quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Coluna do amigo Gilberto Amaral


Conclave I

Há expectativa geral sobre o conclave do qual resultará a eleição de um novo Papa, em substituição de Bento XVI. Conclave, expressão que vem do latim “cum clave”, significa com chave, pois, trata-se de reunião com clausura rigorosa dos cardeais, para a eleição de um novo Papa.

Conclave II

A primeira vez que se usou a expressão foi em 1274, pelo Papa Gregório IX. A motivação foi a demora na sucessão do Papa Clemente IV, que levou mais de um ano e meio. Ao inaugurar o ritual do conclave, Gregório IX quis prevenir a possibilidade de longa demora na escolha dos pontífices.

Conclave III

Aliás, como esta coluna noticiou ontem, o ex-Núncio Apostólico dom Lourenço Baldisseri será o secretário do conclave. Ele será o primeiro a saber o nome do Papa, pois, caberá a ele fazer o escrutínio dos votos, seja na primeira, segunda, terceira ou quarta votação. Só Deus sabe.


Dilma no Jaburu

No jantar de ontem oferecido pelo vice Michel Temer ao presidente José Sarney, a presidenta Dilma incorporou-se às autoridades presentes do PMDB para homenagear o grande homem público deste país que é José Sarney. Depois eu conto mais.


Especulação

O assunto na área da Secretaria da Receita Federal é saber quem substituirá Zayda Manatta no cargo de secretária-adjunta.

Engodo colossal

Reitero aos franciscanos de barro e professores de ética de meia pataca que considero uma farsa, um colossal engodo, a petição eletrônica contra Renan Calheiros. Gostaria de perguntar aos que choram pitangas no túmulo dos derrotados por Calheiros na disputa para a presidência do Senado e do Congresso, em qual armazém de secos e molhados foram comprar a garantia de que todos os milhões de “assinaturas” rosnando contra Renan são verdadeiras.


Farsa online

Uma marcante evidência da farsa online contra Renan foi revelada pelo ex-governador do Paraná e senador, Roberto Requião. Disse o parlamentar que, para provar a falta de consistência e legitimidade do papelucho contra Renan, escreveu o e-mail do próprio senador Calheiros na bolorenta petição. Ou seja, é impossível controlar e fiscalizar se a procedência do e-mail enviado é verdadeira.

Ponto intrigante

Também curioso e estranho que os jovens mancebos fantasiados de salvadores da Pátria, com o apoio de pingentes dos holofotes, tenham levado ao Senado caixas vazias da tal petição contra Renan. Creio que seria mais correto se imprimissem os milhões de “assinaturas” para mostrar ao Brasil e para o mundo a autenticidade da iniciativa.

Menor confiança

O otimismo dos comerciantes de todo o País quanto ao desempenho da economia, que vinha crescendo desde agosto na comparação anual do Índice de Confiança do Empresário do Comércio, cedeu -1,7% em fevereiro. A CNC divulga hoje os resultados do Icec.

Registro

O deputado Átila Lins registrou ontem, na tribuna da Câmara, a posse de Luciana Lóssio como ministra efetiva do Tribunal Superior Eleitoral. Ela ocupou a vaga destinada à advocacia, que pertencia ao ministro Arnaldo Versiani. Em tempo: com a posse, o TSE passa a ser o primeiro Tribunal Superior brasileiro com maioria de mulheres.


Condecoração

O presidente Sarney foi homenageado ontem, em seu gabinete, pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Ele recebeu das mãos dos desembargadores João Mariosi, presidente, e Dácio Vieira, corregedor e presidente eleito, a ordem do Mérito Judiciário no grau Grão-Colar, a mais alta condecoração concedida pelo TJDFT.

O que acontece por aí...


Viva o Rio!

Abraço o Rio de Janeiro com entusiasmo. São 448 anos de beleza e ternura. O mundo inteiro ama as belezas do Rio de Janeiro. Gostem ou não os pessimistas, rancororos e invejosos, o Rio jamais deixará de ser a legítima cidade maravilhosa de encantos mil. Não tentem falar mal do Rio de Janeiro na minha frente que viro bicho.

Relações exteriores em ação

Sob a presidência do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara Alta aprovou requerimentos do líder do PSDB, senador Alvaro Dias, convidando para comparecer á comissão o ministro Antônio Patriota e o secretário-geral da presidência da República, Gilberto Carvalho. A CRE aprovou também requerimento com a mesma finalidade, apresentado pelo senador paulista Aloisio Nunes, para que o embaixador de Cuba, Carlos Zamora Rodriguez, preste  esclarecimentos pela presença de agentes cubanos designados para acompanhar os passos da escritora e blogueira Yoani Sánchez no Brasil, além da participação de servidores do governo brasileiro no mesmo esquema.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Collor diz que setor da saúde em Alagoas está em estado crítico



Ao discursar em Plenário nesta quarta-feira (27), o senador Fernando Collor (PTB-AL) declarou que a situação da saúde pública em seu estado, Alagoas, é cada vez mais crítica. Disse também que, "dada a incapacidade, a inoperância e a letargia da administração do governador [Teotonio Vilela Filho, do PSDB], os prognósticos de solução são os piores possíveis". Segundo Collor, os problemas envolvem desde a deterioração e a carência de unidades, leitos e equipamentos até as condições de trabalho e remuneração dos profissionais da saúde, incluindo a falta desses profissionais e sua distribuição desigual pelos municípios.
– O povo alagoano está cada vez mais jogado à própria sorte quanto à oferta de serviços na rede pública de saúde – protestou o senador.
Como exemplo dessa situação, Collor informou que haveria, atualmente, 45 hospitais públicos fechados no interior do estado e que os dois principais hospitais de emergência de Alagoas estariam superlotados.
Outro ponto ressaltado pelo senador foi a situação dos médicos. Ele frisou que uma denúncia do Conselho Regional de Medicina aponta não só salários defasados para essa categoria, mas também a falta de estrutura para o exercício do trabalho. Nesse contexto, observou, a maioria dos jovens recém-formados busca oportunidades e melhores salários em outros estados. A distribuição desses profissionais é outra questão: quase 95% estariam concentrados na capital, Maceió.
– É por motivos como esses que os médicos fizeram uma greve de mais de dois meses para questionarem a postura do Executivo estadual – assinalou, acusando o governo local de manter "contratos de boca" com médicos que atuam no interior.
Ao reiterar que o governador de Alagoas precisa priorizar a saúde, Collor defendeu medidas como a valorização dos profissionais do setor e investimentos "pesados" nas unidades de atendimento. E ressaltou que é necessário encontrar "tanto soluções emergenciais quanto definitivas, criativas, mas também factíveis".

