segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Empresários deveriam ajudar mais

Li, estarrecido, que falta transporte em Brasilia para levar as doações aos flagelados das enchentes no Rio de Janeiro e Santa Catarina. Creio que os grandes empresários e poderosas empreiteiras poderiam ajudar a solucionar o problema. Brasilia tem uma imensa lista de mega empresários. Lucram fortunas nos negócios. Os brasilienses, a exemplo dos demais brasileiros, mostram participação ativa e marcante na campanha. Os empresários podem também colaborar com agilidade e sensibilidade. Abram o bolso e o coração. Mexam-se.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Sarney aceita indicação do PMDB para continuar na Presidência do Senado

Ao gravar depoimento nesta quinta-feira (27) para documentário celebrando os 90 anos do jornal Folha de S. Paulo, no qual mantém coluna semanal há 23 anos, o senador José Sarney (PMDB-AP) disse que aceitou a indicação do seu partido para disputar a Presidência da casa para o biênio 2011/12. A informação foi confirmada pela Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado. Sarney afirmou, de acordo com a Folha de S.Paulo, que a decisão de tentar a reeleição não veio dele, mas do partido. Segundo o senador, ele nunca apresentou candidatura ao cargo. "Não desejava ser presidente do Senado. Estou fazendo com grande sacrifício, mas apenas porque busquei que encontrassem outra solução e, em face do partido não ter encontrado, comuniquei ontem [quarta-feira] que ele podia e tinha concordância para submeter meu nome à bancada", disse ao jornal. Sarney cumpre atualmente seu quinto mandato de senador. Ele já ocupou a Presidência do Senado em três períodos: de 1995 a 1997, de 2003 a 2005 e de 2009 até a presente data.

Agência Senado

Lula merece

Não vejo nada demais, nada de anormal, nenhum exagero, o fato de Lula passar a receber salário do PT. O PT é Lula. O PT não existiria sem a força e o carisma de Lula. Foi e é Lula quem leva o PT a retumbantes vitórias. Houve época que o Pt fecharia para balanço se não fosse Lula. Sou completamente apartidário, mas acho o assunto apenas relevante para quem não tem o que fazer ou pertence ao time dos derrotados nas urnas pelo PT, a frente Lula, o maestro das grandes conquistas petistas.

Fenomenal é Gerson

Cumprimentos ao Globo(23/01) pela sensacional matéria com o cerebral e eterno craque, Gerson, o canhotinha de ouro. O repórter Mauricio Fonseca foi feliz. Bateu uma bola redonda com o cerebral meia-esquerda que completou 70 anos. Gerson foi craque com os pés e continua afiado com as palavras. Não nega fogo. Não se esconde atrás de subterfúgios. Diz a verdade. Exemplos: o futebol brasileiro anda cheio de medíocres fazendo pose, Romário foi melhor do que Ronaldo Fenômeno, bons jogadores preferem fazer negócios com o próprio passe do que jogar futebol, Flávio Costa foi um louco, mandando Gerson marcar Garrincha, fumava sim, nos intervalos dos jogos. Mas em campo dava conta do recado e, por fim, Pelé é genial, Edson é complicado. Para não dizer outra coisa. Também excelente a foto do Fernando Maia, destacando o pé esquerdo de Gerson, que deu muitos títulos pelos clubes que jogou e pela seleção brasileira. As declarações de Gerson ao Globo merecem ser guardadas, lidas e relidas. Por jogadores e demais profissionais da área. Inclusive como fonte para tese de mestrado. Gerson será sempre idolatrado por todos que apreciam o bom e verdadeiro futebol arte.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

De olho no que acontece...

Bravo Povo Brasilero

Mais do que nunca atual a definição de Euclides da Cunha, "o sertanejo é antes de tudo um forte". O comentário serve, na verdade, para todo brasileiro. O mundo todo assiste emocionado a ação do povo a favor das vítimas das enchentes. É a força humana procurando vencer os obstáculos. É a tenacidade do brasileiro lutando e colaborando para diminuir a tristeza e a aflição de milhares de famílias. A solidariedade coletiva nestas horas difíceis orgulha o país. O governo, por sua vez, faz sua parte. Antes tarde do que nunca. O que mais importa agora são ações objetivas e rápidas.

