sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Festa  no céu:  o clã Limongi recebe a  amada Santa. Anjos e estrelas convidados para a saborosa, famosa e requisitada macarronada semanal que tia Santa prepara   com esmero e amor. Mesa farta e divertida. Deus seguramente vai aparecer.  Com guardanapo gigante,  o Todo Poderoso vai abençoar os presentes e saudar a chegada da tia Santa. Com faixas e cartazes na porta, e Silvio Caldas cantando "Chão de Estrelas", Santa foi recebida na porta por Flaviano, Flavinho e Fábio. 

Beijos do


vicente 

Morte estranha de Teori Zavascky

Fatalidade ou sabotagem? As especulações são duras e dramáticas mas não podem ser afastadas. Não é cômodo nem fácil tratar da morte do ministro Teori Zavascky sem analisar os mais complexos aspectos envolvendo a figura profissional do vigoroso ministro do STF.  Ações da lava-jato eram de responsabilidade de Teori. O ministro atuava com rigor fundamentado nos autos. Como deve proceder todo magistrado da Suprema Corte.  Centenas de  poderosos empresários e políticos estavam sob o crivo e espada do rigoroso Teori Zavascky. O Brasil  acompanhava com interesse as ações e decisões de Teori. Com a morte de Teori fica a impressão que abriu-se um buraco de desesperança  nos corações dos brasileiros. Tomara que seja desmentido pelos próximos fatos e passos do episódio.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Suframa e Prefeitura vão recuperar ruas do distrito industrial

Suframa e Prefeitura de Manaus firmaram  Termo de Compromisso  para a transferência de R$ 150 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) destinados à revitalização do sistema viário do Distrito Industrial I (zona Sul) e oriundos da dotação orçamentária incluída no orçamento de 2016, pela Emenda Parlamentar nº 71040014. A assinatura do Termo foi realizada na sede da autarquia pela superintendente Rebecca Garcia, pelo prefeito de Manaus, Arthur Neto, e pelo secretário municipal de Infraestrutura, Alyson de Lima Rodrigues. Também presentes o  senador Eduardo Braga e o secretário de Finanças e Tecnologia, Ulisses Tapajós.

A superintendente Rebecca Garcia elogiou  a Prefeitura de Manaus e o senador Eduardo Braga pelo esforço conjunto que resultou na autorização da execução junto ao governo federal. “Foram várias etapas que precisaram ser superadas, mas a união do executivo por parte do município, do executivo federal, que a Suframa representa, e do parlamento que foi muito bem representado pelo senador Eduardo Braga na hora da liberação e do convencimento ao presidente Michel Temer da necessidade para desenvolvimento do País, foi fundamental para essa conquista". Rebecca destacou o empenho da equipe técnica da autarquia, com destaque para profissionais da Procuradoria Federal junto à Suframa e da Coordenação Geral de Desenvolvimento Regional.

O Temo de Compromisso é o instrumento utilizado para o repasse de recursos do PAC, regido pela Lei nº 11.578/2007. A revitalização compreenderá sistema de drenagem, calçada, meio-fio e pavimento da área pioneira do Distrito Industrial I, que contempla, inicialmente, 28 vias.

A superintendente afirmou que depois da assinatura do Termo, o recurso já está autorizado. Porém,  a Prefeitura precisará  elaborar  projeto executivo, que é a contrapartida do Termo, no valor de 1,7% do recurso. “A Prefeitura vai precisar de um tempo para que se construa um projeto adequado para o tamanho e para as necessidades do Distrito Industrial”, observou. O Termo estima o prazo de até cinco meses para que a Prefeitura contrate e acompanhe a elaboração do projeto executivo, o qual será apresentado à Suframa para análise.Em seguida, retornará ao Município para que seja iniciado o processo de licitação. A partir da licitação, estimam-se perto de 11 meses para a execução das obras. À Suframa caberá o acompanhamento da execução do Termo de Compromisso junto à Prefeitura, a qual será responsável pela fiscalização da obra e da empresa a ser licitada.

