática, além de incentivos para fortalecer a atuação de pequenas empresas aéreas.
- Uma forma de ajudar a aviação regional é reduzir a alíquota de ICMS que incide sobre o querosene, item que mais pesa no custo das pequenas empresas aéreas - sugeriu ele.
A senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) elogiou a resolução 141/2010 da Anac, que trata de compensações aos passageiros em caso de atrasos de vôos, lamentando, no entanto, que a norma não trate de overbooking. A parlamentar defendeu a aprovação, pela Câmara, de projeto de sua autoria que trata de direitos dos passageiros. O texto já foi aprovado no Senado e aguarda decisão dos deputados.

Perfil dos aprovados e votações

Rubens Carlos Vieira é advogado e ocupa, desde 2006, cargo de corregedor da Anac. Relatada pela senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), sua indicação recebeu dez votos favoráveis e três contrários. Carlos Eduardo Magalhães da Silveira Pellegrino é engenheiro e oficial-aviador pela Academia da Força Aérea. Trabalha na Anac desde fevereiro de 2008, sendo hoje superintendente de Segurança Operacional. A indicação de Pellegrino recebeu dez votos favoráveis e dois contrários e foi relatada pelo senador Delcídio Amaral (PT-MS). Último sabatinado, Ricardo Sérgio Maia Bezerra é formado em Administração de Empresas e atuou, entre 2003 a 2009, na Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária). Sua indicação, relatada pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ), foi aprovada por 14 votos favoráveis, dois votos contrários e uma abstenção.

Iara Guimarães Altafin / Agência Senado

Veja também:

Comissão analisa indicações para agências reguladoras e Dnit

De olho no que acontece...

Havelange uniu nações

O senador Eduardo Suplicy agora que percebeu que o futebol une povos e nações. Lembro que como presidente da Fifa o brasileiro João Havelange tratou do assunto durante anos, com sensbilidade e sucesso. Havelange quando deixou o cargo a Fifa tinha mais países filiados do que a ONU. Também foi Havelange o maior responsável pela realização da copa de 2010 pela primeira vez em um país africano.

Venerado Badaró

Lamento a morte de Murilo Badaró. Homem de bem, correto, querido e qualificado. Badaró será recebido de braços abertos pelo Maior Senhor de Todos nós. Descanse em paz.

Tucanos desesperados

Serra pretendendo convidar-colocar a presidenta do Flamengo como vice é mais uma colossal demonstração de desespero político dos sábios do PSDB. Como ninguém no senado ou na cãmara é maluco de assumir tal risco para ser derrotado, tanto que nem Guerra, Tarso, Aleluia, Dorneles, Aécio, quiseram, Serra apela para a vereadora Patricia. Cambada de arrogantes incompetentes.

Maradona não alisa

Foi duro nas respostas para Pelé e Platini. Pelé foi um fabuloso jogador, mas sabemos que, hoje, costuma falar muitas bobagens. Quando age assim, seguramente, não é o Pelé, é o Edson. Quem diz o que não deve, ouve o que não quer. Alguns dos defensores de última hora de Pelé, analistas que nunca calçaram uma chuteira nem chutaram uma bola, criticam Maradona com incrível fervor e sabujismo. Maradona também foi um jogador espetacular. Tem o direito de retrucar seus desafetos no tom que quiser. Geralmente não é levado a sério por essa gentalha porque foi fraco e descambou para as drogas. O pecado que o cerebral ex-jogador carregará pelo resto da vida. Maradona também devolveu as farpas de Platini, mostrando indiferença e desapreço pelo ex-jogador francês.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Papaléo defende aumento para servidores e registra nota do Sindilegis