Agência Senado

Leia a íntegra do pronunciamento, clicando aqui. Ou confira o vídeo da TV Senado a seguir.

video

Collor quer modificar o rito de escolha de diretores de agências reguladoras


A escolha de diretores indicados pelo Executivo para as agências reguladoras poderá ter seu rito modificado para que a Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) tenha a prerrogativa de rejeitar uma indicação que não atenda a princípios constitucionais. Para isso, será feita uma análise preliminar da admissibilidade do indicado com base na documentação enviada por ele. Esse é o primeiro item da pauta da comissão, que está reunida na manhã desta quarta-feira (27). A proposta é de autoria do presidente da CI, senador Fernando Collor (PTB-AL), e altera o ato que trata do funcionamento da comissão e da arguição de autoridades indicadas pelo Executivo para a diretoria de agências reguladoras (Ato 1/2009-CI). Pela proposta de Collor (Ato 4/2013-CI), também o dia das reuniões da comissão será alterado. A CI passará a se reunir todas as quartas-feiras, às 8h30, em vez de às quintas-feiras. Nesta primeira reunião desse período legislativo, a CI examina ainda dois requerimentos, também de autoria do senador Fernando Collor. Um deles requer a promoção de ciclos de audiências públicas, quinzenalmente, às segundas-feiras, para discutir propostas setoriais para a infraestrutura, especialmente no que diz respeito à logística do país. O outro requerimento extingue a Subcomissão Temporária sobre a Aviação Civil, que funciona no âmbito da CI, e cria a Subcomissão Permanente de Acompanhamento das Obras de Transposição e Revitalização do Rio São Francisco. A reunião da CI acontece na sala 13 da Ala Senador Alexandre Costa, é aberta ao público e pode ser acompanhada ao vivo pela TV Senado na internet.

Agência Senado

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Collor é o novo presidente da Comissão de Infraestrutura


O senador Fernando Collor (PTB-AL) acaba de ser eleito presidente da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado Federal para o biênio 2013/2014. O vice-presidente é o senador Sérgio Petecão (PSD-AC). Eles foram eleitos por unanimidade. Logo depois, Collor convocou reunião da CI para esta quarta-feira (27), às 8h30. Lúcia Vânia (PSDB-GO) e Blairo Maggi (PR-MT), que exerceram a presidência e a vice da CI no biênio 2011/2012, receberam elogios de senadores presentes à reunião, que destacaram a competência de ambos na condução dos trabalhos do colegiado.

Veja também:

Ciro tem razão


Vou meter minha colher: Ciro Gomes tem mil defeitos, mas tem vezes que acerta na mosca. Criticou Eduardo Campos com toda razão. O governador pernambucano anda mesmo deslumbradão. Bom baixar a bola. Caso contrário, vai entrar na onda dos bajuladores e vai quebrar a cara. Campos disse que a opinião de Ciro não é a do partido. E daí? São procedentes as afirmações de quem tem mais experiência e vida na estrada política do que o jovem Campos. Se as eleições presidenciais fossem hoje, Dilma ganharia de lavada de todos os adversários. Inclusive de Eduardo Campos.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O que acontece por aí


Autêntica desmoralização

É uma autêntica desmoralização, que apenas sacia o apetite doentio dos canalhas, freqüentes cenas mostrando fotos e imagens de marginais, assassinos, traficantes, etc, quando detidos, usando camisa da Seleção brasileira. O pior, sempre tem destacado o escudo da CBF e, geralmente, como agora, com o bandido preso em Florianópolis, com a grife da Nike, também patrocinadora da Seleção. Quero dizer-ponderar o seguinte: algum parlamentar deveria apresentar projeto proibindo a divulgação de escudos da CBF ou de clubes, quando da prisão de malfeitores. São imagens tristes, desagradáveis, que podem até abalar a admiração que crianças e jovens estão voltando a ter pela Seleção brasileira. Os próprios policiais deveriam ter o bom senso e a sensibilidade de fazer com que nomes de empresas famosas, que ajudam o futebol brasileiro, além do escudo-logotipo da CBF, não sejam focalizados-destacados pela imprensa na hora em que bandidos são presos. É uma tremenda propaganda ruim, feia, ridícula,  desgastante, para o futebol. Fico injuriado e triste quando vejo cenas constrangedoras que não acrescentam nada de positivo ao esporte.  Sobretudo agora, perto da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. 

Trabalhem para Mudar

Leitores como Rubens Murilo de Lucas mostram-se tristes, indignados e desapontados pelo atual quadro da política brasileira. Adoram jogar pedras nos outros. Criticam, insultam, mas não sugerem nada de prático ou concreto. Rubens e outros deveriam, a meu ver, ingressar firme na política. Quem sabe não mudariam a situação?

Farsa, hipocrisia e cinismo no futebol

A família do  torcedor boliviano não terá o filho de volta, mas o Corinthians continua patrocinando um filme com roteiro de terror, cinismo e hipocrisia. Montou-se uma farsa em torno da morte do torcedor. Anunciaram que identificaram o verdadeiro autor do gesto irresponsável que matou o torcedor. Por cretina coincidência trata-se também de um menor de idade. Querem que o jovem corintiano sirva de bode expiatório para tentar aplacar a indignação nacional e mundial em torno da morte do boliviano. Faz-se pouco caso da vida perdida do boliviano, utilizando-se a vida de outro menor que, na verdade, ninguém sabe se realmente foi à Bolívia torcer pelo Corinthians. Para completar a estupidez, querendo passar a impressão de que a torcida do Corinthians é formada por anjos, fizeram cartazes em São Paulo lamentando a morte do jovem boliviano. Tenho ânsia de vômito.