Canastrão Sérgio Cabral

Como se fosse pouco termos de ver e lamentar cenas da tragédia que destruiu cidades e fez centenas de vítimas no litoral do Rio de Janeiro, ainda precisamos também ver o canastrão governador Sérgio Cabral se fazer de triste e fingir chorar, nas imagens das televisões e dos jornais. Francamente. Poupe nossa paciência! Se a atual calamidade tivesse acontecido antes das eleições Sérgio Cabral seguramente não seria reeleito.

Tostão tem razão

Com a autoridade de quem jogou muita bola, Tostão fez excelente artigo arruinando, literalmente, as medíocres mesas redondas de futebol que entulham as televisões. Tostão tem razão: os integrantes dos famigerados debates, com as exceções de praxe, não sabem nada de futebol. Nunca colocaram. uma chuteira nos pés. Jamais jogaram nem pedra em vidraça. Contudo, são sábio de araque que não perdem a pose. Arrogantes, insistem em fazer cara de inteligente para comentar o que não sabem e o pior, criticar atletas que, mal ou bem, são profissionais que merecem respeito.

Só agora souberam que Dilma é de trabalho

Como bem diz Cláudio Humberto para recordar e frisar notícias que costuma dar na frente dos outros, só neste final de semana, com toda pompa, analistas e setoristas da grande imprensa, revelaram aos seus milhões de leitores o que este veterano repórter destacou-alertou numa bronca geral do dia 3, sob o título "Dilma é de Trabalho". Entre outras características da presidenta Dilma, salientei que "Dilma manda, cobra, exige, distribui broncas e se for preciso dar murros na mesa". Na mesma bronca também sublinhei: "Quem não for eficiente vai durar pouco. Mesmo se for recomendado e afilhado de Lula. Vacilou no trabalho, dançou".

Dilma não é de lero-lero

Dia 2 mandei para O Globo, mas o jornal não publicou. Destacava que Dilma não é mulher de jogar conversa fora. Não foi eleita para brincar. Também frisei: "Dilma manda, cobra, exige, distribui broncas e se for preciso dar murros na mesa". Sabia o que escrevia. Assim, como veterano repórter, fiquei feliz, constatando que a tônica das características de vida da presidente Dilma foram devidamente salientadas e apresentadas dia 15.01. na matéria "Novo Estilo no Planalto", dos repórteres Maria Lima e Demétrio Weber.

Mais empregos na indústria de Manaus

O Pólo industrial de Manaus se destacou, mais uma vez, na média nacional do nível de empregos em novembro de 2010, divulgados pelo IBGE. O total de 110 mil empregos diretos foi 10,59% maior aos 99 mil registrados em 2009. A Suframa calcula que os números consolidados de dezembro apontem recorde de 116 mil empregos.

Analisei antes do 'Le Monde'

Sem nenhuma pretensão a não ser a de comparar as informações: o famoso e respeitado jornal Le Monde destacou dia 15 o que escrevi, no “Bronca”, do Cláudio Humberto, dia 13. Que a presidenta Dilma agiu rápido, com eficiência, firmeza e sensibilidade, indo logo percorrer áreas atingidas pela calamidade das enchentes no litoral do Rio de Janeiro.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Tragédia Brasileira

Todo ano a tragédia se repete. O Brasil inteiro chora pelas centenas de mortos tragados pelas chuvas, enxurradas e deslizamentos. O país fica refém da tristeza, da inércia, da insensibilidade e da incompetência. Até quando, Santo Deus, teremos que assistir cenas dantescas, que massacram o coração sem piedade. Que destroem famílias inteiras, como se a vida não valesse nada. Como se os brasileiros merecessem ser castigados por algum ser acima de nós. Melancólico e desastroso inicio de uma nova década.

Gerson, Couto e Tostão

Parabéns à Folha de São Paulo pela sensibilidade jornalística, destacando os 70 anos de idade do magistral jogador que foi Gerson Nunes, o “Canhotinha de Ouro do Tri”, através dos excelentes artigos de José Geraldo Couto e Tostão. Textos para ser guardados e pesquisados, pela importância que Gerson representa ao futebol Penta Campeão do Mundo.

Fernando Collor diz que errou com o Congresso

Do GloboNews - G1

Ter voltado à política para ele foi destino.