Em seu discurso desta segunda-feira (14), o senador Papaléo Paes (PSDB-AC) mencionou nota do Sindicato dos Servidores do Legislativo (Sindilegis) em que a entidade afirma ter sido surpreendida com "nova proposta" de cargos e salários pela Mesa do Senado, criando situação salarial diferenciada entre servidores, com percentuais diversos daqueles aprovados na proposta de reforma administrativa da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Papaléo informou que o sindicato alega não ter participado dessa nova proposta.
De qualquer forma, o parlamentar defendeu a concessão de reajuste aos servidores da Casa:
- Os servidores não podem ficar prejudicados por uma crise política, uma briga de poder de grandes personagens desse país que são os senadores, que se relacionava à questão partidária e de poder - protestou, referindo-se à crise política gerada pelas denúncias sobre a existência de funcionários fantasmas e atos secretos.
Conforme a nota, do Sindilegis, o sindicato "foi surpreendido com o texto do plano de carreira encaminhado pela Mesa Diretora do Senado Federal na última semana.". E continua a nota: "A minuta não coincide, na íntegra, com a proposta originária consensuada entre os setores da Casa que beneficiava todos de forma igualitária".
- É claro que isso é inconteste! Não temos de fazer discriminação de servidor dentro desta Casa. Todos têm de ser beneficiados de forma igualitária. Ninguém é melhor do que ninguém aqui. Todos são servidores, e cada um na sua função, desempenhando sua função, é que faz esta Casa ser grande e grandiosa como é - disse Papaléo.
Ele leu outro trecho da nota do sindicato em que a entidade esclarece sua participação nas negociações do plano de carreira do Senado:
"A nota técnica datada de 9 de junho de 2010, na qual figura o Sindicato como apoiador do plano de carreira, diz respeito a uma situação de fato anterior à reunião da Mesa. O texto se refere ao momento em que o Sindilegis defendeu o seu entendimento perante a Subcomissão de Reforma Administrativa, ocasião em que a Fundação Getúlio Vargas (FGV) também se manifestou quanto ao teor do plano de carreira encaminhado pelo Sindicato de forma favorável. Não é, portanto, verdadeira a informação de que o Sindilegis é um dos responsáveis pela fórmula apresentada pela Mesa. Isso porque, na proposta de consenso, os percentuais de Gratificação e Desempenho eram outros (45%, 60% e 80%), bem como, mantinha o Adicional de Especialização para aplicação imediata com a aprovação do Plano."
Da Redação / Agência Senado

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Renan Calheiros comemora aliança do PMDB com o PT

Em pronunciamento nesta segunda-feira (14), o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) saudou a decisão do seu partido, tomada em convenção realizada no fim de semana, de oficializar a aliança com o PT para a eleição presidencial deste ano. A vice-presidência na chapa da candidata do PT, Dilma Rousseff, será ocupada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (SP), que também preside o PMDB.
Renan ressaltou que, dos mais de 660 votos válidos, 560 convalidaram a aliança e a chapa Dilma-Temer, representando mais de 85% do partido. Para o senador, o resultado da convenção é um desdobramento do apoio que o PMDB vem dando ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
- Não é apoio de conveniência, mas aliança que vem de longe, consequência natural e lógica, renovação da coerência de quem ajudou a votar e propôs a implementação das políticas hoje vitoriosas - afirmou.
Renan disse ainda que Temer é "um homem que dispensa apresentações" e que as inúmeras distinções recebidas pelo deputado federal em sua carreira são "todas merecidas".
- Honrado, competente, aglutinador, jurista respeitado e experiente, um dos melhores quadros do PMDB. Por isso foi escolhido. Temer vai agregar muito à campanha - afirmou.

Apoio firme

Além de reiterar que "o apoio do PMDB é firme, desassombrado e apaga ambiguidades e antagonismos de um passado recente", Renan afirmou que o brasileiro hoje se sente seguro e confiante em quem está no comando da nação, especialmente depois de superada a crise econômica que devastou grandes potências e pulverizou conglomerados financeiros.
- Com austeridade, responsabilidade fiscal e desoneração de tributos, saímos rapidamente da recessão graças ao mercado interno, que ganhou musculatura com o aumento do salário mínimo, dos programas de transferência de renda e o crescimento da massa salarial - afirmou.
Renan disse ainda que "a indústria avança, o emprego se expande, a inadimplência cai e tanto a confiança dos empresários e consumidores quanto o crédito", estão em alta. O senador lembrou que o Brasil voltou a ser a oitava economia do mundo, mas que em breve o país ocupará a quinta posição entre as potências globais.
Ele afirmou que o PMDB também orgulha-se de ter contribuído para a criação de 13 milhões de novos empregos; para a ascensão de 24 milhões de brasileiros que deixaram a linha de pobreza; para o ingresso de 31 milhões de brasileiros na classe média e de 11 milhões de brasileiros no programa Luz para Todos, que leva energia à zona rural.