Amigo meu não tem defeito

Reitero aos  franciscanos de barro e professores de ética de meia pataca que considero uma farsa, um colossal engodo, a petição eletrônica contra Renan Calheiros. Gostaria de perguntar aos que choram pitangas no túmulo dos derrotados por Calheiros na  disputa para a presidência do senado e do congresso, em qual armazem de secos e molhados foram comprar a garantia de que todas as "assinaturas" rosnando contra Renan são verdadeiras. Uma marcante evidência da farsa online contra Renan foi revelada pelo ex-governador do Paraná e senador Roberto Requião. Disse o parlamentar que para provar a falta de consistência e legitimidade do papelucho contra Renan, escreveu o e-mail do próprio senador Calheiros na bolorenta petição. Ou seja, é impossível controlar e fiscalizar se a procedência do e-mail enviado é verdadeira. Também curioso e estranho que os jovens mancebos fantasiados de salvadores da Pátria, com o apoio de pingentes dos holofotes,tenham levados ao senado caixas vazias da tal petição contra Renan. Creio que seria mais correto se imprimissem "assinaturas" para mostrar ao Brasil e para o mundo a autenticidade da iniciativa.

Experiência de promotor norte-americano auxiliará em novas regras para segurança em estabelecimentos


Patrick Lynch visitou a senadora Ana Amélia nesta sexta-feira e se comprometeu em enviar informações

A senadora Ana Amélia (PP-RS) recebeu, nesta sexta-feira (22), a visita de Patrick Lynch, ex-procurador-geral de Rhode Island, nos Estados Unidos, onde um incêndio em uma boate há 10 anos matou 100 pessoas. Em razão das características semelhantes à tragédia de Santa Maria, com 239 mortes, Lynch esteve no Rio Grande do Sul na quinta-feira (20) para avaliar o trabalho desenvolvido após o incêndio na boate Kiss. No Rio Grande do Sul, Lynch foi recebido pelo procurador-geral gaúcho, Eduardo de Lima Veiga. Segundo o norte-americano, as investigações em Santa Maria estão bem encaminhadas. Ele elogiou o trabalho de delegados e promotores responsáveis pelo caso. Em Rhode Island, Lynch foi o responsável pela acusação na área criminal e cível do incêndio na boate The Station. A tragédia em território norte-americano também foi provocada por fogos de artifício que faziam parte do espetáculo. Material inflamável na boate, superlotação e ausência de saídas de emergência contribuíram, assim como em Santa Maria, para o grande número de mortes. O ex-procurador-geral declarou ter tomado conhecimento do trabalho da senadora para elevar a segurança em estabelecimentos comerciais, esportivos ou de entretenimento de todo o país. Ana Amélia, junto com os outros senadores da bancada gaúcha, criou a comissão temporária do Senado para revisar e criar regras que evitem tragédias como a de Santa Maria. A senadora estuda apresentar projeto para proibir a cobrança por comandas. Lynch concordou que essa é uma medida válida, pois os seguranças tendem , ao menos inicialmente, a fazer seu trabalho e impedir a saída das pessoas que não pagaram, como ocorreu em Santa Maria. Ana Amélia ainda relatou que convidou o Instituto Sprinkler Brasil para uma audiência no Senado, na qual o chuveiro automático para ambientes fechados, que inibe a propagação do fogo, será apresentado. A reunião, proposta pela progressista gaúcha, debaterá o projeto de lei (PLS 491/2011) do senador, atualmente ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB-RJ), que trata de regras para a inspeção predial. Representantes dos setores de construção, da indústria e de imobiliárias também participarão da audiência.
- Fazemos as coisas melhores quando não fazemos sozinhos. Por isso, contribuições sobre seguro, leis e inspeções são bem-vindas. Você tem essa triste experiência que pode ajudar a trazer mais segurança no Brasil – destacou Ana Amélia.
Lynch concordou e confirmou que assim que retornar aos Estados Unidos, no início da próxima semana, enviará informações sobre alterações nas regras norte-americanas. Ele ressaltou que ações simples podem salvar vidas. Como exemplo, citou a adoção de sinais indicadores de saída no chão, pois é ensinado desde criança que quando há incêndios em ambientes fechados se deve abaixar ou rastejar, para evitar a fumaça.
- Na Broadway, antes de começar o show, as pessoas são avisadas de onde estão as saídas. São pequenas coisas que podem ser feitas e que certamente ajudam – enfatizou Lynch.

Participantes

Patrick Lynch esteve acompanhado da assessora Sasha Sutcliffe-Stephenson e do assessor do Ministério das Relações Exteriores, Leonardo Enge. A assessora parlamentar da senadora, Bárbara Salles, também participou da reunião.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Aprovado pedido de auditoria em compra de 'tablets' pela PGR



Foi aprovado nesta quinta-feira (21) requerimento apresentado pelo senador Fernando Collor (PTB-AL) para investigação pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de uma compra de tablets feita em dezembro pela Procuradoria Geral da República (PGR). Collor, que vem fazendo duras críticas à atuação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, já havia anunciado que pediria providências em relação a denúncias de irregularidades na licitação. Em discurso no início do mês, Collor disse que, em pregão eletrônico para aquisição de 1,2 mil tablets, no valor de quase R$ 3 milhões, houve “direcionamento escancarado” a um dos concorrentes. Além disso, segundo ele, o pregão ocorreu no dia 31 de dezembro do ano passado, às 16h, “ao apagar das luzes do órgão”. Em nota divulgada no dia seguinte, a PGR esclareceu que a escolha de um modelo específico tem amparo na Lei de Licitações, quando tecnicamente justificável. Informou, ainda, que a escolha foi amparada por relatórios de unidades do órgão especializadas em tecnologia da informação. O requerimento (RSQ 31/2013) aprovado nesta quinta pede “a realização de auditoria ou inspeção para apurar o cometimento de ilegalidades em licitação para aquisição de tablet pela Procuradoria Geral da República”.