Na segunda reportagem da série "Profissão: ex-presidente", a conversa é com o Fernando Collor de Mello. A imagem de Collor indo embora do Palácio do Planalto de helicóptero ficou marcada na memória dos brasileiros. Ele contou o que passou na cabeça dele enquanto voava naquele helicóptero. O agora senador Fernando Collor disse, do gabinete dele em Brasília, que foi num diálogo que teve com o piloto que a ficha caiu, e ele percebeu que não era mais o presidente. O período de Collor foi marcado por denúncias de corrupção. Relembre o cenário que levou ao impeachment do ex-presidente. Ele contou que o dia seguinte ao impeachment foi como se o mundo tivesse desabado sobre ele. Ter voltado à política para ele foi destino.

Veja também:

Sarney conta que sentiu um alívio enorme ao deixar a presidência da República

Rio e Brasília abandonados

O leitor Egberto B.Sperling(5/01) afirma e lamenta que a prefeitura do Rio de Janeiro abandonou a cidade. Nesta linha, também destaco que Brasília, a ex-capital da esperança, é hoje uma cidade sem lei, sem segurança, sem hospitais, sem escolas, com péssimo transporte público coletivo, com pistas esburacadas e alagadas. A população vive aflita e insegura. Não tem a quem recorrer. O novo governador eleito e empossado, Agnelo Queirós, terá muito trabalho pela frente. Precisará de pulso forte e muita força política para tirar Brasília do caos sáfaro atual. Os habitantes da cidade não podem mais viver apenas da arquitetura arrojada. Basta de engodos e desrespeito pela coletividade.

Segurança de Temer

A colunista Mônica Bergamo noticiou a injustificável, absurda e ridícula cena de dinheiro jogado fora exibida pela imensa segurança do vice-presidente Michel Temer. Só faltou um helicóptero para compor cenário tão surrealista. O bom senso espera que os responsáveis pela segurança da Presidenta Dilma não queiram protegê-la com tanques, metralhadoras, bombas e cães farejadores.

Gerson será sempre um jogador fantástico

Assino embaixo e gostaria de ter afirmado tudo o que Cláudio Humberto disse na nota saudando os 70 anos, dia 11, do cerebral e fantástico jogador que foi Gerson, o canhotinha de ouro do tri. Se algum torcedor tiver dúvidas sobre a forte personalidade, inteligência, visão e antivisão de jogo que Gerson tinha, basta perguntar aos jogadores igualmente sensacionais que jogaram e conviveram com Gerson. Como Rivelino, Tostão, Clodoaldo, Carlos Alberto Torres e ao próprio Pelé. Claro que Pelé jogava demais. O melhor entre os melhores. Gerson, porque é ineligente, sensato e justo, declara isto em todas as oportunidades. Contudo, na copa de 70, quem realmente consagrou Pelé foi Gerson. Ou será que os passes magistrais e perfeitos para Pelé fazer gols foram de algum espírito santo? Pelé, ainda moço, ganhou a copa de 58.
Mas não se consagrou, aos olhos do mundo e do torcedor, como jogador. A seguir, jogou duas copas, perdeu uma ganhou outra. Na que ganhou, no Chile, se machucou e foi substituido por Amarildo. Naquela seleção brasileira, igualmente com jogadores excelentes, muitos se destacaram, sobretudo o genial Garrincha e Amarildo, o querido "pocesso". Gerson, por sua vez, faz falta até hoje na seleção brasileira. Ou seja, passados mais de 40 anos, ainda não apareceu, repito, ainda não apareceu, nenhum jogador cerebral, um meia esquerda com a categoria de Gerson. Didi, com quem Gerson aprendeu muito e não nega, passou o bastão de jogador fantástico no meio-de-campo e, até hoje, Gerson, perto dos 70 anos, ainda não tem herdeiro no futebol brasileiro.
Pintando, ainda bem, torcemos por ele, quem realmente gosta e entende de futebol, o jovem paraense que joga no Santos, Paulo Ganso. Boa sorte e juizo para ele. Quanto ao eterno craque Gerson, o "papagaio" que encantou os gramados e só deu alegrias ao torcedor, como salientou Cláudio Humberto, meu abraço fraterno e amigo. Que Deus continue iluminando seus passos e sua vida, junto com a família maravilhosa que tem. Gerson não precisa disso, mas tomara que a CBF tenha sensibilidade suficiente para homenageá-lo como merece.

Sujeira total na Torre de TV de Brasília

A quem interessar possa: uma autêntica e melancólica imundice os banheiros da Feira da Torre de TV. O banheiro feminino, que blasfêmia, chamar aquele chiqueiro de banheiro, enfim, não tem nem porta. O masculino fica ao lado. Imaginem a sujeira. Coloquem o dedo no nariz. Um horror. na capital do país. Um local muito frequentado por turistas nacionais e estrangeiros. Que belíssima impressão levarão da ex-capital da esperança!