O prefeito Arthur Neto comemorou a celebração do Termo de Compromisso com a Prefeitura de Manaus e parabenizou todos os envolvidos. “Esse projeto passou por todos os crivos técnicos e políticos possíveis e acaba com a discussão infrutífera sobre  quem caberia o dever de fazer o recapeamento e manutenção das vias do Distrito. É muito bom começar o ano sabendo que o Distrito Industrial tem jeito sim e que a Zona Franca de Manaus vai renascer muito bonita do aspecto físico e também com retomada do seu crescimento e desenvolvimento econômico”, afirmou.

O senador Eduardo Braga destacou que a revitalização trará melhoria para os mais de 80 mil trabalhadores do PIM e também confiança para os investidores. “Ganhamos uma prorrogação do modelo para 2073, que foi trabalhada por todos nós, então precisamos agora com essa infraestrutura preparar o Polo Industrial olhando para esses próximos anos. Há muitos anos o Polo estava carente desses investimentos. Isso vai melhorar não só as condições de trabalho atuais, mas vai dar confiança e otimismo aos investidores para que eles possam decidir futuros investimentos que vão gerar mais emprego, renda e desenvolvimento para a cidade de Manaus”, ressaltou.

REELEIÇÃO?

O mandato presidencial de 4 anos é realmente muito curto para se dar continuidade às reformas e às providências administrativas.
Uns defendem a duração de 5 anos e outros a de 6, mas a maioria deles não admite a possibilidade de reeleição.
Com a morte de TANCREDO NEVES, seu Vice SARNEY assumiu a Presidência em março de 1985 para exercê-la por 4 anos segundo a Carta vigente.
Foi um período conturbado pela pressão da oposição, por uma inflação galopante e incontrolável, pela moratória, por uma desgastante Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e pela realização da Assembleia Constituinte.
Os congressistas se dividiram entre os que desejavam eleições diretas em 1988 – anseio popular após longo período de governos militares – e os que apoiavam SARNEY almejando sua permanência até março de 1990. O Bloco Parlamentar Evangélico teria feito um manifesto pela duração de seu mandato por 6 anos.
Após ameaça de renúncia, prevaleceu a hipótese mediana dos 5 anos mas sem a possibilidade de reeleição.
Este mal é decorrente de obra maquiavélica de FERNANDO HENRIQUE que dela se beneficiou permanecendo no Cargo por duas legislaturas. Até hoje restam muitas dúvidas sobre parlamentares que teriam sido “comprados” para aprovarem esta emenda.
Não conseguiu fazer SERRA seu sucessor e analistas afirmam que seu modo de ser contribuiu para a eleição de LULA após três tentativas.
O líder do PT conseguiu reeleger-se e , ainda ,fez de DILMA a sua sucessora que também conquistou esta benesse .
A reeleição é inadmissível pelo simples fato do titular usufruir por longo tempo dos benefícios da máquina administrativa, da demagogia e do empreguismo eleitoreiro até às vésperas do pleito.
A obsessão pela manutenção do Poder leva governantes a tomarem decisões temerárias sem pensarem no bem do Estado e do País, haja vista a caótica situação econômica em que nos encontramos.
O Governo TEMER é considerado “reformista” mas os resultados não serão imediatos. A produção continua caindo e o desemprego aumentando. As previsões para o corrente ano não são otimistas. Para emoldurar este quadro desolador existe a incerteza política diante, inclusive, das consequências da Operação LAVA JATO com centenas deles envolvidos.
Dizem que a reeleição de DILMA favoreceu ao PSDB e a AÉCIO porque a bomba estouraria em suas mãos. Por incrível que pareça, o PT e seus aliados também ficaram contrariados com o resultado porque quase implodiram nas eleições de 2016 e estão inseguros quanto ao que lhes espera em 2018. Mas, após o tsunami, muitas águas ainda vão rolar.
Na reforma política, em estudo no Congresso, não é possível admitir-se a reeleição. A renovação é mais do que necessária para impedir o crescimento das raízes da corrupção, a proliferação de cargos comissionados para conchavos políticos e a concessão de privilégios demagógicos por interesses eleitorais.
A duração do mandato presidencial também deve ser debatida: 5 anos ficaria de bom tamanho porque 6 cansa!
Já que estamos falando sobre isto, convém lembrar aos parlamentares que ninguém aguenta eleições a cada 2 anos. Eles só pensam nisto, o Congresso para, as despesas aumentam, o povo sofre e o País vai para o brejo.