Agência Senado

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Requião denuncia a farsa contra Renan



O colunista Leandro Mazzini(Jornal de Brasília de 21/2) divulgou a denúncia do senador e ex-governador Roberto Requião, segundo a qual há fortes indícios de e-mails repetidos e falsos na petição contra Renan Calheiros. Parabéns ao senador Requião pela coragem de desmascarar a colossal farsa contra o presidente eleito do Senado e do Congresso. Fica provado que a internet, valioso e incontestável instrumento de comunicação, é também campo fértil para  insultar, mentir e denegrir. Tarefa que covardes, parasitas e hipócritas fazem com enorme prazer. Sabem que ficarão impunes. Porque é cômodo e fácil xingar os outros no computador usando apelidos e nomes falsos. Ocupação torpe, melancólica, leviana, rasteira, irresponsável e ridícula. Nesta linha, para fortalecer seus argumentos de que a badalada petição contra Renan é uma tremenda balela e choradeira de perdedores e fracassados, o senador Requião revelou, pasmem, que escreveu o próprio e-mail pessoal do próprio Renan Calheiros no bolorento documento. Ou seja, é impossível controlar e fiscalizar se a procedência do e-mail enviado é verdadeira. O senador Roberto Requião acrescentou mais detalhes ao engodo que deveria se chamar o BBB do Renan: contou ao colunista Mazzini que quando recebeu telegrama da presidenta Dilma pelo seu aniversário, assinado por auxiliares dela, mandou seu motorista assinar outra mensagem, agradecendo a Dilma. Requião provou que o papelucho contra Renan merece apenas o destino da lata do lixo.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Nota informativa conjunta entidades representativas dos servidores do Senado Federal



As entidades representativas dos servidores do Senado Federal foram convidadas no dia 19 de fevereiro, para uma audiência com o Presidente da Casa, Senador Renan Calheiros. 
Na audiência, o Presidente expôs sua intenção de adotar políticas  de redução de despesas, austeridade e transparência na Administração da Casa. Afirmou ainda que pretende ouvir a opinião dos servidores e respectivas associações quanto a todas as medidas que vierem a ser adotadas. Não foram apresentados, na ocasião, quaisquer atos ou medidas concretas, tendo o Presidente apenas reiterado a sua posição de colher as sugestões e críticas dos servidores antes de adotar as decisões correspondentes. Assim, as associações e o Sindilegis não foram chamados a conhecer ou opinar sobre qualquer medida concreta, tendo apenas tomado conhecimento da disposição do Presidente em relação à interlocução com os servidores. No que pese o elogio quanto à posição do Presidente de ouvir as entidades representativas dos servidores relativamente às medidas administrativas que pretenda implantar, as medidas anunciadas reclamam, antes de sua implantação, uma discussão mais aprofundada em diálogo construtivo para melhor benefício da Instituição. Estamos nos reunindo, conversando com Senadores, acompanhando os desdobramentos do assunto, elaborando estratégia de participação e intervenção, das quais manteremos os servidores informados, esperando que a disposição, expressa pelo Presidente, de diálogo prévio sobre as medidas relevantes da Administração da Casa, possa ser integralmente cumprida para que se estabeleça um processo de interlocução permanente, respeitoso e colaborativo, em benefício do Senado Federal.

Sindilegis - A serviço do Brasil
SAS Qd. 06 Bloco K, Ed. Belvedere, 7º andar - CEP: 70070-915 - Brasília-DF
Telefone: (61) 3214-7300 / Fax: (61) 3214-7308 - Email: sindilegis@sindilegis.org.br

Cartilha idiota


Não se pode deixar de concordar com FHC: "Cartilha do PT é coisa de criança". Iniciativa venal e injusta. Sem novidade. Os sábios de meia pataca do PT são especialistas em produzir tolices, sonegar informações e esbanjar preconceitos. A cartilha petista coloca no céu as gestões de Lula e Dilma e ataca os 8 anos do governo FHC. O PT poderia ter tido a grandeza de citar os beneficios obtidos pelo Brasil com a abertura econômica promovida pelo governo Collor. Desprendimento e isenção não são matérias primas do PT.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Vereadora Therezinha Ruiz defende professores


A vereadora, Professora Therezinha Ruiz (DEM/AM), defendeu  no plenário da Câmara Municipal de Manaus, a manutenção dos contratos de quase 300 professores do Regime de Direito Administrativo (RDA) da Secretaria Municipal de Educação (Semed) que deverão ser dispensados no dia 17 de março próximo. Os contratos têm duração de dois anos. “Até admito que esses profissionais não fiquem ‘ad aeternum’ nos cargos. Mas precisamos levar em conta todo o contexto educacional, principalmente a rotina das escolas, que esses professores já conhecem e dominam. Nossa preocupação é no sentido de não haver prejuízos, inclusive para os alunos”, justificou a vereadora.


Therezinha Ruiz apelou aos vereadores que assegurem apoio a esses professores a fim de que permaneçam nos cargos por meio de uma extensão contratual, e que aqueles que foram dispensados, não sejam penalizados com o impedimento de, por um período de um ano, serem recontratados. A vereadora quer evitar problemas como os ocorridos no ano passado, quando muitas escolas tiveram interrupções e/ou atrasos no cumprimento do ano letivo, como a Escola Municipal Ana Mota Braga, no São Sebastião, por exemplo, que deverá ter o calendário de 2012 revisto. Há casos de unidades de ensino onde o calendário teve que ser acelerado para que fossem iniciadas obras de reforma, que acabaram nem sendo realizadas.

