quinta-feira, 24 de maio de 2012

Collor quer depoimento de diretor da revista Veja


Collor: relações de revista com contraventor devem ser esclarecidas

Fernando Collor (PTB-AL) defendeu os depoimentos do dono da editora Abril, Roberto Civita, do diretor da revista Veja em Brasília, Policarpo Junior, e do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, à CPI do Cachoeira. De acordo com o senador, está em curso uma “tentativa de manipulação” para fazer a sociedade acreditar que há uma “campanha de cerceamento à liberdade de imprensa e de controle dos meios de comunicação, simplesmente por se tentar investigar ligações da revista Veja com o crime organizado, por se tentar ouvir o jornalista Policarpo Junior e o senhor Roberto Civita numa CPI”.
— Nada mais retrógrado, dissimulado e miasmático do que a velha e conhecida tática de desviar o foco do debate para encobrir a realidade — afirmou.
Collor disse haver “fortes indícios” de que a revista vem “mantendo ligações escusas e suspeitas com uma organização criminosa, por meio de troca de favores, por meio de troca de informações, por meio de tráfico de influência”.
Para o senador, é preciso ficar claro até que ponto há uma “coabitação perniciosa que extrapola uma mera relação jornalista-fonte”. Ele afirmou que investigar “essa coabitação” não tem nada a ver com cerceamento à liberdade de imprensa.
— Falamos de crimes, e não de ferir a livre manifestação — afirmou.
Collor defendeu o comparecimento espontâneo de Policarpo e de Civita à CPI, para que convençam a opinião pública de que “tudo não passa de uma relação típica da lide jornalística, como alegam”.

Jornal do Senado

Confira o pronunciamento na íntegra, clicando aqui.

Ou veja abaixo o vídeo da TV Senado com o discurso completo

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário