terça-feira, 30 de setembro de 2014

Collor feliz em campanha

Vai muito bem, obrigado, a campanha para a reeleição do senador Fernando Collor. O ex-presidente está animado, não para. Percorre Alagoas inteiro. Sente de perto o carinho, o apoio e o apreço dos alagoanos. Onde vai é recebido com festa e sentimento de esperança. Collor faz passeata, caminhada, reuniões, palestras e visitas, sempre acompanhado de figuras expressivas e lideranças de todos os segmentos da sociedade alagoana, e da mulher, Caroline. A página do facebook da campanha do ex-presidente mostra bem como o eleitor segue com Collor. Os recados dos internautas ilustram como Collor tem razão de estar contente e confiante nas urnas e na vitória: "Collor, parabéns pela campanha que você está fazendo! Desejo muito sucesso e muita luta. Que Deus lhe acompanhe sempre" (Paulo Spler); "Por onde Collor passa, arrasa e arrasta" (Ana Kátia); "Esse sim, é o nosso senador do povão. Valoriza a todos, sem distinção de raça ou cor"(Mecry Beatricia); "O Senado sem Collor não é Senado"(Aninha Lima).

Acompanhe o Blog do Collor na campanha, clicando aqui.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O que acontece por aí...

Vanessa retruca Marina 

Em discurso no Senado, Vanessa Grazziotin (PCdoB) disse que a candidata à Presidência Marina Silva (PSB) causou perplexidade ao dizer que a BR-319, que liga Manaus a Porto Velho, "até hoje não provou sua viabilidade econômica, social e ambiental". "A ex-ministra deixa transparecer que está falando de uma estrada que ainda será construída. Não é isso! O que está pendente é a superação de uma questão ambiental envolvendo a pavimentação de 400 km do trecho central da rodovia", discursou. A senadora lembrou que os 200 km iniciais saindo de Manaus estão perfeitamente trafegáveis e os 230 km de Porto Velho a Humaitá também. Quanto ao chamado "trecho do meio", ela explicou que governo federal já investiu R$ 76 milhões para resolver os problemas ambientais. Segundo ela, os novos estudos ambientais devem estar concluídos ainda este ano. Mesmo com essa pendência, a pavimentação desse trecho de 400 km está previsto no Plano de Investimento e Logística do governo federal.   Outra fator favorável ao projeto, na opinião da senadora, é o conceito de Estrada Parque que vai permitir ao longo da estrada a fiscalização contra o desmatamento nas unidades de conservação criadas. Por fim, destacou que a população está refém do transporte aéreo para exercer o seu direito elementar de ir e vir. "Sair desse isolamento é muito importante para a nossa gente que tem consciência que basta ter vontade política para que o problema seja resolvido", concluiu.

Cidadania pela metade

As eleições estão perto. Expectativa, civismo, esperança, alegria, vida nova, limpeza. A ordem é passar o Brasil a limpo. Para alguns o voto do dia 5 significa revanche, vingança, punição, ódio. Que bom seria, nesta linha, que cada um levasse para o dia-a-dia algumas das virtudes que desejamos que nossos escolhidos nas urnas tenham. Que sejam cumpridores de seus deveres. Que façam as coisas certas. Mas, falar é fácil. Cobrar dos outros o que geralmente não fazemos é cômodo. Teorizar é uma coisa. Praticar é outra bem diferente. Imaginemos diversas urnas nas ruas, nas faculdades, nos colégios, no trabalho e no shopping. A tarefa é responder, com sinceridade, diversas perguntas. Na base do sim e não. Vamos a algumas delas:  atravessa certo a faixa do pedestre?  costuma oferecer seu lugar para idosos dentro dos ônibus? sabe da necessidade de ligar a seta quando dirige? respeita vagas para idosos e deficientes físicos? usa celular ao volante? Fuma, bebe e come ao volante? Conhece os dias e horários destinados aos caminhões nas portas  dos supermercados? Usa muito alto o volume do som do carro? Costuma deixar o carro parado, atrás do outro, e some no mundo? Respeita o motorista que está na frente de você, esperando para estacionar na vaga que acabou de ficar livre? Sabia que a calçada é para o pedestre? Não é lugar para cachorro nem ciclista? Quando vai passear com seu animalzinho de estimação, leva saco de plástico para recolher a porcariada dele? Dentro do cinema fala baixo, não atrapalha os outros? Obedece as filas? Sabe que é proibido ultrapassar outro carro pela direita? Tem o péssimo hábito de jogar lixo no chão? Respeita o sossego e os ouvidos dos vizinhos controlando o volume do som? Seguramente o resultado do questionário chegará a conclusão que o cidadão não pode só exigir. Precisa saber cumprir a sua parte. Seria bom passo para o Brasil realmente se tornar um país melhor e mais civilizado.   