DIÓGENES DANTAS FILHO- Coronel Forças Especiais/ Consultor de Segurança

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Foi mal, Élio Gaspari

Analiso. Não torço, nem distorço. Não brigo com os fatos. Não tenho espaço em jornal grande nem sou colunista consagrado. Porém, dia 8,  escrevi  artigo no site diario.do.poder.com.br  salientando que a ministra Carmen Lúcia estava ganhando preciosos espaços  políticos que deveriam ser de Michel Temer. Título do meu artigo: "Quem governa, Temer ou Carmen Lúcia?".  Repito, meu texto foi do dia 8.
Nessa linha, domingo, dia 15, o assunto foi tratado com destaque por Élio Gaspari, no Globo,  como se o colunista tivesse  descoberto vacina que vai curar todos os males da humanidade. Título da análise do Gaspari: "A presidente Carmen Lúcia".  "De leve", diria Ibrahim Sued, comemorando notícia que publicava antes dos outros.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Novembro tem melhor faturamento de 2016 no polo de Manaus

Os dados dos Indicadores de Desempenho do Polo Industrial de Manaus (PIM) referentes ao mês de novembro apontam que o penúltimo mês do ano teve o melhor faturamento de 2016, com R$ 7,19 bilhões (US$ 2.22 bilhões). Ao contrário do que vinha acontecendo desde 2013, quando novembro apresentou queda no faturamento na comparação com outubro, no ano passado houve crescimento de 6,25% na comparação entre novembro e o mês anterior.

Já o faturamento global do PIM no acumulado de janeiro a novembro de 2016 chegou a R$ 67,9 bilhões (US$ 19.8 bi), sendo os segmentos Eletroeletrônico e de Bens de Informática responsáveis por 45,9% (R$ 31,16 bilhões) deste total. O resultado do faturamento acumulado, em moeda nacional, é 7,51% inferior em relação ao registrado no mesmo intervalo de 2015 (na comparação em dólar, a queda é de 12,15%).

Em relação aos empregos, novembro teve o quarto melhor desempenho do ano, com 86.561 postos de trabalho registrados, entre efetivos, temporários e terceirizados. Com esse resultado, a média mensal de 2016, até novembro, foi de 85.381 postos de trabalho, com os setores Eletroeletrônico e de Bens de Informática respondendo por quase 38% dos postos ocupados. Os indicadores são compilados pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) com base em informações mensais repassadas pelas indústrias do PIM.

De acordo com a superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, apesar do ano desafiador que o Polo Industrial de Manaus teve, em razão da conjuntura econômica e política brasileira que influenciou de forma decisiva no seu desempenho, os resultados obtidos no segundo semestre foram positivos e reforçam projeções mais otimistas para 2017. “Recuperamos postos de trabalho e tivemos meses com faturamento em ótimo nível. Um dos grandes destaques do ano foi o setor de Bens de Informática do Polo Eletroeletrônico, que hoje é nosso segundo segmento mais representativo em faturamento no PIM. Esses resultados, aliados ao trabalho que o governo federal está buscando implementar em termos das reformas e dos projetos propostos, permitem projetar um 2017 mais positivo e com menos turbulências”, destacou Rebecca.

