quarta-feira, 26 de abril de 2017

Feira de Livros já conseguiu arrecadar 1,6 mil títulos nos pontos de coleta

A 3ª Feira de Livros, promovida pela Prefeitura de Manaus, como forma de estimular a prática da leitura, bem como o reaproveitamento de livros usados, já conseguiu arrecadar 1.628 livros de diferentes áreas do conhecimento, desde o começo da campanha de coleta, no dia 3 de abril, até agora. A feira acontecerá no dia 20 de maio, a partir das 17h, no Parque Municipal Ponte dos Bilhares, e contará com várias atrações, além da distribuição gratuita dos livros arrecadados. A estimativa é de que o número de volumes entregues nos pontos de coleta supere o total de livros arrecadados no ano passado – 2,5 mil.

Os livros podem ser doados na administração do Parque Municipal Ponte dos Bilhares, no Parque Municipal Lagoa Senador Arthur Virgilio Filho, no Japiim, e na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), na Rua Rubídio, 288, Vila da Prata. O evento faz alusão também ao Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado em 18 de abril, e integra o calendário oficial de eventos do parque. Na primeira edição, em 2015, foram arrecadados aproximadamente 1,5 mil volumes. Na segunda, no ano passado, mais de 2,5 mil. Todos são distribuídos gratuitamente.

Cada pessoa tem direito de levar para casa até cinco títulos. Este ano, o evento deverá contar com a presença de escritores, lançamento de livro, contadores de histórias, grupos de teatro e musicais. A coordenação da feira é do Departamento de Arborização e Paisagismo, da Semmas, responsável pela gestão do Parque Ponte dos Bilhares. Os interessados em doar livros podem levá-los aos pontos de coleta no horário comercial (de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h).

A feira conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Secretaria Municipal de Juventude Esporte e Lazer (Semjel), Fundação Municipal de Cultura Turismo e Eventos (Manauscult), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Sesc Amazonas e Faculdade Nilton Lins.



Ratazanas atacam na Folha de São Paulo

Paridos  no esgoto, cobertos de lama, pus e fezes, Juca Kfouri e Mariliz Pereira ouviram a parteira do inferno clamar: "Moleques, vão  ser canalhas na vida!".
Os sórdidos cumprem a risca a exortação. Graduados na patifaria, no recalque, na arrogância, na boçalidade e na canalhice, Kfouri e Mariliz  se esmeram no rodizio da torpeza. Sábado quem jogou as patas imundas na CBF e em Marco Polo Del Nero, foi Mariliz Pereira. Domingo, seguindo a mesma linha da sarjeta, foi Juca Kfouri. O interessante é que a Folha de São Paulo publica as sandices da dupla. O jornal deve achar que o leitor é idiota e não percebe a infame e cretina orquestração das duas almas penadas. Tanto é verdade que nenhum leitor, assinante ou não, sai dos seus afazeres para comentar as ordinarices de Mariliz e Kfoury. É difícil saber o que a Folha de São Paulo lucra publicando as surradas,bolorentas e cansativas análises( análises? Deus perdoe a blasfêmia!)dos folclóricos apedeutas.