Requião

Antes de concluir o seu discurso, Renan parabenizou o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), que teve a sua candidatura à Presidência da República registrada pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS).
Renan disse que Requião "abrilhantou a convenção do PMDB com a sua candidatura e com as suas idéias", mas, no processo de consultas internas, o que se ambiciona "não é a unanimidade, mas a unidade".
- O partido, majoritariamente, apoia e apoiou as ideias do governo Lula e dará continuidade ao projeto apoiando Dilma como presidente do Brasil - afirmou.
O senador registrou ainda que o conflito no PMDB "é natural", sendo uma "consequência do tamanho da credibilidade, da aceitação e da capilaridade do partido".
- Afinal, temos o maior número de governadores, as maiores bancadas no Congresso e, na eleição para as prefeituras, a votação histórica de 19,4 milhões de votos, 1.203 prefeituras, entre elas seis capitais, e 8.481 vereadores - concluiu.

Da Redação / Agência Senado

Leia o pronunciamento na íntegra...

Ou ouça o pronunciamento na íntegra...

Collor: a História sabe julgar. O tempo é sábio.

Collor iniciou a modernização da administração brasileira. Tirou o Brasil das amarras do atraso e da subserviência. Enfrentando os vícios e espertezas de empresários sempre ávidos por lucros fáceis. Foi arrancado do cargo por abutres travestidos de isentos. Na realidade, era uma camarilha de canalhas e venais, porque Collor enfrentava os graves problemas nacionais sem medo dos arreganhos de nenhum deles. Foi inocentado pelo STF de todas as torpes acusações de seus desafetos. Alguns deles ainda vegetam por aí. Passam por um amadurecido senador Collor e abaixam a cabeça. De vergonha. Jamais honraram as calças que usam. Os melancólicos “Caras Pintadas”, por sua vez, muitos escreveram e escrevem para Collor ou falam com ele nas ruas. Pedem desculpas porque não sabiam o que faziam ou que diziam. Foram na onda de sacripantas, da imprensa, da política e do empresariado.

Dunga versus a informação: colossal bobagem

Repórteres brasileiros comendo o pão que Dunga amassou, na Africa do Sul. Nem mesmo os jornalistas da Rede Globo estão tendo moleza, os privilégios de sempre. Pelo menos até agora. Os jornalistas aparecem na televisão desapontados, sem informações. Dunga treina e esconde tudo. Não permite nem imagens. Exagera na dose. Dunga optou por brigar com a imprensa brasileira. Colossal bobagem. Passa pela cabeça do arrogante, teimoso e sensacional treinador que caso o Brasil não conquiste o hexa, a culpa é da imprensa, que só criticou. Se trouxer o título, os aplausos serão todos para ele e seus fantásticos amiguinhos que convocou e protege de tudo e de todos.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Pedófilo merece ir direto para o Inferno

Era só o que faltava. O Papa exortar perdão para padres pedófilos. A meu ver são canalhas e monstros como todos os outros que praticam o mesmo crime. O Santo Padre parece que deseja reescrever a Bíblia. Lá não fala nada que criminosos que destroem vidas de crianças e menores merecem nova chance. Esta corja merece ir direto para o Inferno. É por esse e outros absurdos que muitos não acreditam mais nas pregações dos padres. Os templos católicos já não atraem fiéis.

Polo de Manaus continua batendo recordes

O Polo Industrial de Manaus faturou 10,315 bilhões de dólares no primeiro quadrimestre de 2010. Recorde para o período. O resultado é 63,97% maior ao obtido na mesma época de 2009. Também supera em 7,14% o faturamento alcançado no mesmo período em 2008, ano em que o Polo de Manaus registrou faturamento de 30,1 bilhões de dólares, o maior da sua história. Os produtos mais vendidos neste quadrimestre de 2010 foram motocicletas, televisores e celulares

Se não assistiu, assista à festa de abertura da Copa do Mundo da África do Sul.