Destaques

Em novembro de 2016, os segmentos que apresentaram crescimento, na comparação de janeiro a novembro de 2016 com o mesmo período do ano anterior, em moeda nacional, foram: Bens de Informática do polo Mecânico (49,56%); Brinquedos – exceto Bens de Informática (29,86%); Isqueiros, Canetas e Barbeadores Descartáveis (19,88%); Beneficiamento de Borracha (19,20%); Bebidas (9,84%); Bens de Informática do polo Eletroeletrônico (9,68%); Termoplástico (2,54%); Têxtil (1,61%); Ótico (1,48%); e Produtos Alimentícios (1,30%).

Em relação aos principais produtos fabricados no PIM, tiveram crescimento na produção, na comparação entre janeiro e novembro de 2016 com o mesmo intervalo de 2015, os seguintes itens: microcomputador desktop (404,16%, com 14.587 unidades produzidas só em novembro), monitores com tela de LCD (199,06%), unidade evaporadora de split (16,44%); lâminas e cartuchos (12,82%); e aparelhos de barbear (7,45%). Já o produto que representou o maior faturamento acumulado no PIM até novembro de 2016 foi o televisor com tela de cristal líquido, que ultrapassou a casa dos R$ 10,5 bilhões (mais de 15% de tudo que foi faturado no ano no Polo Industrial de Manaus).

Sábia decisão do presidente da Fifa

Ousada, oportuna e justa a decisão do presidente da Fifa, Gianni Infantino, aumentando o número de seleções de 32 para 48 na Copa de 2026. Decisão que desaponta os eternos críticos que nunca ergueram um tijolo pelo desenvolvimento do futebol. Infantino inspirou-se em João Havelange, que uniu povos e nações com o futebol, possibilitando inclusive a realização de uma copa do mundo na África do Sul. A iniciativa de Infantino contribui para o fim da segregação no futebol.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

O Sevilla merece respeito

O programa Redacaosportv costuma ser agradável. Porém, alguns sábios de plástico quando estão na bancada tornam o programa ruim, presunçoso, sonolento e irritante. Uma das toupeiras  é Paulo Cesar Vasconcelos. Tolo, pernóstico e debochado, nesta terça-feira, dia 10, fez pouco caso do excelente, vitorioso e centenário time do Sevilla. O idiota conhecido por PVC, deveria estudar mais e respeitar o Sevilla. Não é de graça nem a toa que o Sevilla ocupa a segunda colocação do campeonato espanhol. O time, o técnico e o elenco são fortes. Tanto é verdade que Ganso permanece na reserva. Está demorando a se adaptar ao corrido futebol espanhol. Quem é PCV para criticar e debochar do Sevilla? Jogou futebol onde? Já botou uma chuteira nos pés? Melancólico  pobre diabo.

SUFRAMA participa de posse do novo superintendente da Infraero

O superintendente da SUFRAMA, em exercício, Marcelo Pereira, participou  da solenidade de posse do novo superintendente do Aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes, Abibe Ferreira Junior, realizada no auditório do Terminal de Passageiro I do aeroporto. O novo superintendente foi empossado pelo diretor de Engenharia e Meio Ambiente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Rogério Barzellay.
Com o apoio da Infraero, em setembro do ano passado, a SUFRAMA reativou seu Posto de Atendimento de Mercadoria Nacional localizado no Terminal de Cargas 1 (Teca I) do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, que estava fechado há mais de um ano. O posto atende a empresas que estão no Canal Verde para desembaraço automático de mercadorias, de segunda a sexta-feira, das 10 16:00h.
Dados da Coordenação Geral de Controle de Mercadorias e Cadastro da SUFRAMA apontam que, de setembro a dezembro de 2016, o posto do aeroporto atendeu a um total de 8.166 manifestos, com a emissão de 52.294 Protocolos de Ingresso de Mercadoria Nacional (PIN) e 68.338 notas fiscais – o que equivale a uma média de 2.041 manifestos, 13.073 PINs e 17.084 notas fiscais por mês.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Alentos 2017