terça-feira, 25 de abril de 2017

DUAS VIDAS - Marlene Galeazzi

Hoje completo minha maioridade. Soa estranho para uma pessoa da terceira idade, mas é pura verdade. E sabem o porquê? Simplesmente porque até agora tive duas vidas. A primeira, que me fez nascer do ventre de minha mãe, e que é coisa do passado. A segunda, foi a que me fez nascer da vontade de Deus. É a minha segunda vida e é a que interessa. Hoje comemoro mais um ano da primeira, a que me deu direito a registro em cartório. Mas neste semestre estou comemorando 21 anos da segunda, que me fez renascer, depois de enfrentar dias difíceis, nebulosos, assustadores mesmos, ao enfrentar uma cirurgia de mais de 12 horas e várias sessões de quimioterapia. Um tempo em que jamais perdi a esperança, procurando levar tudo como se fosse uma brincadeira que iria passar. E que passou, graças a Deus. Duas vidas e muitas histórias para contar. Não no papel, porque isto foi reservado para as minhas reportagens. Mas contadas e relembradas para mim mesma. Sempre na calada da noite, no mergulho do meu ser pela imensidão do universo, no aconchego do meu travesseiro e no acalanto de minha alma. Duas vidas e muitas histórias. Muitos amores, muitos desamores. Muita fidelidade, muitas traições. Muitos acertos, muitos erros, muitos enganos. Muitos tropeços em pedras pelos caminhos que eram para ser apenas forrados pelas pétalas da felicidade. Muitos enganos ao abandonar caminhos seguros para enveredar por estradas tortuosas, perigosas e traiçoeiras. Coisas da vida mas, principalmente, para quem teve a oportunidade de, numa existência só, viver duas vidas.
Hoje, junto a natureza que tanta paz me dá, ao lado das crianças que amo, agradeci a Deus por tudo o que vivi e, possivelmente, pelo que ainda viverei. Agradeci também pelas lições e o aprendizado que as duas vidas me deram e vem me dando. Lições que me ensinaram que, definitivamente, o dinheiro não compra a felicidade, que jamais, em tempo algum, devemos usar as pessoas para alcançar nossos objetivos, que devemos guardar e respeitar nossos amigos e nossos amores como se eles fossem tesouros raros que encontramos nos garimpos de nossas existências, que a sinceridade, a lealdade e a transparência de nosso atos, é um bem que não tem, preço. Aprendi também que o trabalho e a caridade devem estar presentes em todos os momentos de nossa vida. E, principalmente que a vida é como uma roda gigante. Quem nela está,uma hora fica lá em cima. Outra, fica lá em baixo. E que tudo o que fizemos para os outros, de ruim ou de bom, um dia volta ao nosso colo. Para vocês, amigos reais, leais e queridos, que lembram de mim neste 24 de abril, os meus mais sinceros agradecimentos. Que Jesus, a Virgem Maria e os espíritos iluminados, sempre estejam presentes em suas vidas.

Duas sobre futebol

1)  Depois de assistir, com prazer e entusiasmo, Real Madrid e Barcelona, um jogo inesquecível, e, a seguir, trocar  de canal para sofrer com a mediocridade do futebol carioca, foi um terrível exercício  de masoquismo para o torcedor que gosta do bom  futebol;

2) O "Bem,amigos" perdeu tempo e abusou da paciência do telespectador, entrevistando Elias, um jogador apenas regular.  O programa faria melhor se entrevistasse Ganso, este sim, jogador a altura da seleção brasileira, que estava encostado no Sevilla. Voltou a jogar,  com excelente atuação, marcando os dois gols da partida. Seguramente Tite gostou do que viu. Ganso jogou  como Murici Ramalho, agora no Sport, queria que atuasse no São Paulo: mais na frente,  aproveitando seu talento e maestria no passe, com grandes chances de fazer gols.  

Faturamento do PIM tem crescimento no primeiro bimestre de 2017

No primeiro bimestre deste ano, o Polo Industrial de Manaus (PIM) faturou R$ 11,82 bilhões, o que representa um crescimento de 12,19% em relação ao mesmo período do ano passado (R$ 10,54 bilhões). Em dólar, o faturamento do bimestre foi de US$ 3.81 bilhões, significando um expressivo incremento de 45,01% na comparação com o acumulado nos meses de janeiro e fevereiro do ano passado (US$ 2.62 bilhões).

Ainda de acordo com as informações fornecidas pelas empresas incentivadas no parque fabril de Manaus, a mão de obra do PIM em fevereiro foi de 85.500 trabalhadores, entre efetivos, temporários e terceirizados. O número é 1,22% menor que o total de vagas registrado em fevereiro de 2016 (86.554) e 0,63% inferior na comparação com o total inventariado em janeiro deste ano (86.039).

Já a média mensal acumulada no bimestre é de 85.769 empregos. O número é 0,15% maior que a média acumulada em 2016 (85.644). Nos primeiros dois meses do ano ocorreram 5.921 admissões e 4.808 demissões, perfazendo o saldo de 1.113 vagas ocupadas.