A abertura da Copa do Mundo 2010 na África, ocorrida ontem (10/06), pode ser acompanhada pelo computador. Foi através do site especial da vevo, site de streaming que pertence à Sony, patrocinadora oficial da Copa. O serviço transmitiu a íntegra do show, que contou com nomes como Alicia Keys, Black Eyed Peas, John Legend e Shakira. Após a cerimônia, no mesmo endereço, foi mantido para o público mundial o vídeo com tudo o que aconteceu na solenidade. Confiram. Clique no link a seguir.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Jornal Valor Econômico destaca papel político de Renan

O jornal Valor Econômico, de 31 de maio, publicou extensa matéria sobre a política alagoana e seus desdobramentos na sucessão estadual. Com o título “Três palanques alagoanos disputam apoio de Renan”, o jornal destaca as ações das diferentes correntes políticas ora em disputa pelo governo do Estado. Como elo entre as diversas correntes políticas, a matéria, redigida pelo seu redator político de Recife, Murillo Camarotto, enfoca as estratégias políticas para atrair a participação de Renan Calheiros – e a importância que isto representa – para os palanques que estão em formação em Alagoas. Euclydes de Mello, que é primo e suplente do ex-presidente Collor, afirma que “Renan é um político que todo mundo quer em seu palanque. É uma grande liderança”. Já o secretário-geral do PDT alagoano, Heraldo Firmino, diz que “com certeza há um grande interesse na participação de Renan e os dois têm conversado”.Renan, engajado na eleição de Ronaldo Lessa para o governo de Alagoas, é reconhecido – na reportagem do Valor Econômico – como único elo eficiente entre o Estado e o governo federal, especialmente no que tange à atração de recursos para o desenvolvimento integral de Alagoas, daí estar sendo cortejado por todos os grupos que disputarão as eleições de outubro.

UM BRASIL DE VIOLA – Tradições e Modernidades da Viola Caipira


Prezados leitores:

Recomendamos com entusiasmo o excelente blog UM BRASIL DE VIOLA – Tradições e Modernidades da Viola Caipira. Ajudem a divulgar o projeto, visitem o blog, conheçam o conteúdo e a pesquisa; assistam aos VIDEOS (MUITO BONS!), espalhem para os amigos!

O Projeto tem como missão retratar o Brasil que toca Viola Caipira. O sertão e a cidade. O Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e o Sul. A equipe do Projeto irá registrar e disponibilizar em fotografias, áudio e vídeo, depoimentos, toques tradicionais, músicas, entrevistas com mestres, professores, músicos, alunos que fazem do instrumento a sua maior forma de expressão e informações sobre antigas tradições do instrumento, a magia que o envolve, sua ligação com o homem e a natureza, as formas rústicas e artesanais de construção, seus mestres, a tradição oral no sertão brasileiro. Tudo isto correlacionando com um novo jeito de tocar viola, com instrumentistas que se destacam por composições contemporâneas, professores que ensinam em Escolas de Música e modernas formas de lutheria.

O objetivo principal é oportunizar o acesso a um elaborado conteúdo de pesquisa voltado à viola caipira, seus saberes e fazeres. O projeto pretende abarcar diversas regiões do Brasil, registrando em fotografias, áudio e vídeo os encontros com mestres que vivem no sertão, estudantes em centros urbanos, professores em diversas Escolas que criaram os próprios métodos de ensino. As informações que alimentam o site advém de pesquisas sobre os diversos tipos de viola existentes em regiões distintas do Brasil, como a Viola de Cocho, presente no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, A Viola Machete, no Recôncavo Baiano, A Viola Nordestina que faz parte do contexto do poeta cantador de repente do Nordeste, A Viola de Fandango, do Litoral Paranaense e a viola caipira do interior de Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso.

Visite o site, clicando aqui.

Veja só uma amostra do que se trata no vídeo a seguir...