Collor cobra que Senado cumpra seu dever de processar e julgar procurador-geral da República


O senador Fernando Collor (PTB-AL) voltou a defender, nesta segunda-feira (18), que o Senado tome providências contra o procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Collor citou a Constituição, que estabelece como competência privativa do Senado processar e julgar o procurador-geral da República nos crimes de responsabilidade. Collor lembrou que suas denúncias contra Gurgel vêm sendo feitas há 9 meses e resultaram em 11 representações, nas esferas cível, penal e administrativa. Entre as acusações feitas pelo senador estão crime de prevaricação, improbidade administrativa, inércia ou excesso de prazo e irregularidades em processo licitatório. Três dessas representações, por crime de responsabilidade, foram protocoladas no Senado.
- Ora, se de fato existem indícios, constatações e provas desabonadoras e até criminosas da conduta do Sr. Roberto Gurgel à frente da Procuradoria-Geral da República, nada mais natural e saudável para a democracia que o Senado Federal exerça as suas atribuições e, mais do que isso, os seus deveres constitucionais para esclarecer os fatos e julgar adequadamente – afirmou.

Histórico

As denúncias do senador contra Gurgel tiveram início com a CPI do Cachoeira, em 2012. À época, parlamentares questionaram o sobrestamento da Operação Vegas, que investigou Cachoeira em 2009. Para Collor, a opção de Gurgel por paralisar as investigações permitiu à organização criminosa investigada agir livremente até o início de 2012, quando Cachoeira foi preso em outra ação da Polícia Federal, a Monte Carlo.
- Sem dúvida, os prejuízos à Nação foram enormes pela inação, pela inércia do Sr. Roberto Gurgel – afirmou o senador, que também acusa o procurador de vazar, conforme sua conveniência, documentos de inquéritos sob segredo de justiça.
Mais recentemente, no início deste mês, Collor fez novas denúncias contra Gurgel, desta vez por supostas irregularidades em processo licitatório para aquisição de tablets pela Procuradoria-Geral da República. A suspeita resultou em representação do senador no Tribunal de Contas da União (TCU) e em pedido de providências ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Ameaça

Collor também acusou Gurgel de utilizar o cargo como instrumento de chantagem e ameaça. O senador criticou o fato de o procurador ter denunciado o atual presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), uma semana antes da eleição para a presidência da Casa, após dois anos com o inquérito em suas mãos. Na denúncia, Gurgel acusa Renan de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso.
- É mais um exemplo típico da costumeira prática de exceder no tempo propositalmente. Assim ele age: escamoteia-se sorrateiramente como um selvagem, para esperar o melhor momento de dar o bote.
O senador fez um apelo aos colegas para que analisem as representações e para que não se sintam ameaçados pelo que chamou de “chantagens” de Gurgel.

Agência Senado

Leia o pronunciamento completo aqui.

Confira o vídeo da TV Senado a seguir.

video

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Ana Amélia lamenta violência nas estradas e cobra investimentos em educação, fiscalização e infraestrutura viária


Carnaval no RS foi o mais violento dos últimos dez anos, com 33 mortes registradas no trânsito

A senadora Ana Amélia (PP-RS) lamentou o aumento do número de acidentes fatais nas estradas que cortam o Rio Grande do Sul, durante o carnaval deste ano, em comparação com 2012. Segundo ela, foi o carnaval mais violento no Estado dos últimos dez anos, com 33 mortes registradas, sendo 14 em rodovias federais; 14 em estaduais; e outras 5 em estradas municipais. Em 2012, haviam sido contabilizados 16 óbitos nas vias gaúchas. – Além das 239 vítimas da boate de Santa Maria, agora temos que conviver com essa dor. É uma verdadeira guerra civil. Mesmo com rigor da lei seca e a fiscalização mais rigorosa, o Rio Grande do Sul apresentou números preocupantes – lamentou. A senadora destacou que o…

Mudança em semáforo pode garantir direito de daltônicos à CNH

Projeto da senadora Ana Amélia estabelece formas geométricas diferentes para os sinais luminosos

Começou a tramitar no Senado um projeto que garante o direito de obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) às pessoas que têm discromatopsia ou daltonismo, deficiência que dificulta a identificação das cores. Projeto da senadora Ana Amélia (PP-RS) estabelece formatos diferentes para os focos luminosos dos semáforos. De acordo com o PLS 9/13, nos sinais destinados aos veículos, a luz vermelha teria o formato quadrado, a amarela, triangular e a verde, circular. Segundo a senadora, a disposição do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que impõe a candidatos à direção de veículos a capacidade de identificar as cores “é injusta e desnecessária” 

Rede de deslumbrados e incompetentes


A tal Rede de dona Marina é um engodo. Evidente que ela leva a reboque figuras inexpressivas e superadas da política. Todos eles juntos não significam nada, não acrescentam nada de sério ao quadro eleitoral. Tudo marola, jogo de cena, mariposas de holofotes. A única novidade é mesmo o nome do partido. Aliás, nome de uma infelicidade colossal. Assim, como sempre, Lula, Dilma e companhia vão em frente, dando gargalhardas para os adversários, um pior do que o outro. Penca de incompetentes. Fingem não entender - ou realmente são burros - que diversos candidatos pela "oposição" para 2014, apenas facilita as ações de Dilma e Lula. Votos da Rede e etc, serão diluidos no caminho.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

O craque Átila Lins


Por mais de 6 mandatos o deputado federal Átila Lins serve ao Amazonas, em particular e ao Brasil, em geral, na Câmara dos Deputados. Átila tem excelente trânsito em todos os setores da administração federal. É recebido pelos mais prestigiados auxiliares da presidenta Dilma com fidalguia. Costuma levar caravanas de prefeitos amazonenses aos mais variados ministérios. Átila é amigo pessoal de longas datas de figuras importantes da política, como o vice-presidente Michel Temer. De poucas palavras, Átila é eficiente na difícil arte da boa política. Acaba de ser eleito corregedor da Câmara dos deputados. Função importante e espinhosa. Mas Átila saberá exercê-la com sabedoria, isenção e prudência.