Segmentos

Com R$ 3,42 bilhões (US$ 1.1 bilhão) faturados no bimestre, o polo Eletroeletrônico teve a maior participação no resultado global de faturamento do PIM, respondendo por 28,96% do total. Em seguida estão os segmentos de Bens de Informática, com participação de 19,47%; Duas Rodas, com 14,40%; e Químico, com 11,23%.

Os setores que apresentaram crescimento na comparação entre o primeiro bimestre de 2017 com o mesmo intervalo de 2016 foram: Eletroeletrônico (17,27% em moeda nacional e 51,54% em dólar); Bens de Informática do Polo Eletroeletrônico (26,62% e 63,65%); Duas Rodas (10,88% e 43,16%); Termoplástico (13,19% e 46,40%); Bebidas (30,88% e 68,98%); Mecânico (66,26% e 114,89%); Metalúrgico (7,58% e 39,06%); Papel e Papelão (36,57% e 76,56%), Vestuários e Calçados (19,06% e 53,76%); Editorial e Gráfico (30,75% e 69,27%); Têxtil (42,92% e 84,82%); Mobiliário (13% e 46,13%); Beneficiamento de Borracha (11,57% e 44,17%); Brinquedos – exceto Bens de Informática (52,02% e 96,66%); Isqueiros, Canetas, Barbeadores Descartáveis (2,73% e 32,75%); e Naval (92,45% e 149,66 %).

Produtos

Entre os produtos que apresentaram incremento relevante de produção no acumulado dos dois primeiros meses de 2017, em relação ao mesmo período do ano anterior, destacam-se o monitor com tela LCD para uso em informática (1285,75%); home theater (328,80%); porteiro eletrônico (447,31%); condicionador de ar split system (94,74%); forno micro-ondas (88,35%); televisor com tela de LCD (30,77%); tablet PC (25,79%); DVD blu-ray (24,21%); microcomputador portátil (21,43%); receptor de sinal de televisão (17,21%); e telefone celular (13,26%).

Em termos de volume de faturamento apresentado, os dez principais produtos fabricados pelo PIM no primeiro bimestre de 2017 foram televisores com tela de cristal líquido (US$ 684.7 milhões e R$ 2,12 bilhões); telefones celulares (US$ 433.7 milhões e R$ 1,34 bilhão); motocicletas, motonetas e ciclomotores (US$ 424.9 milhões e R$ 1,31 bilhão); condicionadores de ar do tipo split system (US$ 167.6 milhões e R$ 520,2 milhões); receptores de sinal de televisão (US$ 67.8 milhões e R$ 210,2 milhões); placa de circuito montada para uso em informática (US$ 67.7 milhões e R$ 210,1 milhões); fornos micro-ondas (US$ 60.7 milhões e R$ 188,2 milhões); relógios de pulso e de bolso (US$ 44.7 milhões e R$ 138,8 milhões); autorrádios e aparelhos reprodutores de áudio (US$ 40.3 milhões e R$ 125,1 milhões); e bicicletas, inclusive, elétricas (US$ 22.1 milhões e R$ 68,6 milhões).

Análise

A superintendente Rebecca Garcia avalia que os indicadores do bimestre começam a sinalizar que o PIM está ganhando fôlego para iniciar a trajetória de retomada e recuperação econômica. “Os dados mostram que, após um período de oscilação negativa, o PIM começa a se recuperar. Ainda precisamos ser cautelosos, mas inspira otimismo o fato de que esse crescimento está sendo puxado pelos segmentos mais representativos do PIM como Eletroeletrônico, Bens de Informática e Duas Rodas, e com produtos como televisores e telefone celular apresentando crescimento de produção e faturamento”, analisou.

sábado, 22 de abril de 2017

Hipócritas pingentes de Rodrigo Caio

É incrível. A hipocrisia, o cinismo e a covardia  querem  dominar o  mundo. Nessa linha, é ultrajante que alguém tenha a audácia de criticar o magistral, saudoso e eterno craque, Nilton Santos,  a pretexto de elogiar o fair play de Rodrigo Caio. Duvido que o jogador do São Paulo mostraria tanta educação e desprendimento se botasse a mão na bola dentro da própria área e o jogo fosse final de copa do mundo. Francamente.