Equipe de produção

Coordenação, Direção: Cacai Nunes – cacainunes@gmail.com

Fotos: Cacai Nunes e Randal Andrade – randal.andrade@gmail.com

Câmeras: Randal Andrade

Edição de Vídeo: Cacai Nunes e Joana Limongi – joanaapl@hotmail.com

Captação e Mixagem de Áudio: Cacai Nunes

Arte: Bruna Daibert – http://www.flickr.com/photos/uhadesign

Animação gráfica da vinheta de abertura: Fernando Gutierrez – perombre@gmail.com

Trilha Sonora da Vinheta de Abertura: Cacai Nunes

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Pérolas sobre a bola...

Coitada da bola da Copa. Mesmo antes de começar a competição já é castigada pelos geniais craques da seleção de Dunga. O atacante Luiz Fabiano fez a melhor auto-critica ao criticar a bola. Chamou-a de "Sobrenatural". É exatamente o que a maioria esmagadora do torcedor acha dos protegidos de Dunga: são sobrenaturais. Não jogam nada. Antigamente, verdadeiros craques como Pelé, Gerson, Didi, Garrincha, etc, davam show de bola sem reclamar da camisa, da chuteira e da bola, que passavam a pesar muito mais, caso chovesse.

Carlos Eugênio Simon

É vergonhoso e humilhante que o complicado, parcial, irregular, confuso e incompetente árbitro brasileiro, Carlos Eugênio Simon, seja escolhido pela terceira vez para "apitar" uma Copa do Mundo. A meu ver a decisão não engrandece em rigorosamente nada a FIFA, a CBF e muito menos os árbitros profissionais do Brasil. Simon nunca foi ou é o mais capacitado árbitro brasileiro para merecer tamanha honraria. Lamentável. Um escárnio. Premiou-se um árbitro ruim.

Nota infame

A nota infame, torpe, injusta e moleque da coluna "Do Alto da Torre", do dia 6, sobre Agaciel Maia, não corresponde à habitual qualidade jornalística e isenção profissional do responsável pela coluna, jornalista Eduardo Brito.

O quadro político em Brasília

Opinião do amigo Helio Fernandes:

Brasília, a capital da corrupção. Vergonhosa, escandalosa, calamitosa. Decadente, incandescente, inconsciente. “Estevanizada”, “Roririzada”, “Arrudizada”. O dinheiro roubado domina a vida pública.

Minha opinião a respeito:


Hélio, vamos por partes: Estevão nunca foi contra Roriz. Tem todo o direito de apoiar a candidatura de quem quiser. Alguns juristas inclusive analisam que Estevão já poderia ser candidato em 2010. Mas vai aguardar. Continua com milhares de votos garantidos no Distrito Federal. Luiz não financia Roriz. Os bens de Luiz estão praticamente indisponíveis na Justiça. Queiram ou não, gostem ou não, Roriz lidera com folga as pesquisas para governador de Brasília. Ou seja, ou ele é mesmo sensacional, governou e administrou Brasília com competência ou seus desafetos e adversários são ruins de serviço para caramba. Intervenção: uma colossal bobagem e despropósito. O atual governador Rogério Rosso, repito, trabalha arduamente, às claras, com total isenção e espírito público. A população de Brasília não merece ser agora punida porque alguns geniozinhos do Ministério Público ou da PGR batem o pé e querem aparecer. Rogério Rosso não tem nada a ver com Arruda. É moço talentoso e operoso. Se for o caso, Arruda e seguidores que paguem. Rosso trabalhava com Arruda, mas... e daí? Não há nada que desabone sua vida de administrador e de político. Claro que Brasília tem centenas de defeitos. Nisso concordamos integralmente. Mas aqui também tem gente trabalhadora, honesta, decente. A maioria dos desonestos daqui veio de outros estados. A população é ordeira, merece e exige sossego, dias melhores. Ainda sobre Roriz, que venham os processos e denúncias contra ele. Todo dia os decaídos apresentam acusações velhas, surradas, bolorentas, ultrapassadas. Alguns já pensam inclusive em trocar o candidato do PT, acredito que seja o melhor da legenda, Agnelo Queirós. Podem trocar. É o desespero. Podem até colocar os outros citados juntos com Agnelo para enfrentar Roriz nas urnas. Perda de tempo. Nesta linha, julgo que Dilma e Lula devem se afastar de eventuais palanques contra Roriz. Ficará mal para ambos. Mesmo porque, Roriz não será jamais adversário do Palácio do Planalto. Lula e Dilma sabem disso.