Banco de Germoplasma

Projeto da Ceplac com a Suframa criou o primeiro Banco de Germoplasma(unidade conservadora de material genético) de cacau do Brasil, agrupado à plantação de espécies nativas da Amazônia. A iniciativa pode se tornar uma alternativa viável para alavancar o sistema produtivo do setor primário do Amazonas, ainda considerado um grande desafio. O Banco de Germoplasma começou em 2002 e ocupa área de 7 hectares na Estação Experimental Rio Negro, uma das unidades da Ceplac, integrando as atividades do programa de pesquisa e extensão rural da entidade. O objetivo é suprir o Amazonas de sementes para atender ao cultivo de sistemas agroflorestais na região. Para o gerente da Estação Experimental Rio Negro, Geraldo Anisio, os resultados são promissores. Atualmente o Banco conta com 2.200 pés de cacau. Também existem outras 56 espécies, incluindo plantas frutíferas, como banana, cupuaçu, manga, graviola, taperebá, abacaba, além de outras fruteiras tropicais, como murici, carambola e puruí

Ministério com nome errado

Ministério do inclito Jobim trocará para nome mais apropriado: diante do rosário de micos, tolices e burradas, enbrulhados em arrogância e prepotência, passará a se chamar Ministério Indefensável.

É bom o Ronaldo Gaúcho no Brasil

Creio que a novela Ronaldinho Gaúcho é melhor do que tantas que andam por ai. Ronaldo age certo. Tem que analisar bem todas as propostas. Por mim, descendente de italianos, gostaria que fosse jogar no palmeiras. Contudo, a meu ver, o mais importante é que fique jogando no Brasil. Ronaldo ainda é um grande jogador. Precisa jogar onde se sinta feliz. Jogando meio tempo ainda é melhor do que muitas barangas em atividade.

Dilma e a praga do Serra

Pena que a chuva era tão forte que Dilma precisou trocar o carro aberto pelo carro fechado, da Catedral ao Congresso Nacional, para tomar posse. Frustrou o povão, esperando por ela na maior ansiedade e felicidade. Inclusive eu e minha neta. Mas Dilma, sensível e educada, ainda abriu o vidro do carro para acenar para a multidão. Um grupo de mulheres ao meu lado gritava, revoltado com a chuva que não parava: "Praga do Serra, praga do Serra". Também acho.Vicente Limongi Netto

Helena Chagas foi ótima escolha

Apesar de ser amigo de dois ministros da presidenta Dilma, Alfredo Nascimento e Edison Lobão, devo dizer que fiquei realmente emocionado com a posse da jornalista Helena Chagas, como secretária de Comunicação Social com status de ministra. Helena tem bom DNA. Filha do craque Carlos Chagas, mas é profissional valorosa e respeitada. Foi escolhida para a função por seus méritos pessoais. Helena e eu trabalhamos no Globo, em épocas diferentes. Ótima escola. A escolha de Helena para assessorar Dilma torna-se ainda mais marcante porque é a primeira vez que uma mulher também ocupa o cargo no Palácio do Planalto. Boa sorte para Helena.

Beócios não intimidarão o colunista Cláudio Humberto

Por rigorosa falta de tempo, só agora faço questão de repudiar as torpes e covardes ameaças dos parasitas aspones do Ministro Nelson Jobim ao colunista Cláudio Humberto.

Saudades do competente reitor Azevedo

No próximo dia 11 o professor e intelectual digno e competente, José Carlos Azevedo, que dirigiu a UnB com lisura e eficiência, faria 79 anos de idade.

Collor terá dificuldade em substituir Eliseu Resende

Eliseu Rezende era bom homem, operoso, dedicado ao trabalho, íntegro em tudo que fazia. Foi de meados de 2009 e todo 2010, um eficiente vice-presidente da Comissão de Infraestrutura da Câmara Alta. Será dificil para o senador Fernando Collor, que deve permanecer na presidência da importante comissão, encontrar um competente vice, como foi, em todos os momentos, sempre presente, Eliseu Rezende.