Jogral da patetice

Senador Alvaro Dias amuado: foi cortado do jogral criado para  canonizar a lava-jato e adoçar a boca do MPF.Alvaro ficou verde de raiva e perdeu o palanque.  Integram o jogral os bufões  Randolfe, Buarque e Reguffe. Timão para fazer inveja ao Corinthians. A pantomima  também serve para tirar do anonimato o trio maravilhoso do Janot. Os rapazes estão roendo as unhas, porque os delatores estão aparecendo mais do que eles. É o cúmulo. É a senha para aparecer na Globo. Se levarem um lero com Merval,  Chico Pinheiro ou Moreno poderão declamar  lorotas e conversas fiadas no programa do Faustão. Farão sucesso no quadro "Se vira nos 30". Lançarão CD que será distribuído nas paróquias e nos Centros de Candomblé. Será a glória. Outro sonho acalentado pelos  verborrágicos senhores do jogral é ser abençoado pelo Bispo Macedo. Aí é moleza. Falem com o Crivella que quebra o galho. E ainda arruma melancias para o estupendo trio colocar nas cabeças. É fantástico, o show da demagogia, do sabujismo  e da falta do que fazer.

Ganso voltou com tudo

Ganso voltou com tudo. Excelente atuação, premiada com 2 gols. Felizes todos  que gostam do bom, virtuoso, objetivo e inteligente futebol. Ganso jogou mais na frente. Acompanhou a intensidade do jogo. Fez lançamentos preciosos. Mostrou como só ele descobre espaços milimétricos para enfiar bolas e deixar o companheiro na cara do gol. Bom para o Sevilla que Sampaolo passe a entender melhor o Ganso. Quem perde é o futebol.  O meia provou que tem valor  para ser melhor aproveitado. Nessa linha, antes do jogo, mandei texto para a Folha de São Paulo onde ponderava: Ganso precisa reagir. Deixar a timidez de lado e se impor. Tite e a seleção contam com ele. Bom saber que estou acertando.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Declaração de amor

Meu amor e gratidão por Brasília são antigos. Nessa linha, peço permissão para recordar tópicos que escrevi, sobre Brasília, há 37 anos, na  edição de 21 de abril de 1980, do Correio Braziliense: O que tenho, o que ganhei, o que formei, o que guardei, o que construir, para mim e minha família foi Brasília que me possibilitou ganhá-lo e conquistá-lo. Palmo a palmo, sem tréguas. Mas com esperanças, lutas, esforço pessoal, obstinação. Não sou leviano nem hipócrita em nada que faço ou digo. Não uso eufemismo. Que impere o sentimento de ordem. Não só no lar, mas na escola, no convívio com a sociedade. Dentro do respeito à lei, dos direitos humanos, no amor ao futuro e no acatamento aos conselhos do passado. Segurança para adultos e crianças. Não existe segurança nacional sem segurança individual. Pátria que não assegura direitos não pode impor deveres. Vem, então, a galope, o que Oliveira Bastos antevê, com a sabedoria habitual: a violência avassaladora. A justiça de Brasília tem que ser rápida. Justiça que se arrasta, mesmo quando é reta, avilta o direito. Entre o governo de Brasília e a comunidade, a afinidade deve ser, sempre, mais ampla e aberta. Os interesses se conciliam. Da mesma forma as contrariedades e prejuízos. Entremos nessa. Dando o que o povo quer, Brasília ficará melhor. A recompensa maior, no caso, será para nossos filhos. Este é o legado, a palavra de ordem que deve orientar os governantes. Isto feito, o resto obteremos por acréscimo.

COLLOR AFIRMA PARA AMAURY JÚNIOR QUE NÃO DESCARTA DISPUTAR A PR

COLLOR NÃO DESCARTA CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA.
PERFEITO. FAZ MUITO BEM.  PORQUE NÃO? ESTRANHAMENTE COLLOR NÃO APARECE NAS LISTAS.   QUEM TEME COLLOR? QUEM TEM MEDO DA VERDADE?
A MEU VER, COLOCANDO TODOS   ELES DENTRO DO LIQUIDIFICADOR, INCLUSIVE OS CANDIDATOS DE SI MESMO, NÃO  DÃO MEIO COPO DE FERNANDO COLLOR.
COLLOR É, DISPARADO, O MAIS QUALIFICADO, O MAIS PREPARADO, O MAIS FIRME,  E O MAIS DETERMINADO DE TODOS ELES.
HOMENS DE BEM - FELIZMENTE A MAIORIA ESMAGADORA DOS BRASILEIROS - NÃO TEMEM COLLOR.
SÓ OS OUTROS .