Jobim é um pândego

Claro que para o ministro Nelson Jobim tudo é céu de brigadeiro nos pavorosos aeroportos brasileiros. Ele não entra em fila, espera o vôo sentado nas salas vipes. Tem marcado no avião o melhor lugar. Se duvidar tem comida especial. Não precisa brigar por vaga nos võos, etc. O mundo todo hoje sabe e critica os péssimos aeroportos, que já deveriam ter suas obras de reformas aceleradas, não só por causa da exigências da Copa do Mundo, mas, sobretudo, porque o usuário merece mais respeito, conforto, segurança e consideração. Presidente Lula, abra o olho!

Serra: tremendo embusteiro

Basta olharmos os noticiários para se constatar que realmente São Paulo virou uma terra sem lei. Sem respeito à vida do próximo. Um caos total e amedrontador. Colocaram a fantasia de competente no Serra, mas, a meu ver, não passa de um tremendo embusteiro. Agora quer se passar por vítima de dossiê. Coitadinho. Quem quiser que compre o tucano de cara lambida e coloque na parede como troféu. Logo Serra, um tarimbado mestre em dossiês. Quem com dossiê fere, com dossiê será ferido.

O "melhor" do pior...

Pena que o chargista Ique esteja de férias. O JB começou a republicar, de acordo com o jornal, "seus melhores momentos". Começou com uma charge horrível, sem graça e injusta, do senador José Sarney mordendo um osso. Desse jeito, seria mais interessante se o jornal começasse a republicar "os piores momentos" do Ique.

Suframa em Xangai

Com mais de 190 países e perto de 60 organismos internacionais, a Suframa participa da "Expo Xangai 2010", mostrando o vigor das empresas chinesas no Polo Industrial de Manaus, procurando sensibilizar e atrair novos investimentos para a zona franca. Os empresários chineses começaram a chegar na zona franca em 1990 e, hoje, seus investimentos alcançam 240 milhões de dólares. A superintendente da Suframa, Flávia Grosso, faz parte da delegação oficial brasileira, chefiada pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega. A Xangai 2010 fica aberta até 31 de outubro e será visitada por mais de 70 milhões de pessoas.

O imaculado José Serra

José Serra é um imaculado. Acabará canonizado pelo Vaticano. Quem quiser que compre. Agora quer se passar por vítima de dossiês. Logo ele, um mestre tarimbado no assunto. Deveria saber que quem com dossiê fere, com dossiê acabará ferido. O Brasil tem, assim, uma colossal vestal grávida candidato à Presidente da República. Um tremendo embusteiro.

Lula não tem culpa pela seleção ruim

Creio, repito mais uma vez, que a seleção do Dunga é fraquinha como ele. Sem essa, portanto, de colocar a culpa no eventual e provável fracasso na copa do mundo, no presidente Lula, chamando-o de pé-frio. os caras são ruins de bola, não empolgam o torcedor, sem novidade, pelo menos para mim, se perder. é da competição, faz parte. Bobagem atrelar o fiasco da mediocre seleção a uma simples, smpática, merecida e protocolar visita ao Chefe da Nação. Têm que entrar em campo e vencer a guerra. Ótimo se ganharmos. Vida segue. Pão e circo para o povão. Se perdermos, aparecerão desculpas tolas e culpados. Tudo tolice.

Só resta torcer...