Carregue 2017 carinhosamente no coração. Ama mais, sempre. Digite menos, dirija mais. Respeite os espaços dos idosos. Não humilhe os fracos. Recolha as  porcarias de seus animais de estimação, deixadas pelos gramados, ruas e calçadas. Comece a respeitar e usar a lei da focinheira. O asfalto não é lixeira. Troque o ódio pela tolerância. Aprenda, de uma vez, a atravessar a faixa do pedestre. Costume-se a ligar a seta. Ela não é enfeite do carro. Respeite os direitos dos outros se quiser ser respeitado. 

Aprovado projeto do deputado Alfredo Nascimento

Foi aprovado por unanimidade na Comissão de Viação e Transportes  o projeto do deputado Alfredo Nascimento (PR/AM) que trata sobre recursos dos espaços para publicidade nos sistemas de transporte rodoviário, ferroviário, metroviário e aquaviário de passageiros .
A ideia da proposta é que a exploração comercial de espaços publicitários nos sistemas de transportes coletivos deve ter receita revertida para o próprio consumidor, uma vez que muitos reclamam do excesso de informações expostas nos diversos outdoorsbusdoor, televisores, cartazes e outras formas midiáticas que as empresas de transportes coletivos deixam-se explorar.
O relator, deputado Milton Monti (PR/SP) sugeriu um projeto substitutivo, que coloca a proposta de Alfredo inserida nas diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, cujas leis são nº 8.987/1995 e nº 12.587/2012, instrumentos jurídicos mais adequados para acolher o projeto.
O relator destacou: “A medida trazida pelo autor aponta as receitas oriundas da exploração publicitária como importante instrumento para a redução das tarifas, desde que efetivamente consideradas nas planilhas de composição tarifária dos serviços.”
“Qualquer iniciativa que resulte na redução do preço das passagens contribui para, indiretamente, elevar a renda de milhões de usuários desses serviços”, disse Alfredo.
A exploração comercial destes espaços ocorre sem que o respectivo benefício financeiro seja revertido para os usuários na forma de redução tarifária. “Nossa intenção é corrigir essa distorção, obrigando o concessionário de transporte coletivo a apropriar o montante obtido com a venda de espaços publicitários como receita operacional não fixa, a ser considerada no cálculo do valor das tarifas. As empresas de transportes coletivos que exploram estes recursos não têm nenhum custo com estas exposições midiáticas, apenas cedem o espaço.”
O projeto será analisado agora na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Renan tem luz própria

Para desapontamento dos que gostam de brigar com os fatos, registre-se e afixe-se que por seus méritos e conquistas pessoais, o senador Renan Calheiros pertence a galeria dos políticos expoentes do país. Na presidência do senado e do congresso, Renan defendeu a instituição com bravura e espírito público. Enfrentou com  vigor quem tentou solapar o legislativo. Calheiros não é dissimulado. Encara os desafios convencido que trabalha pela governabilidade e pela democracia.

sábado, 31 de dezembro de 2016

Não mudarei

Também em 2017 continuarei fazendo o que agrada ao coração,  a alma e a minha existência. Não tenho motivos para alterar minhas características de vida. Acredito na boa fé do ser humano. Na seu desejo de acertar e realizar. Contudo, repudio com vigor e rigor, sórdidos fantasiados de isentos e donos da verdade. Lutarei contra  o lero-lero dos hipócritas, venais e levianos. Enquanto tiver forças e Deus permitir, não me curvarei aos lacaios, parasitas, oportunistas e canalhas.  Não tomo atitudes para agradar ou desagradar a ninguém. Sigo o que manda minha consciência e minhas convicções. Deploro enérgica e enfaticamente idiotas que patrulham a vida alheia. Continuarei apartidário,  para ter autoridade, isenção e lucidez, para elogiar ou criticar quem mereça. Não me abalo com insultos e calúnias de patifes , velhacos e decaídos de espírito. Sou forjado em lutas,  no bom combate.  Meus pais me ensinaram  a não temer e enfrentar os obstáculos da vida. Sobretudo aqueles que parecem não ter solução. Se julgar necessário, retruco ofensas e canalhices no tom que o assunto exigir. Estou acostumado a enfrentar ordinários e farsantes. Sacripantas das redes sociais têm meu profundo desprezo. Quem joga as patas imundas nos outros sem coragem de assinar o próprio nome, seguramente nasceu no curral das vacas. Ou não deveria ter nascido. Nessa linha, quero que os corpos imundos desta corja de estúpidos e pulhas apodreçam  no esgoto das ratazanas e acabem no inferno. De onde jamais deveriam ter saído.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Boa escolha de Crivella