Vídeo da entrevista:
https://www.facebook.com/colloralagoas/videos/1496422643735504/

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Absurdo do MPF contra Cláudia Cruz

Extravagante, revanchista e absurdo,  o pedido do MPF para que a mulher de Eduardo Cunha seja presa em regime fechado. Não há nos autos contra Cláudia Cruz elementos para que a justiça cometa  extrema covardia. Seguramente o MPF quer criminalizar,  fragilizar e se vingar do ex-presidente da Câmara, atingindo a mulher dele. É patético e lamentável que o MPF trabalhe e decida de forma truculenta, arrogante e pretensiosa. Nessa linha, quem está fora da lei é o MPF.  Vem em boa hora a lei contra abusos de autoridade. Magistrados em geral se  acham donos da verdade. Inatacáveis, paladinos e deuses. Incrível.

Embaixador do Cazaquistão convida SUFRAMA para Astana Expo-2017

A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, acompanhada dos coordenadores gerais de Comércio Exterior, Sandra Almeida, e de Planejamento e Programação Orçamentária, Emmanuel de Aguiar, recebeu o embaixador da República do Cazaquistão, Kairat Sarzhanov, e o ministro conselheiro da Embaixada, Temirlan Aimagambetov. Os visitantes convidaram oficialmente a autarquia para participar da Astana Expo-2017 Future Energy, feira mundial que será realizada de 10 de junho a 10 de setembro na cidade de Astana, no Cazaquistão.

O embaixador afirmou que a participação da SUFRAMA seria muito importante na feira para apresentar o modelo Zona Franca de Manaus e fazer o intercâmbio com as empresas do Cazaquistão interessadas em investimentos no exterior. Sarzhanov informou, ainda, que se reuniu com representantes do governo do Amazonas para formalizar convite ao Estado e que tem interesse em levar informações sobre a Usina Hidrelétrica de Balbina, localizada no município de Presidente Figueiredo (AM), para a feira.

A Astana Expo-2017 tem como tema a energia do futuro e seu impacto global, além de inovações e soluções práticas na área. A feira contará com pavilhões distribuídos em 25 hectares de área. O embaixador informou que já estão confirmados 115 países, sendo sete da América Latina, e vinte organizações internacionais.  O Brasil ainda não se pronunciou oficialmente sobre a presença no evento.

A superintendente Rebecca Garcia agradeceu o convite e informou que irá verificar de que forma a SUFRAMA pode se inserir na feira. “Ficamos muito honrados com o convite. O fato de o embaixador vir aqui mostra a relevância do nosso modelo de desenvolvimento para esse evento mundial”, ressaltou.