Canalhão Domingos Dutra


Um certo pobre diabo, canalhão e covardão, que atende pelo nome de Domingos Dutra, jogou as patas imundas no senador Collor. Motivo: o ex-presidente exige investigações severas na procuradoria-geral da República. Ninguém sabe de qual sarjeta saiu o deputado Dutra, do PT maranhense. Dele, só se ouviu falar que participou da farra de viagens aéreas superfaturadas e outros trambiques mais. Seguramente é um imbecil medíocre querendo aparecer à custa de Collor. Duvido que nos anais da Câmara tenha registros de algum feito positivo do velhaco Dutra em beneficio do povo do Maranhão.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

A culpa é do Renan...


A ira dos politicamente corretos é uma praga que atrasa o Brasil. Só eles prestam. Estão a serviço da hipocrisia, da demagogia e da leviandade. Atrasam o pagamento do condomínio, furam filas, não respeitam as leis de trãnsito, não recolhem a porcariada deixadas nas ruas pelos seus animais de estimação, fumam em locais proibidos, cospem no chão, falam alto no cinema. Mas adoram patrulhar a vida alheia. Esquecem do próprio umbigo. Autênticos Santos de pau oco. Renan Calheiros é a bola da vez deste clubeco de pseudos donos da verdade. Não demora vão culpar Renan por Caim matar Abel e também por Morena da novela "Salve Jorge" voltar para a Turquia.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Papa Mirinho Teixeira


Um nome imaculado, realmente Santo, é o do franciscano deputado Miro Teixeira. Mirinho para os mais chegados. Miro tem todas as qualidades para ser o futuro Papa, na vaga de Bento XVI.  Mirinho é um vaidoso pão-duro. Não tem espelho em casa. Miro segue a cartilha do não rouba mas também não faz nada pela coletividade.  Nunca foi chegado ao trabalho. Cansa a beleza ser eterno sabujo do Globo e TV-Globo. Insulta o Legislativo. Só ele presta. Deveria, então, pedir o boné e ir embora. Não seria lembrado nem pelos vasos sanitários da Câmara.

FHC encantou na Sapucaí



Por uma noite, FHC, o príncipe dos sociólogos, transformou-se em rei do Carnaval. O presidente do povo foi entrevistado pela TV-Globo no sambódromo do Rio de Janeiro. Na Presidência da República, FHC era presença constante na Marques de Sapucaí. Como também nunca deixou de ir ao Maracanã, torcer pelo Flamengo e pela Seleção brasileira. FHC continua o mesmo. Só mudou as cores do cabelo. Agora é acaju. Enquanto FHC lembrava ao repórter que era carioca, a platéia cantava o samba enredo do Salgueiro, saudando o trecho que diz "e ainda tem gente que se acha maior do que Deus". A galera também vibrou com a vistosa Ala "Falsidade".

Comentário do amigo Ruy  Nogueira:

O Sátrapa de Higienópolis é um velho decadente, atormentado pela decadência física e o desterro moral. FHC é uma das figuras mais sórdidas, soezes e lamentáveis de nossa história. Só você, Limongi, com sua fina ironia e reconhecida coragem para retratar esse momento risível de quem exerceu com incompetência e infelicidade a suprema magistratura da Nação.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

O "herói" não chegou ao carnaval...


                                    Elisete Turin (@EliseteTurin)
O maior mico do carnaval não foi FHC bêbado no Sambódromo. Foram as mais de 200 mil máscaras de Joaquim Barbosa encalhadas: só 300 vendidas!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Brasileiros disputam a vaga de Bento XVI


O Papa cansou. Ficou doente. De tanto pregar, sem sucesso, a paz, o amor e a solidariedade. Os católicos, porém, podem ficar tranquilos. O país do carnaval e do futebol apresentou ao Vaticano uma extensa lista de candidatos ao lugar de Bento XVI. Chegou a hora do Brasil ter um Papa. Dispomos de nomes marcantes. Que nasceram com o dom de Santo. Cresceram com vitamina de água benta e suco de óstia. Na política e no jornalismo o Brasil não faz feio. Temos filas de Santos. Alguns de pau-ôcos, mas enganam com maestria. Já imaginaram, o Papa Juca, o Papa Gaspari, o Papa Ricardo, o Papa Merval, Papa Márcio, Papa Trajano. Tem mais: Papa Capiberibe, Papa Cristovam, Papa Simon, Papa Taques, Papa Campos, Papa Braga, Papa Randolfo, Papa FHC, Papa Suplicy, Jabor, Jarbas, Zuenir, etc.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

O que acontece por aí...


Colossal pantomima

A meu ver não passa  de uma colossal pantomima de políticos derrotados e fracassados, usando inocentes inúteis, a petição com "um milhão" de assinaturas, morro de rir, na internet, contra Renan Calheiros. Trata-se de papelucho sem nenhum valor jurídico ou político. O objetivo do raquítico bloco das carpideiras e éticos por correspondência é fragilizar o  forte PMDB, que comanda as duas casas do Congresso e a vice-presidência da República, e é aliado de primeira hora do governo Dilma, além de tentar criar clima ruim entre os 3 Poderes.

Ganso precisa jogar

Que Rafinha, a revelação do Flamengo, seja bem vindo ao oceano de medíocres que dominam nos gramados.  Realmente o brasiliense é talentoso, rápido, vai firme para frente. A tendência é melhorar mais ainda. Precisa ser lapidado, bem orientado. Ronaldinho Gaucho jogou mal naquele amistoso, como praticamente toda a Seleção. É inteligente, mas realmente não vejo Ronaldinho com fôlego para ser útil em 2014. Como bom gaúcho, Felipão vai insistindo, até um dia que Ronaldo será massacrado pela mídia. A mesma que hoje bajula o Ronaldo do atlético. Mas seleção é um buraco mais embaixo. Quanto ao Ganso, acredito que na hora certa Felipão vai ligar para Ney Franco e saber noticias dele. Se já está apto, merecendo nova chance. Ganso tem sofrido o diabo, jogando no time reserva (como ontem contra o Guarani), porque tem alguns jogadores no tal time B  do SP bem fraquinhos. Ganso precisa jogar. Duas ou 3 partidas inteiras, seguidas. Jadson é excelente jogador, mas jamais chegará a ser um PH Ganso. Ontem, ganso dava passes curtos sensacionais, mas os caras não entendiam. Demoram a pensar. Fica difícil. Mas confio na recuperação técnica dele e, claro, não tenho dúvidas que a camisa 8 da Seleção ainda será realmente dele.