Pátria de Chuteiras rasgadas, furadas e sem travas, como magistralmente definiu Gerson, o “Canhotinha de Ouro do Tri”, diante das burradas e teimosias do treineiro Dunga. Detesto comparações no futebol, mas o que esse moço Ganso faz com a bola e com a talentosa perna esquerda, me faz lembrar Gerson, há quase 40 anos sem herdeiro no futebol profissional. Nossa, vibrei ontem com as jogadas do Ganso, contra o Grêmio. Uns 5 ou 6 convocados pelo Dunga fazem o contrário do Ganso: não sabem passar, muito menos lançar e tropeçam na bola. Estamos fritos. Dunga é tão arrogante que acaba proibindo até Deus de torcer pelo Brasil.

Mensagens dos amigos:


"Pátria de chuteiras rasgadas", gostei do assunto e como todo brasileiro tem sua seleção, concordo com o canhotinha e você, porém no nosso Brasil acontece o de sempre em tudo, ou seja, o que pronunciou uma vez o nosso Renan, "uma minoria com complexo de maioria". Limongi, sabemos que essa não é a seleção da maioria, porém, mesmo eles contrariando o sentimento do nosso povo, vamos fazer a nossa parte, aí sim, eles que segurem o final, porque a história tem nos mostrado que ser radical é burrice. Vamos em frente, torcer é o que resta para o nosso Brasil. Bom dia, um grande abraço.

Everaldo França de Ferro

Olá Limongi, o meu pai lhe manda um grande abraço.
Atenciosamente,

Patricia Nunes

Mensagem de um amigo...

Recebi do competente amigo, o ministro aposentado do TCU e presidente da ABL, Marcos Vinicios Vilaça, a seguinte mensagem:
"Ainda convalescente quero agradecer, por Maria do Carmo e por mim, a sua comovente solidariedade, que tanto me ajuda nesta hora.
Forte abraço".

Corte ou boteco?

Informação de Helio Fernandes:

O ministro Joaquim Barbosa fulmina ação do PSDB, atribuindo-a a interesses pessoais do senador Jereissati, arquiva o recurso. Agora, 17 meses depois, SE DÁ POR IMPEDIDO.

Meu comentário:

Hélio, Que lástima. Tem momentos que a Suprema Corte mais parece um boteco, com hipócritas e cretinos querendo pautar e monitorar a vida alheia. Momento grandioso do STF e da democracia foi o voto do ministro Celso de Melo, mandando a União indenizar a valorosa Tribuna da Imprensa. Decisão maior que até hoje não foi cumprida por instâncias cariocas. É um escárnio. Um desrespeito ao próprio Supremo.

Um passeio em torno das harpas


No mês de maio, no Rio de Janeiro, 15.000 pessoas assistiram aos sempre lotados concertos do “V RioHarpFestival” nos seus lugares emblemáticos, desde os palácios da Cidade e São Clemente ao Morro da Marta, mas passando pelas estações do metrô. Ilha Fiscal, Corcovado, Real Gabinete Português de Leitura, Paço Imperial, MHN, MAM, MNBA,CCBB, CC Light, CC Justiça Federal, Forte de Copacabana, enfim, o que o Rio tem de mais expressivo e que encantou os 35 harpistas de 25 países, inclusive Kaori Otake, Vice-Presidente do “XI World Harp Congress”. O encerramento foi no Mosteiro de São Bento dia 31 com Andrew Lawrence King , atualmente, o maior nome da harpa barroca no mundo. Mas antes disto, na Colombo, a flautista norte-americana Jane Straumann – prima-irmã da jornalista Hildegard Angel- e a harpista brasileira Vanja Ferreira, tocaram os grandes sucessos da música clássica brasileira para um público seleto, incluindo alguns cônsules que apoiaram o evento e que, ao final, foram brindados com Chandon.
Mas euforia mesmo era Sergio Costa e Silva: “ Brasil - e mais precisamente o Rio de Janeiro - está inserido no roteiro mundial da harpa. Valeu o esforço já que a participação dos grandes nomes da harpa mundial, incluindo os brasileiros, foi sucesso de crítica, mídia e de público. Fizeram do nosso festival uma grata realidade. Agora vamos para outros desafios”.

Na foto, Hildegard Angel, Angelica de la Riva - soprano brasileira radicada em Nova Iorque - e Sergio da Costa e Silva- Diretor de Musica no Museu.


Foto de Renata Freire