Penas Alternativas

Não é de hoje que temos nos manifestado contra privilégios absurdos que têm sido concedidos aos possuidores de “colarinhos brancos” e de polainas de luxo.
É inadmissível que delatores sejam beneficiados com a  redução da sétima parte da pena e ainda desfrutem de prisão domiciliar usando tornozeleiras  eletrônicas, após jogarem no lixo seus amigos- comparsas com quem surrupiaram dinheiro da União durante décadas.
Aqueles que tiram do pobre  recursos que poderiam ser destinados
à saúde, educação e segurança, deveriam ser enquadrados nos crimes hediondos.
De que adianta colocá-los na cadeia para, poucos anos depois, usufruírem dos benefícios da plena liberdade? Congestionarão, ainda mais, os presídios hiper-lotados e teremos  de pagar as suas estadias. Terão direito, também, ao salário prisional?
Para eles, a pena alternativa deveria ser muito mais traumática do que a pena principal.
Em primeiro lugar, teriam de  ressarcir- com juros e correção – o lucro de sua corrupção. Seus bens seriam imediatamente confiscados.
Somente se livrariam da ficha suja após devolverem ao Estado, integralmente, o fruto de seu crime revoltante.
Se políticos, teriam seus direitos cassados  até o final da existência. Quem nasce torto...
Se empresários, não mais poderiam participar de licitações públicas – em qualquer nível – até a restituição do último centavo.
Se funcionários públicos, seriam demitidos e proibidos de exercerem cargos semelhantes.
Se  militares, expulsos de suas organizações  e perderiam as patentes.
Estas sanções alternativas seriam muito mais importantes e sentidas do que a pena principal de alguns anos de cadeia.
Quem gostaria de correr este risco?
A maior punição é a que pesa no bolso!
Se tais providências tivessem sido tomadas há pelo menos um século, o Brasil seria outro. Não haveria tanta miséria, as obras de infraestrutura teriam outra dimensão, o povo seria mais saudável, educado e instruído, a segurança maior, o desemprego menor e a corrupção controlada.
Estamos cansados de tantos escândalos e de tanta ausência de vergonha. Cada dia aparece um fato novo que ocupa as manchetes do noticiário e que só dá dividendos para a mídia.
Estamos às vésperas das eleições de  2018. E qual o cenário? Quais os candidatos? Quais os partidos e alianças? E a reforma política? Como serão as contribuições de campanha? E a forma de governo? Mais desgastantes impedimentos até lá? Mais políticos e ex-governantes na cadeia? O presidencialismo se esgotou? E a situação econômica- financeira? A saúde, a educação e a segurança? E o povo?
Diante de tantas incógnitas e da falta de perspectiva, há imperiosa  necessidade do plantio de sementes em benefício das próximas gerações.
E a adoção de penas alternativas  rigorosas, à semelhança das propostas, além de oportunas seriam de grande valia para tamponar o fedorento esgoto da corrupção que empestiou o nosso País e banalizou-se.

Diógenes Dantas Filho- Coronel Forças Especiais/ Consultor de Segurança

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Romário ou Kfoury: duro saber qual o mais patife

"As rosas não falam" (Ah, Cartola e Nelson Cavaquinho). Porém, canalhas e pulhas  da laia imunda de Romário e Juca Kfoury,  paridos em lugar desconhecido, rosnam,  latem, rastejam, uivam e relincham.  Expoentes da escória humana. Difícil saber qual dos dois é mais infame, ordinário, recalcado e ignorante. Romário e Kfoury  são  patifes que insistem em posar de donos da verdade, da ética e dos bons costumes.Lorota. Morro de rir.  O melancólico, bravateiro e medíocre senador se esconde  atrás da imunidade parlamentar para jogar as patas na CBF e no presidente da entidade, Marco Polo Del Nero. Por sua vez, outro doente, o protozoário e folclórico Kfoury, rebotalho mor da imprensa esportiva, emporcalha as páginas da Folha de São Paulo com artiguetes infames.  Romário e Kfoury há muito tempo são fortes candidatos para dividir o troféu Equestre. Metade cavalo e jumento, a outra metade, também.

Para jurista generalização é a salvação dos canalhas

Incrível, patético e lamentável: a maioria dos jornais ignorou declarações do ex-ministro da Justiça, ministro aposentado do STF e ex-presidente da Câmara Federal, Célio Borja, sobre a lava-jato e as delações da Odebrecht.
De acordo com o jurista Célio Borja, as delações não são provas. São apenas a narração de fato que pode ser criminoso ou não. Borja exemplifica: "Dizer que o candidato recebeu doações. É preciso provar que ele sabia que doações vinham de fonte ilícita. Mas ninguém se preocupa com isso. Pelo fato de ter sido citado em delação , ele acaba no rol dos culpados. Estão criminalizando quem não é absolutamente criminoso. E estão colocando nessa triste posição quem não tem nada a ver com isso".
No entender de Borja, a generalização "é a salvação dos canalhas. Se jogam na mesma lama parlamentares corretos e decentes e os incorretos e indecentes". A seu ver, o Congresso tem legitimidade para tocar as reformas. "Se você não tiver Congresso, o país fica acéfalo. Isso é pior que tudo". Célio Borja acredita que as instituições políticas permanecem fortes. "Enfraqueceram-se pessoas, partidos, candidatos e posições políticas. A consciência moral do povo brasileiro evoluiu. O que se tolerava antes, não se tolera hoje".

terça-feira, 18 de abril de 2017

Arthur retoma rotina de reuniões com secretários para alinhar estratégias de governo

Depois de dedicar o seu primeiro dia de volta ao comando do Executivo municipal às atividades de rua,  o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, reuniu parte do seu secretariado para delinear as ações da prefeitura para este ano. Segundo ele, os despachos com o primeiro escalão voltarão a ser rotina para manter alinhadas as estratégias de governo.