Gurgel vai suar frio com senadores

Guerra é guerra. Aqui, no Iraque ou na Síria. O roliço, pastoso, gelatinoso e neloso procurador-geral que agüente o tranco. Aliás, aqui e alhures escrevi que dias difíceis viriam para o arrogante Gurgel, depois da eleição de Renan Calheiros para a Presidência do Senado e do Congresso. Assim, pelo menos para mim, nada de novidade na ampla e legítima matéria da Isto É. Mas o Senado e os senadores não vão retaliar o procurador. Querem apenas ouvir boas e consistentes explicações do pretensioso Gurgel, que costuma jogar mais para a platéia do que para a Constituição. É bíblico, quem com fero fere, com ferro será ferido. Caso as explicações de Gurgel não convençam os senadores, o procurador-geral pode inclusive ser destituído do cargo. Os senadores deram o cargo para ele, mas poderão agora tirá-lo.

Deu no “Conversa Afiada”, do Paulo Henrique Amorim


APPLE: COLLOR VAI AO TCU X GURGEL

E a bancada do PT no Senado, Suplicy?

Conversa Afiada recebeu as seguintes informações :

O Senador Fernando Collor protocolou uma representação e uma denúncia junto ao Tribunal de Contas da União. Além disso o Senador apresentou requerimento ao Plenário do Senado Federal para que a Casa solicite institucionalmente diligências ou auditoria por parte do TCU junto à Procuradoria Geral da República no tocante ao processo licitatório dos tablets. O TCU como órgão auxiliar do Legislativo Federal dá prioridade no trâmite das demandas do Congresso.

Clique aqui para votar no “Não e Sim com Paulo Henrique Amorim”.

aqui para ler a denúncia de Collor contra Gurgel.

Clique nas imagens a seguir para ampliá-las:




sábado, 9 de fevereiro de 2013

O que acontece por aí...


REPORTAGEM- anunciamos-revelamos-alertamos há mais de um mês. E a Folha...

Numa sexta-feira, 14 de dezembro de 2012, este blog já alertava, na postagem “Furo do blog. Atenção!”, a presidente Dilma para irregularidades e gatunos em cargos importantes no Porto de Santos. Um furaço nacional, realmente, nacional, Só agora, 57 dias depois, vem a suíte da Folha de S. Paulo sobre o tema (clique aqui para conferir). Em cima da nossa revelação. Batata! A verdade é que, hoje em dia, os “jornalões” estão tão preocupados em substituir a opinião pública pela opinião publicada por eles, em atacar irresponsavelmente figuras políticas proeminentes, em desestabilizar de forma irresponsável e vil as instituições, que não encontram tempo para fazer realmente jornalismo sério e competente. Têm mil instrumentos para saber dos fatos, mas acabam dançando-sobrando para os blogs. Não fazem mais jornalismo, mas publicidade política. Confira um pouco do que publicamos sobre o assunto:

“Como já noticiado por essa coluna anteriormente, a Presidente Dilma Rouseff há tempos vem descontente com as operações no Porto de Santos – São Paulo, administrado pela CODESP. Considerando as últimas denúncias que envolvem o Porto de Santos, a Presidente declarou não admitir mais nenhum tipo de influência de empresas privadas nos órgãos públicos nem ingerências de ordem política. Acaba de chegar à Presidência grave e específica denúncia sobre os interesses de empresas particulares na CODESP, afirmando contar em sua Diretoria, no cargo de diretor jurídico, um representante da GLENCOR, que é uma das grandes operadoras do Porto. No próximo capitulo, estaremos revelando segredos da caixa-preta que envolve rolagem de milionárias dívidas de alguns operadores envolvidos na operação Porto Seguro.”.

Monumento à burrice

Constrói-se na internet um monumento à burrice, à intolerância e à má-fé,  pedindo o impeachment do senador Renam Calheiros. A estupidez, a inconsequência  o ódio e o ressentimento são parceiros dos desocupados, fracassados e derrotados. Calheiros foi eleito democraticamente e por ampla maioria presidente do Senado e do Congresso. As carpideiras e inocentes inúteis perdem tempo.Ficarão com os dedos inchados, de tanto clicar nos teclados do computador. As acusações contra Renan Calheiros são inconsistentes, levianas e requentadas. Todas elas esclarecidas à justiça pelo próprio senador. Para quem gosta de comparações e insiste em sandices, Collor foi arrancado do cargo porque não tinha  sustentação política no Congresso. O jogo político sujo que vingou contra Collor, inocentado a seguir pelo STF, é o mesmo que pretendem com Calheiros. Mas as circunstâncias são outras. Renan Calheiros é aliado de primeira hora do governo Dilma e pertence ao forte PMDB, partido também do vice-presidente da República.


Pólo de Manaus terá remédio

A Suframa anunciou e o governo Dilma aprovou e mandou publicar no Diário Oficial da União, a portaria com o processo produtivo Básico (PPB) para a fabricação de medicamentos na zona franca de Manaus. A portaria interministerial lista  as etapas fabris obrigatórias em Manaus, cria um critério de pontuação para que as empresas possam dispor dos incentivos fiscais e ainda trás um anexo com a lista dos 189 produtos liberados para a produção no pólo de Manaus. A EMS, a maior empresa farmacêutica do Brasil e a terceira da America Latina, já constrói fábrica que ficará pronta em dezembro deste ano. Investimento de 360 milhões de reais e geração de 350 empregos diretos e 150 indiretos. 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Ordinário Zuenir


Zuenir Ventura nasceu no esgoto. É um ordinário, decrépito e desfibrado cumprindo ordens da canalha patrulha ideológica. O octogenário venal e pulha Zuenir vez por outra escreve com as patas imundas artiguete no Globo. Como um autêntico covardão e irresponsável fala com trejeitos esquisitos que Fernando Collor sofreu impeachment. Caolho e patife, omite que Collor foi julgado e absolvido pelo STF de todas as acusações mentirosas de seus detratores. Zuenir e demais idiotas não admitem que Collor seja mais homem do que todos eles. Que tem saúde, competência e determinação para continuar trabalhando pelo Brasil e pela coletividade. Nenhum decaído da laia de Zuenir vai intimidar Fernando Collor. Muito menos impedi-lo de prosseguir cumprindo seu dever como senador e homem público.