Collor foi firme e esclarecedor

Como era de se esperar, Collor foi firme e esclarecedor na entrevista ao excelente e veterano Carlos Monfort. Respondeu o que lhe foi perguntado. Lamentou e repudiou o torpe, ilegal, hipócrita e covarde golpe do qual foi vítima. Revelou, fazendo mea culpa, que infelizmente não tinha sustentação parlamentar e política no Congresso e, por isso, um dos motivos principais, acabou arrancado do cargo. Porque não fazia o jogo dos eternos fariseus de sempre. Como fizeram Lula, FHC e Itamar

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

"Furo na agulha", um belo filme com participação de duas grandes Limongis: meus amores Joana e Manú


"´Furo na agulha`, um filme belíssimo da Fernanda Brito, que tive a honra de participar, com a produção da minha mãezona, Joana Limongi. Confiram!"
Manuela Limongi Lagares Dib





"Esse é o filme que a MANÚ, minha filhota de 10 anos, coisa mais que fofa, atuou. O crédito no “Youtube” tá errado. O filme é da diretora Fernanda Brito, eu fiz a direção de produção.
Beijos a todos

Vejam a Manu fofa!"

Joana Limongi


O link para o “YouTube” é http://www.youtube.com/watch?v=hcIvOL-A5LM&feature=player_embedded

Para saber mais sobre o "furo da agulha", leia mais na "Superinteressante

Ou veja Imagens de Furo da agulha

video

domingo, 9 de janeiro de 2011

Ex-Presidentes

A meu ver a interessante matéria da repórter Roberta Jansen(8/01), "Ocaso e brilho dos ex-presidentes", contém um clamoroso equívoco, quando historiadores chamados para opinar afirmam que de todos os ex-presidentes surgidos depois da ditadura e com a chegada da democracia, com exceção de Fernando Collor, "têm atuação importante". Apesar de arrancado do cargo por um processo de impeachment torpe, ilegal e covarde, foi o governo Collor que fez a abertura comercial brasileira. Hoje o Brasil tem leis em vigor sancionadas pelo então presidente Collor, como o Código de Defesa do Consumidor e o Estatuto da Criança e do Adolescente. As diretrizes econômicas da gestão Collor de Mello foram seguidas, sem alterações, pelos seus sucessores na Chefia da Nação. Nesta linha, creio que negar e escamotear fatos tão importantes para a vida do país, é pueril ressentimento que nada acrescenta a democracia nem a verdadeira história.Por fim a matéria também deixa de registrar um detalhe que seguramente valorizaria o próprio tema focalizado. Collor é senador eleito pelo PTB de Alagoas, tem apenas 62 anos de idade e continua servindo ao Brasil com o mesmo destemor e isenção.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Polo de Manaus em alta

De janeiro a novembro de 2010 o faturamento do polo industrial de Manaus foi de 32,271 bilhões de dólares. Crescimento de 36,95% sobre o mesmo período de 2009, que chegou a 23,564 bilhões de dólares. Os dados são da Suframa e reforçam a expectativa da superintendente da autarquia, economista Flávia Grosso, de que os resultados do acumulado do ano façam com que os números de dezembro confirmem o faturamento total de 35 bilhões de dólares. Flávia Grosso continua apostando em maior crescimento do polo de Manaus em 2011. Por sua vez, os empregos do polo somaram em novembro 111 mil. A Suframa acredita na previsão de encerrar 2010 com 116 mil empregos

Lula no sossego

Que os desafetos e adversários de Lula não fiquem muito assanhados e aliviados com a foto do ex-presidente, bem a vontade, na sacada de casa. Como quem diz, "estou noutra, vou cuidar da vida". Lula é um animal político. O sossego é passageiro e rápido. Lula não pendurou as chuteiras. Mas, a meu ver, tratar agora de sucessão presidencial de 2014 é um tremendo desrespeito ao bom senso e e à presidente que acabou de assumir o cargo. Hoje quem trata do tema não analisa, chuta, não especula, advinha. Não ajuda, atrapalha.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Dilma é de trabalho

A presidenta Dilma acabou na posse com o estoque de beijinhos, beijos e abraços. Muitos deles com falso ar de intimidade. Dilma é pragmática. Não é mulher de jogar conversa fora nem gosta de ouvir lero-lero. Não perde a ternura, mas é dura. Para ela já é hora de trabalhar. Não foi eleita para brincar. Muito menos fazer média com ninguém. Pretende transformar seus discursos em ações que beneficiem a coletividade. Determinada, Dilma manda, cobra, exige, distribui broncas e se for preciso dar murros na mesa. Quem não for eficiente vai durar pouco. Mesmo se for recomendado e afilhado de Lula. Vacilou no trabalho, dançou.