“Vamos ter encontros pontuais, reunindo uma quantidade menor de secretarias. Quero qualidade nos assuntos tratados, o que se torna inviável em reuniões gerais, até pela quantidade de secretários e o tempo reduzido que cada um tem para expor suas propostas”, explicou o prefeito.

Ao lado do vice-prefeito Marcos Rotta e da primeira-dama Elisabeth Valeiko, Arthur disse que a principal medida é otimizar os recursos da prefeitura e buscar parcerias que possam ampliar a capacidade de investimento.

“Desde o início desta gestão, já havia determinado que se trabalhasse com foco nas parcerias público-privadas e nas concessões onerosas. E hoje falamos da possibilidade da construção de novas unidades de ensino e da reforma de pontes por meio dessas alternativas”, destacou o prefeito.

Participaram do encontro a secretária municipal de Educação (Semed), Kátia Schweickardt, acompanhada de seus subsecretários; o secretário extraordinário (Semex), Luís Fabian; além do procurador-geral do Município (PGM), Marcos Cavalcanti.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Generalizar é perigoso e covarde

Generalizar é perigoso, infame, injusto e covarde. Todos os políticos da lista do Fachin não podem nem devem ser enquadrados no mesmo delito. Muito menos penalizados  com mesmo rigor.A  mídia aproveita para informar com os olhos sangrando. Coloca todos no mesmo balaio.  Não livra a cara de ninguém. Age e "trabalha" como dona da moral e da ética. O bom jornalismo exige apuração rigorosa dos fatos. Alguns dos sábios expoentes da imprensa  não deveriam nem sair de casa. São calejados em  canalhice, má-fé, cretinice e hipocrisia.  Eternos patrulheiros e vestais grávidas. O tema vai render muito. Delatores  agora são tratados como salvadores da Pátria. Reitero que, a meu ver, delator é rato, não é homem. Entrega a própria mãe para livrar a cara. O senador Collor, por exemplo, figura na lista porque recebeu doação de campanha para governador, em 2010. Qual é o crime?  Ao contrário de tantos outros listados,  Collor não se intrometeu em licitações nem em medidas provisórias, muito menos prometeu nem garantiu obras para a Odebrecht nem para qualquer outra empresa. Não contabilizou nada indevido.  Criminoso, venal e ignorante é quem chama Collor de corrupto. O tempo é senhor da razão.







terça-feira, 11 de abril de 2017

Moreno , Roseana, Temer e ministros

Jorge Bastos Moreno conta(8/4) que a ex-governadora Roseana Sarney conversou com Michel Temer e não poupou a  ineficiente comunicação do governo com a sociedade.   Um ministro de Temer devolveu as farpas para Roseana, alegando, com ironia, que ela "é a rainha da boa imagem". Roseana deveria replicar, afirmando que ministros mais chegados ao presidente não têm espelho em casa nem moral para atirar pedras em ninguém.

Escola municipal de Manaus é a única pública do País classificada para Etapa Internacional de Torneio de Robótica

A equipe de robótica da Escola Municipal Jorge de Resende Sobrinho, localizada na zona Leste de Manaus, foi classificada para a Etapa Internacional do Torneio de Robótica First Lego League (FLL) Open European Championship, que será realizado entre 26 e 28 de maio, na cidade de Aarhus, na Dinamarca. No total, dez escolas brasileiras foram selecionadas e a unidade da rede municipal de ensino é a única pública do país a chegar a essa fase.
Os alunos Daniel Ribeiro, 15, Laís Sampaio, 14, Pedro dos Santos Oliveira, 15, Sâmila Magalhães, 14, Thiago Michiles, 15, juntamente com a professora Grasielle Souza, e o diretor Oswaldo Fernandes, que compõem a Equipe Invictus, da Jorge de Resende Sobrinho, se classificaram em 31º lugar na competição nacional, que aconteceu em março, em Taguatinga, Distrito Federal.
Os estudantes desenvolveram um game educativo que tem como personagem principal o Sauim de Coleira. O projeto foi desenvolvido para chamar a atenção das crianças e jovens sobre o animal que só existe nas matas de Manaus, Rio Preto da Eva e Itacoatiara e corre risco de extinção. Segundo o diretor da escola, o desafio do robô 213 na mesa de competição e o designer do game foram o diferencial no projeto apresentado.