O prefeito Marcelo Crivella acertou em cheio escolhendo o carioca Rubens  Teixeira para Secretário de Conservação e Meio Ambiente da capital do Rio de Janeiro. Teixeira não vai desmerecer a confiança de Crivella, porque é profissional vigoroso, isento e competente,  com ficha limpa em 28 anos de serviço público. Nunca respondeu e não responde a qualquer processo. Nessa linha Rubens Teixeira processa a revistinha "Época" por matéria forjada, requentada e mentirosa, além do  repórter Diego  Escosteguy, que nunca é encontrado. Mas breve será. Teixeira defende que o Brasil deve adotar dinheiro digital, para acabar com a corrupção e crimes envolvendo dinheiro. Escreveu artigo sobre esta proposta revolucionária na Folha de São Paulo e no livro "Desatando o nó do Brasil". Recentemente,  Keneth Rogoff, ex-economista - chefe do FMI e professor de Harvard, publicou o livro "The curse of cash", defendendo a mesma idéia de Rubens Teixeira. Que entre outros cursos é Doutor em Economia, Mestre em Engenharia Nuclear, Bacharel em Ciências  Militares e tem curso de extensão no Instituto Militar de Engenharia sobre meio ambiente e petróleo no Instituto Brasileiro do Petróleo.Teixeira foi do Banco Central por 18 anos e diretor financeiro e administrativo da Transpetro. Foi oficial do Exército, da área combate(Infantaria-AMAN) e Tecnologia, como engenheiro.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Bons ventos para o Polo de Manaus

Outubro trouxe o segundo melhor resultado de 2016 em termos de faturamento em Real e geração de empregos no Polo Industrial de Manaus. De acordo com dados dos Indicadores de Desempenho do PIM, divulgados pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), o faturamento em outubro foi de R$ 6,75 bilhões (US$ 1.95 bilhão), atrás somente do resultado de agosto, quando foi registrado R$ 6,92 bilhões (US$ 2.11 bilhões). Já nos empregos, em outubro a mão de obra do PIM foi de 87.248 postos de trabalho, resultado que perde apenas para o mês de janeiro, quando estavam empregados 87.775 trabalhadores, entre efetivos, temporários e terceirizados.
Para a superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, os resultados consolidados do mês de outubro são importantes, principalmente considerando-se a conjuntura econômica brasileira. “Conforme esperávamos, o segundo semestre tem trazido resultados mais positivos, com aumento nos índices de faturamento e de geração de empregos, e isso nos traz mais otimismo e confiança. Esse é o terceiro mês consecutivo em que temos alta na mão de obra empregada do Polo e esperamos que essa tendência de retomada seja consolidada, intensificando a geração de emprego e renda não apenas na região, mas em todo o País, pois a atividade econômica do PIM traz benefícios diretos e indiretos a diversos Estados brasileiros”, afirmou.
O segmento Eletroeletrônico continua responsável pela maior participação no faturamento global, em real, do PIM, com 27,91% de contribuição. Na sequência, aparecem os segmentos de Bens de Informática do Polo Eletroeletrônico (18,43%), Duas Rodas (14,93%), Químico (14,77%), Termoplástico (5,95%) e Metalúrgico (5,35%).