Dilma na frente 

No sábado, pesquisa Datafolha constatou que o eleitor leva fé na reeleição de Dilma. Hoje, a pesquisa da CNT/MDA mostra que Dilma amplia vantagem frente a Marina para 9 pontos no 2º turno. Marina parou de crescer. Não tem folego nem competência para encarar Dilma. Muito menos tem argumentos sólidos para retrucar a pesada artilharia de Dilma e aliados. De quebra Dilma conta com um banco de ânimo dos diabos, que tira o sossego dos adversários: a   coesa militância petista. Não brigo com os fatos. 


Minha mensagem para o Ancelmo Goes sobre sua nota “Joaquim Barbosa não votará. Vai para o exterior”:
 
“meu caro,
problema dele. Já vai tarde. Que fique por lá. As eleições e a democracia não precisam dele. 


abs do

Limongi”

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

O que acontece por aí...


Collor feliz em campanha

Vai muito bem, obrigado, a campanha para a reeleição do senador Fernando Collor. O ex-presidente está animado, não para. Percorre Alagoas inteiro. Sente de perto o carinho, o apoio e o apreço dos alagoanos. Onde vai é recebido com festa e sentimento de esperança. Collor faz passeata, caminhada, reuniões, palestras e visitas, sempre acompanhado de figuras expressivas e lideranças de todos os segmentos da sociedade alagoana, e da mulher, Caroline. A página do facebook da campanha do ex-presidente mostra bem como o eleitor segue com Collor. Os recados dos internautas ilustram como Collor tem razão de estar contente e confiante nas urnas e na vitória: "Collor, parabéns pela campanha que você está fazendo! Desejo muito sucesso e muita luta. Que Deus lhe acompanhe sempre" (Paulo Spler); "Por onde Collor passa, arrasa e arrasta" (Ana Kátia); "Esse sim, é o nosso senador do povão. Valoriza a todos, sem distinção de raça ou cor"(Mecry Beatricia); "O Senado sem Collor não é Senado"(Aninha Lima).

O ministro tem pinta de presidente

Não só pelas fotos, mas pela postura serena, democrática e isenta, percebe-se que o ministro-presidente do STF, Ricardo Lewandowski, mostrou boa pinta de Presidente da República. Nesta linha, seguramente quem não gostou de ver Lewandowski ocupando interinamente o cargo de Chefe da Nação foi o ministro aposentado Joaquim Barbosa, sabidamente desafeto do atual presidente da Suprema Corte.  São as voltas que a vida oferece.

Leitores irados

Fui brindado por dois leitores, ambos fantasiados de politicamente corretos, praga que insiste em assolar o país com sandices. É a manada dos paladinos de barro. Dos donos da verdade de plástico. Fariseus que não têm espelho em casa. Patrulheiros infames que não descansam enquanto suas teses e opiniões não forem consagradas como lapidares. Donos da verdade de araque do planeta Terra. Sabichões que não diferenciam um grão de arroz de um caroço de milho. Coitadinhos. Comigo perdem tempo. Ainda não nasceu bravateiro com capacidade de me intimidar com lorotas. Fui açoitado pela formidável dupla de leitores porque discordei e repudiei a maneira debochada como o colunista Hélio Rocha se referiu ao ex-presidente e senador Fernando Collor. Reitero tudo que escrevi.  Quanto aos irados leitores, podem rosnar e estrebuchar a vontade. Jamais deixarei de defender e exaltar quem julgue que mereça. Muito menos Collor deixará de continuar trabalhando pela coletividade, com determinação, isenção e espirito público, apenas porque recebeu patadas de insolentes e desinformados. 
Maluf no STF
Paulo Maluf tem o couro duro.  Em época de eleições é a figurinha predileta dos vorazes patrulheiros e seus parceiros, as vestais grávidas. Jamais São Paulo teve prefeito ou governador mais trabalhador do que Maluf. Até mesmo os desafetos de Maluf reconhecem a sua determinação e eficiência como administrador. Seguramente o STF julgará o recurso de Maluf com isenção, como é o dever de todo magistrado que se preze. 
Cônsul-geral e Jabor
Concordo com o cônsul-geral de Portugal, no Rio de Janeiro(20/09), Nuno de Mello Bello, que repudia insultos de Arnaldo Jabor à Portugal. A exemplo do cônsul Nuno de Mello não sou leitor habitual de Jabor. Por uma razão simples: não costumo perder meu precioso tempo com textos arrogantes ,  chegando perto da irresponsabilidade e da leviandade. Marcas registradas do pernóstico Jabor. Há quem goste. Paciência.