A disputa

A equipe de Manaus foi a única escola pública selecionada na Etapa Regional e na fase nacional concorreu com outras 75 equipes, das quais somente cinco eram de unidades públicas. Para a etapa internacional, os jovens enfrentarão alunos de mais de 90 escolas públicas e privadas de todo mundo.
O gestor da unidade, professor Oswaldo Fernandes, ressaltou que agora a equipe está voltada para a busca de apoio de empresários para o patrocínio dos custos da viagem que incluem pagamento das inscrições, passagem e hospedagens. O gestor destaca que a classificação para a etapa internacional do torneio representa um importante marco para a escola e comunidade.
“Além de incentivar que os alunos se interessem pelas áreas de exatas e possibilitar que eles encontrem uma ocupação, também é uma forma de ascensão social de alunos que vivem um uma zona vermelha da cidade e conseguem mudar esse cenário, tornando-se exemplos para os alunos mais jovens”, disse o gestor.
O Torneio de Robótica First Lego League é voltado para crianças de 9 a 16 anos e tem o objetivo de despertar nos alunos de unidades de ensino do Brasil o interesse por temas como ciência e tecnologia, dentro do ambiente escolar. Além disso, a competição desafia os estudantes a investigar problemas e buscar soluções inovadoras para situações da vida real,  bem como programar robôs com a tecnologia “Lego® Mindstorms®” para cumprir as missões da mesa de competições em 2 minutos e 30 segundos.
A secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, destacou a conquista dos alunos da escola Jorge Resende como uma vitória de toda a rede municipal de ensino, uma vez que mostra que os resultados estão surgindo não apenas nas melhorias dos índices educacionais, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
“É um símbolo do quanto nós estamos valorizando o trabalho pedagógico, o trabalho voltado para a aprendizagem das nossas crianças, dos nossos adolescentes e, aos poucos, vão surgindo esses resultados. Estamos crescendo no modo como as nossas crianças estão lidando na produção do conhecimento”.

Projeto de Robótica na Jorge Resende  


O projeto acontece na escola desde junho de 2015 e, ao todo, envolve 28 alunos, que são incentivados a ter o contato mais intenso com a tecnologia. Para participar do projeto, os alunos têm que ter uma média bimestral acima de 8 em todas as disciplinas. 

Marcius Melhem adora chupar prego

Um cachorro pirento, adorador de salto com vara, enlouquecido por  rapazolas de fino trato, que atende pela  alcunha de Marcius Melhem, confessou em artiguete na Folha de São Paulo que "nunca fui bom de primeira vez". Seguramente  foi currado na estrebaria das vacas, ou na zona de beira de estrada. Tentando fazer graça com a própria imbecilidade, Marcius diz que o primeiro beijo dele "foi um vexame". Não esclareceu se foi no beiço do jumento ou na cabeça  da égua. Com a boca imunda daquilo que parece leite condensado, mas não é,   o atormentado, farolento,  piolhent,  desajustado e infame  Marcius Melhem  faz piada cretina contra Collor de Mello. Tira o teu da reta,  saco de lixo hospitalar. O ex-presidente Fernando Collor não é da tua laia. Enquanto o repugnante, desprezível e ordinário Marcius   passa a vida chupando prego até virar parafuso,  nos bastidores  do programeco "Zorra", o valoroso Collor, por sua vez, como senador,  trabalha com isenção, firmeza e espírito público, para melhorar a qualidade de vida dos brasileiros menos  favorecidos. O sacripanta Melhem é mais um humorista de quinta categoria que vai apequenar a Folha de São Paulo. Tiririca agradaria  os leitores muito mais.