Jânio de Freitas

Riscos no ambiente cinzento

Intenção do procurador-geral para momento de apresentar denúncia contra Calheiros é insondável em um inquérito de tipo corriqueiro

Pela segunda vez em meio ano, parte significativa do Congresso pode acusar interferência do Judiciário. A anterior foi atribuída ao Supremo Tribunal Federal, ao marcar o julgamento do mensalão coincidindo com a campanha eleitoral. Agora é do Ministério Público, também vista como desrespeito à independência dos Poderes. No caso atual, a acusação refere-se à denúncia criminal feita ao Supremo pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, contra o senador Renan Calheiros. A reação não foi causada pela denúncia em si, já esperada, mas por ser feita menos de uma semana antes da eleição em que o denunciado era candidato favorito à presidência do Senado. A intenção de Roberto Gurgel é insondável. Mas a hipótese adotada a respeito pelos políticos, de que tentava demolir o favoritismo de Calheiros, não é implausível. Roberto Gurgel teve dois anos e meio para apresentar a denúncia. Quem deixou passar tanto tempo poderia muito bem esperar uma semana mais. A explicação dada por Gurgel para a esquisita demora da denúncia não precisa de hipóteses: nos dois anos e meio, disse ele, esteve muito ocupado com o mensalão. A assessoria do procurador-geral e os quadros da Procuradoria da República ficam mal na explicação, sem no entanto merecerem esse descaso. E, além disso, o inquérito de Calheiros nada tem de especial ou nebuloso, é de tipo corriqueiro nos Ministérios Públicos -notas fiscais falsas, para disfarçar recebimentos inconfessáveis de dinheiro, mais falsidade ideológica e peculato. No mínimo, Roberto Gurgel pôs em prática, outra vez, uma falta de sensibilidade que não perde ocasião de se manifestar, mesmo que seja apenas uma entrevista momentânea. Os ânimos entre Congresso, Supremo e Procuradoria-Geral da República já eram bastante ruins. Quase todos os discursos na sessão que elegeu Renan Calheiros para a presidência do Senado, na sexta-feira, lançaram indiretas fortes, contra as interferências de que os congressistas se queixam há anos. Gurgel agravou o que já era ruim. E assim surgiram dois riscos. Um vem da representação existente no Senado contra Roberto Gurgel. Estava adormecida, mas pode ser despertada, e não foi outra coisa que Fernando Collor indicou em discurso, aliás, considerado seu objetivo, bem-feito. Não convém esquecer que, assim como é necessária a aprovação dos senadores para a nomeação do procurador-geral, também lhes cabe o poder de destituí-lo. O outro risco é a possível incidência do mal-estar na decisão sobre sobre o direito, ou não, dos procuradores e promotores de realizar investigações. De um lado, a pressão das polícias obtém adesões contra o reconhecimento do direito. De outro, exemplos externos juntam-se a situações internas no apoio aos procuradores e promotores. Caso, entre vários, das três procuradoras da República em São Paulo que desvendaram a corrupção na obra do novo Tribunal Regional do Trabalho paulista. As três mosqueteiras conseguiram até a destituição e prisão do juiz Nicolau dos Santos Neto, o Lalau, um resultado raro para membros do Judiciário. Vários casos, entre eles o do próprio Calheiros e os recursos do mensalão, vão confrontar Judiciário e Ministério Público com segmentos expressivos do Congresso. Cada um justifica, desde logo, um sinal amarelo no ambiente cinzento.

Seletiva

O Supremo e os tribunais superiores são lugares de grandes confortos, para não falar dos luxos. Mas nem as cadeiras especialíssimas que se sucediam foram a capazes de atenuar o intenso senta-levanta do ministro Joaquim Barbosa durante o julgamento do mensalão. Parece que a cadeira de presidente fez algum bem até às suas costas ou ancas, porque deixou de ser preciso trocá-la a cada vez que o ministro, a intervalos bem maiores, ficou de pé. Mas a administração do STF deveria estudar outras cadeiras. Longe do tribunal, não o vemos pela TV, mas podemos saber que o ministro pode ficar nas cadeiras de cinema e outras sem precisar levantar-se.

Jânio de Freitas é jornalista, colunista do jornal Folha de S. Paulo

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Vereadora Therezinha Ruiz quer atenção especial para Educação



A vereadora Therezinha Ruiz (DEM/AM) classificou como muito positiva a mensagem apresentada pelo prefeito Arthur Neto na manhã desta quarta-feira (06), durante a abertura dos trabalhos legislativos de 2013 na Câmara Municipal de Manaus. Ao destacar a preocupação do chefe do executivo com a Educação, a parlamentar assegurou total apoio às ações que visem oferecer ensino de qualidade aos alunos da rede municipal. “Como educadora por formação, sinto-me gratificada ao perceber que muitos dos projetos e indicações que apresentarei na Câmara estão inseridos nas medidas que a prefeitura deverá adotar para melhorar a educação em nossa cidade”, ressaltou Therezinha. A implementação de um programa municipal para a universalização do ensino da língua inglesa na rede pública de ensino com metodologia específica e abordagem efetivamente comunicativa é apenas um exemplo de propostas que vereadora que irá protocolar na Câmara nos próximos dias. “Os alunos de escolas particulares já têm acesso ao ensino de língua inglesa desde as primeiras séries. Queremos que os alunos da rede municipal também comecem a se familiarizar com o idioma bem cedo”, sugeriu a parlamentar. A vereadora também já tem prontas para serem apresentadas em plenário indicações para a construção de creches no Alvorada (zona Centro-Oeste), Zumbi dos Palmares (zona Leste) e São Jorge (zona Oeste).