Crônica da Cidade - Correio Braziliense - 22/11/91

Sérvulo Coimbra Tavares

Um mundo de gente , especialmente jornalistas e políticos de escol, reuniram-se para comemorar o aniversário (47 anos) de Vicente Limongi Netto, jornalista e, sobretudo, amigo como poucos. Briga às claras, intimorado, nas colunas dos jornais, defendendo amigos injustiçados. O Limongi, caboclo criado com muito pirarucu de casaca, temperado com o "cabralino" molho de pimenta murupi, faz-me lembrar o  imortal Vilaça, que gostava de citar Henrique Dias, herói ensandecido de Pernambuco que, na batalha de Porto Calvo, contra o invasor Nassau, após perder a mão esquerda bradava: "Basta-me a mão direita para servir a Deus e ao meu Rei". Limongi é assim. O seu Rei é o amigo, aquele mesmo que La Fontaine imortalizou em uma de suas fábulas: "Como um amigo verdadeiro é uma coisa doce!" Ele procura nossas necessidades no fundo do nosso coração. Ele nos poupa o pudor de nós mesmo descobri-las a ele". Por isso a casa de Wrilene e Limongi estava repleta, com os amigos chegando a noite inteira. Como no canto de Ezra Pound: "o que amas de verdade, permanece. O resto é escória".

Agradeço imensamente 
ao saudoso e eterno amigo Sérvulo.

Limongi
2016

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Renovo esperanças

Votos para que 2017 traga mais amor, menos desamor; mais verdade, menos mentira; mais esperança, menos desalento; mais solidariedade, menos intolerância; mais ação, menos omissão; mais gentileza, menos grosseria; mais energia, menos covardia; mais pão, menos exploração; mais alegria, menos tristeza; mais caráter, menos covardia;  mais dignidade, menos egoísmo; mais lealdade, menos hipocrisia. 

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Passou da hora de trabalhar

Como político qualificado, de  postura serena e firme, o deputado  Agaciel Maia valorizou e dignificou a vitória do deputado Joe Valle, na disputa para a presidência da Câmara Legislativa. Agaciel está acostumado a combater o bom combate. É hora de trabalhar sério em benefício dos brasilienses. Os deputados foram eleitos com esta finalidade. A população espera que em 2017 os distritais produzam mais e briguem menos. 

Analista político mais antigo em atividade é Hélio Fernandes

Evidente que Villas-Bôas Corrêa merece ser exaltado e homenageado. Contudo, Villas, que morreu aos 93 anos de idade, não é o "analista político mais antigo em atividade no Brasil". Na verdade, o mais antigo é o jornalista Hélio Fernandes. Com 96 anos, Hélio continua escrevendo diariamente. Com a lucidez e coragem habituais, no blog que leva o seu nome. Durante 50 anos, sem faltar um dia sequer, Hélio manteve coluna política no jornal "Tribuna da Imprensa". Por mérito e justiça, Hélio  Fernandes pertence a galeria dos notáveis e respeitados jornalistas políticos do Brasil. Ontem, hoje e sempre.
                                                                           Foto: Diário do Poder

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Recuar não significa derrota para Renan

Recuar não é perder. Basta saber a hora de recuar. Um passo atrás pode render a vitória almejada mais tarde.   Só poste não muda de lugar nem de opinião. O recuo é peça valiosa no xadrez político. Homem público de brios não teme recuar. Derrota só existe para os fracos. Renan Calheiros pensa com o cérebro. Desafetos do senador alagoano pensam com o fígado. Perdem todas. Não sabem nada de política. Analistas por correspondência não sabem nada. São repetitivos enfadonhos,  ressentidos e debochados.  Poderiam  aprender com Renan Calheiros regras elementares da política. Da boa convivência. Com desprendimento e gestos nobres. Dialogando de cabeça erguida. Olhos nos olhos.